10 erros dos iniciantes de Shiatsu

10 erros dos iniciantes de Shiatsu

Reading Time: 9 minutes

Uma vez que você tem o seu diploma de Shiatsu, você está todo animado. E vamos à aventura! Queremos dar o maior número possível de tratamentos e ser bem sucedidos. No entanto, se você não quiser quebrar a “cara” no início de sua atividade, é melhor pensar um pouco e evitar as armadilhas mais comuns. Aqui está uma pequena lista que é sempre bom saber. Este artigo é dedicado aos praticantes que estão começando profissionalmente.


1. Não fazer seguro de responsabilidade civil profissional

Quando trabalha como praticante de Shiatsu, goste ou não, é responsável pelo que acontece durante a prática. Da porta de entrada ao tatami, tudo o que eventualmente possa acontecer ao seu cliente é da sua responsabilidade. O mesmo vale para os efeitos colaterais pós-tratamento. Lembre-se que embora o Shiatsu seja geralmente uma técnica sem riscos, qualquer dor ou desconforto que ocorra após uma sessão será de sua responsabilidade. Um erro técnico durante o tratamento também pode custar muito, mas também simplesmente um acidente, como escorregar na escada. Por isso, é imprescindível a contratação de um seguro de responsabilidade civil profissional, se possível semelhante ao do setor paramédico. Existem muitas seguradoras que oferecem este serviço, então não há necessidade de anunciar aqui. Mas não deixe de conferir o local de jurisdição e principalmente as coberturas oferecidas pela seguradora.

Trabalhar sem seguro de responsabilidade profissional ou estatuto legal é como tirar uma soneca numa máquina de lavar roupa.
É por sua conta e risco.

2. Não ser habilitado

Enquanto for um estudante, pode oferecer Shiatsu a todos, geralmente para o deleite de amigos e familiares. Mas quando se torna um profissional, tudo muda. Envolve dinheiro para tratamento significa que cria-se uma estrutura que contempla um status legal. Fazer as coisas com pressa certamente não é uma boa ideia. Em vez disso, é necessário comparar as diferentes possibilidades: sociedade, associação, autônomo, muitas soluções são possíveis. Para escolher, é necessário se fazer algumas perguntas fundamentais:

Na maioria das vezes, é útil começar “pequeno”, então antes de criar sua própria instalação de Shiatsu, existem algumas etapas a serem seguidas e perguntas a serem feitas:

  • Vou praticar além da minha atividade principal?
  • Em caso afirmativo, posso ter uma atividade independente independente? (Isso é autorizado pelo meu empregador? = verifique seu contrato de trabalho).
  • Terei investimentos? (sim = estatuto independente, mesmo através de uma associação, não ou pouco = trabalhador independente para a França).
  • Devo fazer uma previsão? = sim , mesmo que você não tome emprestado, se você não criar uma empresa é sempre aconselhável fazer uma previsão de despesas/receitas para ver para onde você está indo, se você precisa de um pequeno financiamento ou para mergulhar em suas reservas.
  • Devo contratar um contador? Sim, mesmo apenas um compromisso para ajudá-lo a “enquadrar” sua atividade.

3. Não investir em seu local de trabalho

O seu local de trabalho é um reflexo da sua personalidade, mas também da qualidade que oferece aos seus pacientes. Se você praticar em uma cama num canto da cozinha, com um cachorro correndo, não vai funcionar. A atmosfera do local, a decoração sóbria mas de bom gosto, o lado “casulo”, tudo isso vai ajudar a fazer com que os seus pacientes queiram voltar. Você também deve ter uma porta próxima que dê acesso a um banheiro com pia, ou melhor, um banheiro. A higiene é importante, a do lugar como a das suas mãos. Não economize na arrumação. Nos consultórios mais profissionais, há também uma sala de espera onde a pessoa pode deixar seus pertences ou ler enquanto espera que você termine sua consulta anterior. Tudo isso representa um investimento inicial.

O seu local de trabalho é um reflexo da sua personalidade e da sua paixão pelo Shiatsu.

4. Não exibir preços

Em seu site, por telefone, por e-mail ou em sua sala de espera, você deve sempre comunicar claramente o preço . Não exibi-los pode, em alguns casos, até representar um crime punível por lei. Se você usa redes sociais ou um site, isso também pode ser um lugar para exibi-los. Lembre-se que o Shiatsu é um serviço pessoal, uma operação comercial, bem como um tratamento e prática manual. Assim como um lojista ou um médico, não há espaço para interpretação sobre o assunto.

5. Não testar diferentes superfícies de trabalho (futon, tatame, mesa)

Na escola aprendemos Shiatsu geralmente no chão ou sobre uma maca . Mas isso não significa que é o melhor ajuste para você. Existem muitos modelos de maca. Pense Shiatsu! Você precisará encontrar uma resistente e com boa largura, pois pode ser necessário ficar de pé com o paciente para realizar certas técnicas. No chão você pode escolher entre um futon de algodão, um tatame de palha dobrável ou um colchão de poliéster dobrável também. Para o futon ou colchão, considere cobrir o chão com outra camada. Os tatames de palha fixos que formam uma camada no chão são feitos na França e não são muito caros. Um investimento nesses tatames lhe dará uma aparência bonita e durará anos.

Trabalhando num futon, tatami ou mesa… o importante é o seu conforto de trabalho.

6. Não criar uma lista de profissionais da área de saúde

Ninguém é o “sabe-tudo” ou tem respostas para tudo por isso é sempre bom ter o apoio de outros profissionais de saúde. Recomenda-se, portanto, criar uma pequena coluna sobre necessidades terapêuticas que não sejam diretamente abordadas com o Shiatsu, ou obter ajuda de um fisioterapeuta, um osteopata ou um psicólogo. Isso não significa abandonar o destinatário, mas muitas vezes sugerir que ele obtenha ajuda de outra pessoa temporariamente por um período e depois continue mais tarde. Por exemplo, no caso de um problema lombar, uma ou duas sessões com um osteopata ou quiroprático podem ser úteis para desbloquear as vértebras. Feito isso, volta-se para o Shiatsu. Também é uma boa ideia ter um médico de referência. Com um psicólogo, trabalhar a psique ao mesmo tempo que trabalha o corpo pode contribuir para o caminho do tratamento. Portanto, é altamente recomendável estabelecer contatos com toda uma gama de profissionais de saúde multidisciplinar. Resultando numa imagem profissional que trabalha com seriedade e responsabilidade.

7. Sobrecarga de trabalho quando tem demanda

Quando bem-sucedido, você tenta pegar todos que vêm ao estúdio. Mas cuidado com o excesso de trabalho. Como todo ser humano, o praticante de Shiatsu tem suas limitações. Devemos, portanto, saber não levar demasiadas pessoas todos os dias, não sobrecarregar as horas de trabalho à noite e reservar tempo para si, para as suas atividades de lazer, para a sua família e amigos. Mas acima de tudo, é preciso tirar um tempo para descansar para se regenerar, aproveitar suas férias e fins de semana. Caso contrário, você corre o risco de cair de exaustão e ser forçado a parar de praticar sua paixão, o que não seria bom para você e seus clientes.

8. Não trabalhar seu corpo e mente

Uma vez fora da escola, você tende a descuidar de manter o corpo em boa forma . Há uma boa razão para os professores gastarem tempo em cada aula aquecendo, alongando, fortalecendo e trabalhando seu corpo. Todo o corpo do praticante é sua ferramenta de trabalho. Deve, portanto, ser constantemente mantido, cuidado, trabalhado para mantê-lo em boa forma e resistir durante as grandes semanas de trabalho. O corpo basicamente precisa de três tipos de exercício: fortalecimento, relaxamento/amolecimento e esforço físico que faz você suar e eliminar toxinas. Nesta mistura de exercícios, recomenda-se trabalhar a mente para permanecer calma, bem fundamentada, emocionalmente equilibrada.

O excesso de trabalho leva ao stress, o stress leva à fadiga, a fadiga leva à exaustão.

9. Para de comunicar com colegas e professores

Deixamos nossa escola, nosso professor e nossos amigos de classe e nos encontramos sozinhos com os pacientes. O trabalho do shiatsu shi pode rapidamente se tornar um trabalho solitário. A longo prazo, não é bom para o espírito. Somos, principalmente, animais sociais. Mesmo que você receba muitos pacientes todos os dias, não é o mesmo que manter uma conexão com a comunidade Shiatsu. Para isso existe um grande número de grupos nas redes sociais, mas o melhor ainda é manter vínculos com pessoas que estudaram ao mesmo tempo que você. E o vínculo com o professor é um pequeno tesouro para guardar, para tirar dúvidas. Porque se a escola te faz subir o primeiro degrau do caminho do Shiatsu, ainda há todos os outros degraus a subir e são muitos.

Continuar a treinar para enriquecer as suas mãos é a chave do sucesso.

10. Para de treinar

Este é sem dúvida o pior erro a cometer. Quando você trilha por um caminho, o estudo nunca para. Você pode ler muitos livros, mas nada pode substituir o contato, a descoberta ou comparação que um curso ou seminário lhe oferece. Pelo menos duas vezes por ano é preciso voltar ao estado de estudante que nada sabe e redescobrir a alegria de ser guiado. O treinamento contínuo também é uma obrigação na maioria das organizações de Shiatsu. Os professores mais avançados não hesitam em ir ver os colegas para aprender coisas novas ou outra forma de abordar um assunto conhecido. Sempre há algo a aprender. Além disso, a educação continuada permite sair de caminhos conhecidos para enfrentar outras formas de fazer as coisas. O Shiatsu é rico em uma infinidade de estilos, todos com algo interessante para ensinar. Isso permite que você saia da sua zona de conforto e evite acreditar que sabe tudo e acabe criticando os outros. Ao contrário, a formação permanente enriquece e tornamos humilde ao mesmo tempo. Ninguém sabe toda a verdade e o Shiatsu continua sendo um universo imenso cheio de possibilidades.

Bom começo no treino!


Os autores

Ivan Bel
Stéphane Bourguignon
Latest posts by Stéphane Bourguignon (see all)

    Tradutora

    Alice Rumi
    Latest posts by Alice Rumi (see all)
      Harada Shinsei (1939-2006): fundador do Jigen Ryū Shiatsu

      Harada Shinsei (1939-2006): fundador do Jigen Ryū Shiatsu

      Reading Time: 6 minutes

      Entre os grandes mestres japoneses que difundiram o Shiatsu, há aqueles que são menos conhecidos dos praticantes, pois ele era acima de tudo um mestre das artes marciais. Estudando muitos estilos de luta, ele se tornou aluno de Okuyama Ryuho sensei (fundador do Koho Shiatsu). Ele é Harada Shinsei, fundador tanto da escola marcial quanto do Shiatsu Jigen Ryū.


      HARADA Shinsei Sensei nasceu em 28 de dezembro de 1939 na provincia de Nagano  (長野市),  na ilha de Honshū. Aos oito anos, a família mudou-se para Osaka;  aos 11 foi aceito na escola de Shi Tennō-ji (四天王寺), o templo budista mais antigo do Japão [1]. Mais tarde, ele adotou o nome de seu monge, “Kojun”.

      De 1954 a 1961,  ele praticou Judô Kodokan no ginásio de Uenomiya sob a direção de WATANABE sensei, depois Daïto Ryū Aikijujutsu e Takuma Ryū sob a direção de TAKASHIRO sensei. De 1963 até o início dos anos 1970, ele estudou Hakko Ryū Jujutsu e Koho Igaku Shiatsu, primeiro com GOTO shihan, depois diretamente com o fundador OKUYAMA Ryuho, e recebeu a mais alta licença desta escola. Além de suas atividades relacionadas a sistemas de combate corpo a corpo, HARADA Sensei também praticou Muso Jikiden Eishin Ryu Iaijutsu (espada) e mais tarde Heki Ryu Kyudo (arco) sob a orientação de ENDO shihan.

      Harada Shinsei, demonstração de Kyudo durante o “Nihon no Matsuri”, Festival Japonês de Ghent. (c) Marianne Andries

      Ele então fundou e ensinou Jigen Ryū, um sistema baseado em todas essas experiências, que foi chamado pela primeira vez de “Daiwa Ryū” (大和流) na Europa, mas  também, no ano de 1991 foi renomeado oficialmente de “Jigen Ryū” (慈眼流, lit.: Escola de Visão da Compaixão). Apenas atenção, não se engane aos que conhece as escolas japonesas. A palavra Jigen Ryū é o homônimo da antiga e venerável escola Jigen Ryū,  cujos caracteres são escritos 示現流 (literalmente Escola da Realidade Revelada) e  foi fundada por Tōgō Chūi no final do século XVI.

      Harada Kojun durante uma aula de Shodo -caligrafia japonesa- no escritório da Frans Copers em Ghent – ​​Bélgica. (c) Marianne Andries

      De 1981 a 1984, por ordem do Shitennoji, Harada Sensei  viveu e ensinou na Áustria, depois alternou entre Bélgica, Inglaterra, Japão e Áustria, antes de retornar ao Japão em 1991. Criou um dojo tradicional de Kyudo  perto de Suffolk na Inglaterra. Ele ensinava em uma mistura de japonês, inglês e alemão, mas a maior parte de seu ensino era através do corpo. Ele frequentemente retornava à Áustria para ensinar seus alunos, e outras vezes os alunos iam  ao Japão para continuar o aprenzado. Entre eles, Frans Copers, fundador da Federação Belga de Shiatsu e ex-presidente da Federação Europeia de Shiatsu, ele é o herdeiro da escola Jigen-ryū  na Bélgica. Aqui está o seu testemunho sobre HARADA sensei.

      “Conheci o HARADA Kojun shinsei (= reverendo) no final dos anos 80, poucos anos depois da minha primeira viagem ao Japão, onde fiquei 8 meses para estudar Shiatsu (Iokai Center); treinando  Aikido e aprendendo  mais sobre Macrobiótica (Sei Shoku) e medicina e costumes japoneses.

      De fato, um dia, enquanto caminhava pela cidade, vi um japonês totalmente vestido com roupas tradicionais, hakama, haori, tabi, tatami zori…. e não pude deixar de me dirigir a ele no meu pobre japonês. 

      Felizmente, ele também falava alemão e um pouco de inglês. Harada Shinsei acabou por ser um sacerdote budista do Templo Budista Shitenno-ji. Também era especialista em artes marciais (Jiu Jitsu, Iai Jitsu, Tameshi giri e Kyudo), medicina japonesa (Shiatsu, Acupuntura, moxa), Shodo (caligrafia) e Chado (cerimônia do chá). Além disso, ele também era um ótimo cozinheiro!“

      Chado – cerimônia do chá – em Londres com Harada sensei e Sep Overlaet, mestre de Kyudo (tiro com arco) no templo Shitennoji. (c) Marianne Andries

      Ele era o principal mestre do ramo europeu do templo que, além da prática espiritual e da meditação, também dirigia um hospital e uma escola, semelhante aos mosterios católicos da Idade Média. O templo tinha uma grande propriedade na Inglaterra, perto de Londres (Suffolk), onde havia salas de aula, dormitórios, um templo budista para adoração e um dojo Kyudo (arco com arco).

      Eles também tinham uma casa grande, ou melhor, um pequeno castelo, perto de Viena (Áustria) e outra perto de Ghent (Bélgica), a cidade onde morei  e ainda moro,  levando  seus alunos do ensino médio para se comunicar  e estudar a cultura ocidental  e o modo de vida.

      Harada sensei à esquerda, Nakayama san ao centro e Frans Copers à direita durante a preparação de uma refeição japonesa na cozinha Shitenoji em Ghent – ​​Bélgica. (c) Marianne Andries

      Durante três anos, estudei intensamente com ele, meditamos juntos, praticamos artes marciais e , claro,  estudamos shiatsu e medicina oriental. Ajudei-o  em seus workshops e organizando alguns eventos japoneses com a equipe de Shitenno-ji, como Deguchi Shinsei, o presidente da filial européia. Esses eventos foi sucesso grandioso  na época. (Nihon no Yube ou despertar japonês e Nihon no Matsuri ou festival japonês).

      Antes de retornar ao Japão, ele me nomeou professor na escola Jigen Ryu Kappo Shiatsu.

      Após seu retorno ao  Japão, não tive mais notícias dele, mas ele ainda faz parte de mim e da minha vida e sempre viverá no meu coração!

      Manipulação  na coluna lombar por Harada sensei. (c) Marianne Andries

      A essência do Método Jigen Ryu Shiatsu em poucos pontos.

      • Tratamos os meridianos, não os pontos.
      • Diagnóstico de pulso e detecção do meridiano mais Kyo.
      • Tratamento dos meridianos de “equilíbrio” Fígado, Vesícula Biliar, Triplo Aquecedor e Mestre do coração/Pericárdio.A técnica  chamo de kanguro : todo o meridiano é tratado ritmicamente com um intervalo de alguns cuns entre cada pressão.
      • Tratamento do meridiano Kyo com a técnica de punção . Tocamos o ponto suavemente, pressionamos até o limite da tensão/dor, esperamos um momento e damos uma pressão repentina e forte com uma liberação repentina.
      • A técnica Kanguro é considerada mais leve que a técnica Punção
      Demonstração de Shiatsu sentado por Harada sensei. (c) Marianne Andries

      Nota-se que os meridianos também têm outra qualidade, por exemplo, o tratamento do meridiano da  Bexiga serve para tonificar todo o corpo e o tratamento do meridiano do Estômago é considerado como  um efeito relaxante.

      Existem outras técnicas para tratar problemas locais, com  moxa, acupuntura e  as Zonas de Hirata. Essas zonas  podem ser comparadas aos dermátomos da medicina ocidental. »

      Demonstração de Iaido por Harada Shinsei. (c) Marianne Andries

      Em 2003, ele foi diagnosticado com câncer, que foi bem tratado. Em outubro/novembro de 2005  Harada Sensei realizou seu último seminário de Jigen Ryū Jujutsu em Viena, e comemorou “100 anos de Jiu Jitsu na Áustria”. Voltando  ao Japão, após uma grave doença, Harada Sensei terminou sua existência terrena como dizem na tradição budista, em 9 de outubro de 2006. Ele deixa um legado que seus alunos e assistentes continuam.

      Auteur : Ivan BEL

      Tradutora : Alice Rumi


      Nota :

      [*] Imagem da capa: “Demonstração de Shiatsu no” ‘Nihon no Matsuri’, Festival Japonês em Ghent “

      [1] O Templo Shi Tennō-ji foi construído em 593 pelo Príncipe Shōtoku. Ele o dedicou às quatro divindades guardiãs dos horizontes, os shitennō.

      Entrevista Bernardo Corvi: O imenso coração do Shiatsu

      Entrevista Bernardo Corvi: O imenso coração do Shiatsu

      Reading Time: 23 minutes

      Existem pessoas verdadeiramente fascinantes no mundo do Shiatsu. Este é o caso de Bernard Corvi que apresentamos nesta entrevista. Praticante de Shiatsu, depois professor, escritor sobre o assunto e finalmente empresário. Viajante incansável, trabalhador, coloca todo o seu know-how em Shiatsu ao serviço dos mais fracos. Julguemos: prisioneiros, prostitutas, vigaristas, monges budistas, padres… ele cuida de todos sem fazer nenhuma distinção. Porque para ele, todo ser humano merece ser ajudado.


      Ivan Bel: Olá Bernardo Corvi. Estou muito feliz em entrevistá-lo, porque você é uma pessoa incrível. Empresário, você desenvolveu a marca Tatamiportable.com, mas não é isso que me interessa hoje. Eu gostaria que falássemos sobre as muitas coisas que você alcançou e a dimensão social que o anima através do Shiatsu. Você poderia começar me dizendo quem é você, de onde você é e como o Shiatsu entrou na sua vida?

      Bernardo Corvi: Olá Ivan, obrigado pela oportunidade que você está me dando. Meu nome é Bernardo Corvi, moro na Itália, em uma pequena vila rural chamada Lesignano de’ Bagni, na província de Parma. Encontrei o Shiatsu, posso dizer por acaso, no início dos anos 80 do século passado, mas até o final dos anos 90 praticava apenas esporadicamente, como autodidata, uma certa pressão. Em meados dos anos 90 aperfeiçoei minha formação com uma das escolas de Shiatsu mais representativas da Europa: a Accademia Italiana Shiatsu Do. Imediatamente senti o enorme potencial psicológico, social e humano que sua prática oferecia como oportunidade. Isso me fascinou desde os primeiros momentos de prática. A prática me fez descobrir oportunidades e possibilidades de relacionamentos humanos intensos e profundos.

      Eu sei que historicamente falando, o primeiro país europeu onde o Shiatsu chegou foi a Itália. Você poderia me dizer quem foi o primeiro italiano a trazer o Shiatsu para o seu país. Você o conhecia em outro lugar?

      A primeira pessoa a trazer o Shiatsu para a Itália foi Rodolfo Palombini [i], que foi mesmo o primeiro europeu a trazer esta técnica para fora do Japão. Foi em 1964 que, seguindo as seleções italianas nas Olimpíadas de Tóquio, treinou no Nippon Shiatsu College em Namikoshi. Em 1981 fundou a Escola Italiana de Shiatsu em Roma, agora dirigida por seu filho, Fulvio [ii].

      As figuras de referência para o Shiatsu na Itália são o mestre Yuji Yahiro , que desde fevereiro de 1974 começou a praticar e difundir o estudo do Shiatsu no Centro “Bu sen” de Milão. Foi neste centro em 1975 que uma das figuras fundamentais do Shiatsu em Itália começou também os seus estudos: Mario Vatrini [iii]. Verdadeiro pesquisador, ele teve ideias brilhantes, fazendo contribuições valiosas e oferecendo contribuições revolucionárias para a prática do Shiatsu na Itália.

      Prática de Shiatsu em San Cristobal de las Casas – Chiapas, México

      Conheci Yuji Yahiro e participei de um seminário com ele e participei de um seminário em 2004 onde estiveram presentes, entre outros, o filho de Rudy Palombini, Fulvio e Mario Vatrini.

      Hoje o Shiatsu é bastante comum na Itália e provavelmente tem um dos melhores níveis da Europa. Qual é a situação do Shiatsu italiano agora? Você é reconhecido pelo estado?

      Na Itália, o Shiatsu é uma atividade aberta , o profissional de Shiatsu não precisa ter nenhum diploma, nenhum registro em registros, faculdades, associações. Não existem constrangimentos que impeçam o acesso à profissão, qualquer pessoa pode exercer esta atividade. A menos que decida fazer da prática do Shiatsu a sua atividade profissional, terá de cumprir a regulamentação em matéria de obrigações fiscais, contribuições, respeito pela vida privada, etc. Obrigações não solicitadas para quem pretende praticar a disciplina como hobby, cultivo pessoal, voluntário sem receber qualquer compensação.

      Na Itália, foi promulgada uma lei, 4/2013, que constitui a legislação de referência em termos de “profissões não organizadas em ordens ou colégios”, ou mesmo “profissões associativas” e prevê a possibilidade de formação de associações privadas um registro. A lei é promulgada de acordo com os princípios da União Europeia sobre concorrência e livre circulação.

      As associações profissionais de Shiatsu mais importantes na Itália são três: APOS, COS, FISIEO, que exigem certas condições para serem reconhecidas pelo MISE (Ministério do Desenvolvimento Econômico). Conforme descrito acima, embora a associação a uma associação não seja obrigatória para a profissão, ela representa a figura do profissional de Shiatsu perante o Estado, garantindo a qualidade da formação e a transparência de forma a certificar ao usuário final a certeza de qualidade profissional superior.

      Vamos voltar para você. O Shiatsu foi uma revelação tão grande para você que decidiu muito cedo oferecê-lo além das fronteiras italianas, notadamente dando cursos no México, Cuba e na Universidade de Brasília, capital do Brasil. Diga-me isso, por favor. Como foi ?

      Ao entrar na prática, descobri que a qualidade da minha vida aumentou junto com ela. Eu me sentia e ainda me sinto satisfeito e animado toda vez que coloco minhas mãos e pratico Shiatsu com as pessoas. Cada contato é uma nova experiência intensa e relacional que muitas vezes transcende os estados de consciência.

      Descobri que, por meio de práticas voluntárias, o Shiatsu podia entrar em todos aqueles lugares onde as portas provavelmente não se abrem, principalmente áreas de grave sofrimento social. Ao gerir a formação de parte da minha região, para a escola da qual fazia parte, tive a oportunidade de organizar, também graças aos meus alunos, várias experiências voluntárias como práticas em estruturas psiquiátricas onde já estava presente, a nossa, mas também as tendas que abrigavam as vítimas do terremoto em Emilia-Romagna em 2020, as experiências na prisão também.

      Bernardo posando em frente à bandeira cubana

      No entanto, um fato específico me trouxe ao Brasil. Colaborei muito ativamente nos projetos de uma associação que, infelizmente, não existe mais hoje: Shiatsu Do volontariato . Por sua vez, esta associação tem apoiado projetos no Brasil através do projeto “Fly” (Felipe de Lyon) dirigido por Donna Vittoria Garofalo, falecida há alguns anos, conhecida por Mario Vatrini em suas viagens relacionadas ao estudo das condições de transe na Umbanda [4]. O projeto visava oferecer educação escolar e uma refeição quente diária para crianças de uma cidade localizada a poucas horas de carro de Brasília: Planaltina de Goiás. Na época, estava trabalhando no meu primeiro livro, um livro de poesia, inspirado no movimento interior nascido da minha prática. Um acontecimento terrível, a trágica morte de Valentina, aos dezoito anos, filha da minha colaboradora e colega mais próxima, levou-me a perguntar-me como continuar o grande trabalho desta filha e da sua mãe ao decidir doar os seus órgãos para salvar a vida dos outros. Encontrei uma editora simpática ao projeto e imprimimos exemplares do livro, doando todos os lucros para o projeto no Brasil. Abriu as portas para minha riquíssima jornada até lá, aproveitando uma formação Shiatsu iniciada por um instrutor brasileiro da nossa escola, onde actuei como supervisor como instrutor “sénior” da escola e que nos levou a realizar alguns encontros com estudantes da Faculdade de Fisioterapia da Universidade de Brasília.

      Foto de grupo após o seminário prático com os alunos de fisioterapia da Universidade de Brasília.

      Todos os meus livros subsequentes, que contavam diferentes aspectos da minha prática, seguiram a missão dedicada a Valentina e, novamente, todos os lucros foram sempre doados para apoiar vários projetos de voluntariado na Itália e no exterior. Supervisionar a formação de alguns desses projetos me levou a San Cristobal de las Casa, Chiapas, e La Habana, Cuba. Conto nossas experiências escritas por mim e um de meus colegas que vivem em Cuba em outro livro (veja a lista de livros no final do artigo).

      Inacreditável ! Que história ! Outra iniciativa importante de sua parte foi abrir a primeira turma de Shiatsu do mundo em uma estrutura residencial para pessoas com transtornos mentais e que cometeram crimes. É impressionante! Pode-se ter medo dessas pessoas, mas aparentemente você não tinha. Como você procedeu com a administração do local e com essas pessoas? Quais foram os resultados?

      O projeto de realização de um curso de Shiatsu no estabelecimento REMS (Residência para Execução de Medidas de Segurança) de Casale di Mezzani (Parma) nasceu da vontade da ARS (Agência Regional de Saúde) [v] de Parma, de incluir o prática do Shiatsu em seus programas educacionais para os hóspedes do estabelecimento, cuja eficácia já havia sido testada durante mais de quinze anos de tratamentos reconhecidos pelo Departamento de Saúde Mental e Dependências Patológicas. A organização no estabelecimento de Casale di Mezzani, iniciada em setembro de 2015 (ano de abertura deste estabelecimento) e renovada também para os anos seguintes, tem efetivamente planejado o atendimento a todos os pacientes do estabelecimento. Nenhum excluído!

      Práticas na “Casa do Tibete” em Votigno di Canossa (Reggio Emilia – Itália), um centro cultural nascido sob a bênção direta de Sua Alteza o XIV Dalai Lama.

      A Lei 81 de 2014 criou um estabelecimento de saúde na Itália que não tem igual no resto do mundo. O caminho começou há mais de 40 anos, com a famosa Lei 180 de 1978 que decretou o fechamento dos hospitais psiquiátricos. Com esta lei encerrou-se uma era, a do tratamento penal do louco. De acordo com a Constituição italiana, qualquer pessoa que tenha sido considerada incapaz de entender e querer na época estar cometendo um ato que constitui um crime, não pode ser processada. Até a entrada em vigor da lei, os pacientes psiquiátricos que cometiam crimes eram encarcerados em estruturas chamadas “Hospitais Psiquiátricos Judiciais” que eram na verdade manicômios para criminosos. São lugares onde, paradoxalmente, aqueles que cometeram um crime causado por sua patologia acabam cumprindo uma pena mais pesada do que aqueles que cometeram o mesmo crime sem patologia. As REMS não são estruturas judiciais, mas estruturas de saúde nas quais as pessoas são atendidas pelo magistrado competente e atendem a requisitos específicos. A principal missão destas estruturas, que respondem à psiquiatria comunitária, assenta no princípio da “recuperação” e tem como principal projeto a implementação de um projeto terapêutico individualizado que visa redescobrir e potenciar as capacidades únicas de cada indivíduo. O principal objetivo da estrutura, além de garantir a segurança do atendimento a quem dele necessita (sancionado pela constituição), é sua reintegração à sociedade,

      O curso, como se poderia supor, foi um curso experimental aberto aos operadores e anfitriões da instalação e levou a resultados excepcionais, que relatarei em meu próximo livro: “Um estado particular de ser, aspectos psicológicos, aspectos sociais e humanos da a prática do Shiatsu no campo social”, tanto para os hóspedes e operadores envolvidos no projeto, mas também para o responsável pelo estabelecimento. Uma viagem futurista que tocou profundamente nossas motivações, medos e ansiedades e retribuiu com emoções intensas, superando barreiras e preconceitos ao revelar a pessoa ao invés de seu crime.

      Foi esta experiência que o levou a dar tratamento no ambiente prisional, na prisão de “La Pulce” na região da Emilia-Romagna?

      Não, na verdade é exatamente o contrário, é graças às experiências de voluntariado tanto na prisão – primeiro na prisão juvenil Beccaria em Milão e depois em Reggio Emilia – e meu trabalho de tratamentos de Shiatsu realizado durante muitos anos no campo psiquiátrico, que eu tinha as habilidades para me envolver em um projeto tão grandioso quanto o da REMS; realizar os tratamentos antes e depois do curso. Os projetos na prisão nasceram graças à competência de um de meus colegas em Milão em relação aos menores e à vontade de um de meus alunos, empregado no município de Reggio Emilia, que expressou sua intenção de trazer nossos tratamentos para a prisão. Nesse momento aceitei e graças à colaboração entre nós, eu com as minhas competências, ele com os seus conhecimentos. E graças ao interesse do conselheiro pelas políticas sociais da cidade, elaboramos um projeto com o diretor penitenciário. O grande aspecto humano dessas experiências também será refletido em meu próximo livro.

      Bernardo Corvi apresentando um de seus livros “Você não está sozinho…”.

      Pode-se dizer que todas as suas experiências estão indo na direção da abertura do Coração. E foi então que em maio de 2012 ocorreu o terrível terremoto de Mirandola, ainda na Emilia Romagna. Lembro-me que houve mortos, muitos feridos e sobretudo muitos edifícios destruídos. Então, o que você faz quando fica sabendo dessa situação?

      Mais uma vez, é a colaboração que possibilita pensar em projetos de apoio tão grandiosos. O papel do formador é uma missão que pode oferecer amplos horizontes tanto aos alunos, dando-lhes a oportunidade de ter experiências muito intensas, e em certo sentido também profundamente espirituais, quanto para o caminho de crescimento do próprio professor. É ótimo estar disponível para os sonhos dos alunos se você sabe que tem as habilidades para alcançá-los juntos. Aqui está o papel do professor, ou seja, identificar o que reside na alma de seus companheiros de viagem, verificar sua coerência e viabilidade e realizar as experiências ditadas pelo Coração. , como você bem aponta. Uma disciplina torna-se assim uma experiência de vida. Organizar a nossa presença nas tendas de Mirandola foi um trabalho cansativo que envolveu motivações morais e espirituais, bem como a minha resistência física. Apoiamos pessoas que perderam tudo, mas encontravam-se, mesmo que apenas por alguns momentos, em uma bolha de paz e serenidade. Praticamos nas tendas disponibilizadas pela proteção civil, graças ao patrocínio do município de Mirandola, onde, mesmo com ar condicionado, as temperaturas raramente diminuem  abaixo dos 50 graus. Mais de 70 praticantes de toda a Itália, de todas as escolas, estiveram envolvidos. O projeto levou à escrita do livro “Les anges du Shiatsu” (ver final do artigo), já esgotado.

      Shiatsu em Ciccio, 90 anos, na Itália.

      Imagino que viver uma emergência deve ter sido um momento difícil humanamente falando, mas fantástico ao mesmo tempo para ver o que o Shiatsu pode fazer por pessoas em perigo. Do ponto de vista profissional, o que você tirou dessa nova experiência? Isso mudou seu Shiatsu?

      Tens razão, a prática do Shiatsu num contexto de sofrimento, sejam populações ou indivíduos em dificuldade, faz-nos compreender a verdadeira importância da disciplina que se transforma assim em arte. Sem dúvida, o Shiatsu é uma técnica que utiliza a pressão trazida com as palmas das mãos, os polegares, os antebraços, os cotovelos e traz um benefício às tensões musculares, aos desconfortos de todos os tipos, estimulando a força vital intrínseca de cada um. pessoa. Mas há anos na Itália as pessoas pensam em um Shiatsu não terapêutico, que poderíamos chamar de Shiatsu de valores. O Shiatsu funciona justamente porque estabelece uma relação intrínseca entre as duas pessoas envolvidas em um tratamento, permitindo uma melhor condição de acordo com o potencial, os tempos e métodos específicos de cada um. Certamente responde à verdade, no entanto, que o Shiatsu é uma disciplina em evolução. A melhor qualidade de vida que esta prática gera, para além da resposta aos estímulos que as pressões criam, está profundamente ligada ao facto de ambas as pessoas serem protagonistas, num processo que responde a um sentimento de reciprocidade; relacionamento que leva a expressar a melhor parte de um casal e onde existe uma relação de qualidade. O caminho está aberto para um estado de profunda mudança que leva a um nível mais elevado de consciência. Podemos então definir, sem sombra de dúvida, o Shiatsu como um encontro, um momento em que surge uma conversa espontânea e delicada, que se expressa através de um código não verbal. Uma linguagem atenciosa, educada e acima de tudo atenciosa. Uma forma de se expressar que, livre da grosseria e da superficialidade, às vezes chega a tocar camadas profundas da consciência. Sempre concordei com meu amigo Francisco Contino, gerente de projetos em Cuba [vi] quando define que “Shiatsu não é uma massagem, mas uma mensagem”. A maneira de fazer Shiatsu muda pressão após pressão, experiência após experiência, relacionamento após relacionamento. Se é aqui que existe um Shiatsu para o bem-estar, é verdade que também existe um Shiatsu para o alívio. O bem-estar está ao alcance de muitos, mas o alívio, por outro lado, pode ser uma condição muito difícil de alcançar para outros, que sempre estiveram em um caminho difícil de desconforto que pode ser físico, social, humano. Aqui está um Shiatsu que escuta, não que busca, que se adapta, não que impõe a mudança, que percebe a direção de seu toque.

      Através de sua vida como praticante de Shiatsu, vemos o quanto a dimensão social e humanitária está muito presente em você e devo dizer que acho isso magnífico. Hoje você dá seminários específicos sobre “Shiatsu em um contexto de grave angústia social”. Você pode me dizer rapidamente em que consiste?

      Pode parecer estranho mas os seminários que organizo fora do campo da formação não são sobretudo sobre o ensino de novas técnicas, área em que muitos colegas são muito mais competentes do que eu, mas sim o desenvolvimento pessoal através da prática do Shiatsu. Trago-lhes o comentário de um praticante de Roma que me parece o mais representativo. Ele disse: “ Eu participei de muitos seminários e muitos professores muito bons, mas este seminário é o único que me trouxe de volta a mim mesmo ”.

      Não existe um método específico para praticar o Shiatsu em um contexto de grave angústia social que não é o que já fazemos todos os dias. Em meus seminários, portanto, não ofereço estratégias novas ou mesmo “milagrosas”. O principal é nos trazer de volta para nós mesmos. Ou seja, um caminho de consciência que permite usar a técnica já possuída para se reconhecer nela, junto com o outro, unidos pelo desejo de compartilhar emoções, estados de espírito, sofrimentos, mas também momentos de alívio. Um processo de redescoberta do que já sabemos fazer, portanto, mas com maior atenção ao reconhecimento da suavidade em nossas mãos que nos permite acolher e comunicar uns com os outros. Um processo que sempre nos lembra de não impor, mas de ouvir. Não querer, mas voar com o outro, reconhecendo-o como parte complementar de nós. Portanto, é necessário um crescimento interior que nos permita perceber, a cada momento da relação, que o momento mais importante de um tratamento de Shiatsu é aquele que você está vivenciando naquele exato momento. Preste atenção na respiração, na liberação da tensão muscular, para sentir esse peso repousando no corpo da outra pessoa e penetrando-o profundamente. Profundidade nos tecidos, nas faixas, mas também profundidade de sentimento, de relacionamento. Que o momento mais importante de um tratamento de Shiatsu é o momento que você está vivenciando naquele exato momento. Preste atenção na respiração, na liberação da tensão muscular, para sentir esse peso repousando no corpo da outra pessoa e penetrando-o profundamente. Profundidade nos tecidos, nas faixas, mas também profundidade de sentimento, de relacionamento. que o momento mais importante de um tratamento de Shiatsu é o momento que você está vivenciando naquele exato momento. Preste atenção na respiração, na liberação da tensão muscular, para sentir esse peso repousando no corpo da outra pessoa e penetrando-o profundamente. Profundidade nos tecidos, nas faixas, mas também profundidade de sentimento, de relacionamento.

      Tudo também passa pela proposta de meditações e, dependendo do contexto, pela recitação de mantras.

      Aula de Shiatsu na sede do grupo “Integracion Armonica” em Havana

      Em que momento da sua vida você disse a si mesmo que além do Shiatsu você também ia fazer tatames de massagem e fazer disso um negócio?

      Há mais de quinze anos faço estes tatamis transportáveis ​​[vii]. Produzo-os todos um a um, numa pequena oficina que tenho perto de casa. Comecei porque notei a necessidade de estudantes e operadores profissionais terem uma estação de trabalho que pudesse ser transportada confortavelmente, leve, confortável e muito macia nos joelhos. Testei muitos materiais até encontrar os que uso atualmente e que são da mais alta qualidade técnica. Graças ao fato de ter treinado todos os dias nestes tatames, pude projetar medidas específicas e testar as qualidades necessárias para ter um produto de primeira linha. Há mais de quinze anos produzo pelo menos 250 por ano e os envio não apenas para toda a Itália, mas também para a maioria dos países europeus. Meus tatamis também estão presentes em Cuba, México, na Martinica, Brasil e outras partes do mundo. Consegui fazer esses tatames porque originalmente era sapateiro de profissão. Eu sabia costurar à máquina e ainda tenho várias máquinas de costura. Saber que mesmo através do uso dos meus tatamis tenho dado a oportunidade de praticar confortavelmente a milhares de pessoas me enche de alegria e também me faz sentir parte do protagonista da disseminação da prática do Shiatsu no mundo. É uma sensação agradável. Saber que mesmo através do uso dos meus tatamis tenho dado a oportunidade de praticar confortavelmente a milhares de pessoas me enche de alegria e também me faz sentir parte do protagonista da disseminação da prática do Shiatsu no mundo. É uma sensação agradável. Saber que mesmo através do uso dos meus tatamis tenho dado a oportunidade de praticar confortavelmente a milhares de pessoas me enche de alegria e também me faz sentir parte do protagonista da disseminação da prática do Shiatsu no mundo. É uma sensação agradável.

      Quando lancei a plataforma MSH, você foi um dos primeiros a entrar em contato comigo espontaneamente para me oferecer doações de seus equipamentos a todos os profissionais que desejam fazer trabalho humanitário. Muito obrigado por sua generosidade. Gostaria de concluir esta entrevista com uma mensagem sua, dirigida diretamente à comunidade Shiatsu, que o lerá em francês.

      Sou eu que agradeço. Quando vi o trabalho que você estava fazendo no MSH, me senti envolvido e sei que posso ajudar as pessoas que se dedicam ao que fazem para tornar sua prática mais fácil, mais confortável. Pode parecer estranho, mas quando sinto que posso ajudar as pessoas a fazerem melhor seu trabalho, fico feliz. Senti como é cansativo praticar Shiatsu em condições extremas e desta forma sinto que uma pequena parte de mim estará envolvida nos tratamentos que dás nos teus projetos.

      Bernardo escrevendo

      Gostaria de concluir com algumas frases do meu próximo livro:

      “Na minha vida, pratiquei com monges budistas, sacerdotes, leigos. Tratei homens que mataram seus semelhantes, bandidos, ladrões, prostitutas. Fiz sessões de Shiatsu para pessoas iluminadas, mas também para pessoas normais e comuns. No entanto… cada vez que pus as mãos em cada um nunca percebi diferença alguma na sua vitalidade, no seu espírito profundo, aquela “coisa”, isto é, que permeia a alma ancestral das pessoas e as torna, em todo o caso, , composta da mesma essência que compõe todo ser vivo.

      O coração de cada pessoa bate, cada pessoa tem sangue e Qi , um conceito fundamental da cultura chinesa, dentro do corpo. Cada pessoa tem sentimentos. Todos, sem exceção, têm amor por alguém.

      A raça humana necessita imensamente de amor para enfrentar seu próprio caminho para a iluminação, para superar o ódio. Sentimentos nobres, mas simples, que muitas vezes são expressos em ações benevolentes. “Minha religião é uma só: bondade” ensinou SS o 14º Dalai Lama. Atos cheios de intenção e atenção, que geram reconhecimento, gratidão.

      A gratidão é um ato de amor. »

      Muito obrigado pelo seu testemunho, é uma chance de conhecer uma pessoa como você.

      Com prazer.


      Livros de Roberto Corvi

      • Altri amici, um piccolo diário de experiência Shiatsu em psiquiatria e em primeiro lugar; (ed. Italiano Shiatsu Do Academy),
      • Gli angeli dello Shiatsu ; ed. Comunicações DB, 2013
      • Incontrare il Tao a La Havana e altrove; ed. Comunicação de banco de dados
      • Non sei solo… La pratica dello Shiatsu in social ambito; ed. Mowie e Web


      Notas:

      • [i] Rodolfo Palombini (Rudy 1930 – 1994) introduziu o Shiatsu na Itália. Fundador da Escola Italiana de Shiatsu – SIS (1979), especialista em masso-cinesiterapia, obteve em 1964 o primeiro diploma europeu de terapeuta de Shiatsu na Nippon Shiatsu School (hoje Japan Shiatsu College) então dirigida pelo Mestre Tokujiro Namikoshi. R. Palombini aprofundou seus estudos sobre Namikoshi Shiatsu introduzindo-o na terapia de reabilitação e traumatologia esportiva. A experiência adquirida ao longo dos anos, anos de anotações, testes e pesquisas resultaram na evolução natural do Namikoshi shiatsu para o método Palombini, uma codificação cuidadosa de um sistema adaptado às necessidades do mundo ocidental.
      • [ii] Em 1994, o filho de Rudy, Fulvio Palombini (n. 1955), reumatologista e professor de fisioterapia na Universidade de Roma “La Sapienza”, assumiu a escola. Fulvio Palombini, fiel à sua formação de médico, respeitando a sua atividade profissional, a reabilitação motora, trabalha para que o mundo científico volte o olhar para o Namikoshi Shiatsu, para avaliar a sua eficácia através da experimentação.
      • [iii] Mario Vatrini morreu em 2007. Há apenas um livro em circulação escrito em 1998, intitulado “  Strategie di Shiatsu ”. Bernardo me conta: “Tenho uma versão publicada pela Curcu e Genovese editore 2004. Na legenda curta, na contracapa, diz simplesmente: “Mario Vatrini, aluno direto dos Mestres Yahiro e Masunaga, pratica Shiatsu desde 1975 e formou-se no estilo Iokai em Tóquio em 1977. Tem uma escola de Shiatsu “Majinai”. Ele é conhecido por sua habilidade.
      • [iv] Em 1992-93 Mario Vatrini passou alguns meses no Brasil para vivenciar pessoalmente as condições de transe da Umbanda, cultos sincréticos nascidos do contato entre as religiões tradicionais africanas e o cristianismo, próximo ao Candomblé originário do Rio de Janeiro. Esta estadia levou-o a conhecer e aprofundar a relação de amizade e colaboração com Donna Vittoria Garofalo, filha de imigrantes italianos e fundadora do projeto Fly (Felipe de Lyon) sediado em Planaltina de Goiás que visava doar educação e refeição quente para crianças.
      • [v] Em italiano ASL (Azienda Sanitaria Locale)
      • [vi] Para saber mais sobre esta missão em Cuba, leia este artigo em italiano. Sobre Francisco Contino, eis o que diz Bernardo Corvi: “Escrevi o livro “Encontro com o Tao…” com Francisco. Em sua apresentação sobre o livro, ele relata: “FRANCISCO CONTINO. Quando, por algum motivo, teve que redigir seu currículo, Francisco percebeu que ao longo de sua vida chegou tarde a tomar decisões importantes; a pessoa clássica que só entende o que realmente lhe interessa depois de perder anos fazendo o que realmente não lhe interessa. Pode-se dizer que ele sofria de um atraso de tempo crônico. Isso pode ser dito de seus estudos universitários, seu trabalho como empregado e depois como professor e assim por diante de todas as outras etapas importantes de sua vida. Um traço que se repetiu para seus dois maiores amores, Shiatsu Do e principalmente sua filha Annabella. A vantagem era que namorar pessoas mais inteligentes e mais jovens o fazia se sentir mais jovem do que sua idade: a desvantagem era que ele sofria de uma sensação de desconforto por estar tão atrasado na compreensão. Um dia, visivelmente atrasado e visivelmente em Cuba, ele encontra as 4 leis da espiritualidade de SAI BABA , em particular o terceiro: QUALQUER MOMENTO É O MOMENTO CERTO.
      • [vii] Para ver os produtos vendidos, acesse https://www.tatamiportable.com/


      Autor

      Ivan Bel

      Tradutora

      Alice Rumi
      Latest posts by Alice Rumi (see all)
        Os pontos Yuan ou “Fonte”

        Os pontos Yuan ou “Fonte”

        Reading Time: 15 minutes

        Os pontos “fonte” geralmente representam a primeira família de pontos que os alunos memorizam. Fáceis de detectar, esses pontos são um clássico nos tratamentos básicos de Shiatsu. Mas a medida que os estudamos, revela uma profundidade absolutamente fascinante que nos leva muito além  do que se poderia pensar à primeira vista. Redescubra os pontos Fonte e como eles funcionam.


        Qualquer aluno que comece a aprender os meridianos aprende o ponto inicial, o ponto final e, no meio, o ponto Fonte. Por quê essa família de pontos surge tão rapidamente no estudo? Primeiro porque cada meridiano tem um, sem exceção à regra, o que é muito prático, ou seja, 12 meridianos = 12 pontos Fonte. Então, os pontos Fonte permitem recarregar um meridiano, reenergizá-lo assim como o órgão associado quando ele estiver plano, principalmente no que diz respeito aos localizados nos meridianos Yin (veja abaixo: Uso dos pontos Fonte). Como uma fonte que se desbloqueia, deixa o Ki subir à superfície e depois fluir para o meridiano. Além disso, para designar a palavra fonte em chinês, existem dois caracteres diferentes.

        • O primeiro 泉 (quán) indica uma cavidade de onde emerge a água.
        • O segundo caractere 源 (yuán) pega o primeiro caractere e adiciona uma chave à esquerda que enfatiza a ideia de água fluindo da fonte. Entendemos melhor que no caso de um Vazio, este ponto rapidamente se torna um reflexo do tratamento.

        Dito isto, nem sempre é fácil desbloquear esta fonte. O ponto Fonte também pode ficar “seco” e sem energia. Deve, portanto, ser estimulado, revigorado, para que possa desempenhar seu papel, que nem sempre é indolor. Quem já experimentou um vácuo de energia significativo lembra o estado em que se encontra o R3, por exemplo. Torna-se duro e doloroso sob pressão. É por isso que os pontos Fonte voltam com muita frequência nos tratamentos e no equilíbrio dos meridianos entre o casal Yin/Yang com a ajuda do ponto Luo do meridiano de polaridade oposta (princípio do hospedeiro e do hóspede). Os profissionais devem tocá-los diariamente para verificar sua condição, o que torna o auto diagnóstico relativamente fácil.

        Como funcionam os pontos fonte:

        A coisa mais importante a saber no uso dos pontos Fonte é saber a diferença entre os pontos dos meridianos Yang e os dos meridianos Yin, porque seus efeitos não são os mesmos.

        • Para os meridianos Yin, os pontos Fonte são usados ​​para tonificar os órgãos, para revitalizá-los.
        • Nos meridianos Yang, os pontos Fonte servem acima de tudo para expulsar os fatores patogênicos.

        De acordo com o Eixo Espiritual, os pontos Fonte devem ser escolhidos para tratar patologias dos órgãos Yin. E por uma boa razão, eles estão relacionados ao Ki original (Yuan Qi). Este está contido nos Rins, armazenados em particular em Qihai (Ch.)/Kikai (Jap.), o famoso VC6, “Mar de energia”.

        De acordo com o Clássico das dificuldades, podemos ver no capítulo 2 que há um pouco de informação adicional. Os pontos MC7 e C7 são ambos os pontos “Fonte do Coração”. Mas fato se deve ao desconhecimento desses dois órgãos (coração e pericárdio) que eram apenas um no momento da redação deste clássico da medicina chinesa. Diz-se especialmente que o Qi original, localizado entre os dois rins, no ponto Ming Men (chin.) / Meimon (jap.) aliás VG4, o “Portão da Vida” é a raiz dos 12 meridianos. O Triplo Aquecedor permite que o Qi original circule nas três casas, se diferencie, depois vá para os diferentes órgãos e finalmente para seus respectivos meridianos. O Qi então reaparece nos pontos Fonte. Em outras palavras, a energia que vem recarregar um meridiano através de seu ponto Fonte não vem do nada.

        A saber  : o ponto Fonte do Triplo Aquecedor serve como um acelerador para a distribuição de energia por todo o sistema de meridianos.

        Tenha cuidado, no entanto, para não usá-los todos ao mesmo tempo em uma pessoa em estado de fraqueza generalizada( esgotamento/ Síndrome de Burnout, por exemplo), pois o efeito será oposto ao desejado. Basicamente, se não houver Qi suficiente no corpo, especialmente nos Rins, chamar mais Qi para um ponto irá “queimar” esse ponto, pedindo-lhe para agir enquanto não tiver recursos suficientes para isso. É como operar uma máquina sem óleo. Muito rapidamente a máquina vai esquentar e acabar queimando. Isso é válido para todos os pontos do corpo assim que estiver profundamente enfraquecido. Para aumentar corretamente a energia de uma pessoa neste caso, é necessário consultar a teoria das 6 camadas.

        Como referido anteriormente, os pontos Fonte dos meridianos Yang são usados ​​para expulsar elementos patogênicos, portanto, não são os pontos que reabastecem esses meridianos. Mas então, quem faz o “trabalho”? Este é o papel da família dos 6 pontos Mar inferiores, cujo nome Mar deve nos dar uma dica. Quando vemos a palavra “Mar” em um atlas de acupuntura, significa que é um ponto profundo como o Mar, com efeitos profundos, que contém muita energia. O nome “Mar Inferior” também indica que o ponto está na parte inferior do corpo, pois “inferior” foi traduzido para o masculino e não para o feminino, o que implicaria que é “menor”. Não é o caso, muito pelo contrário. Esses pontos são muito poderosos.

        Esses pontos são:

        • Para o Estômago : E36 (Zu san li) a 3 cun (uma mão) de E35 que está no ângulo externo e inferior da patela, ou então a 1 cun ext. sob a tuberosidade da tíbia. É também o ponto Mar dos 5 Shu do Estômago Antigo, portanto efeito duplo.
        • Para o Intestino Grosso  : E37 (Shang Ju xu) a 3 cun (uma mão) sob E36. É também um ponto da chamada família 4 Mares. Então efeito duplo.
        • Para o Intestino Delgado  : E39 (Xia ju xu) a 3 cun (uma mão) sob E37. É também um ponto da chamada família 4 Mares. Então efeito duplo.
        • Para o Triplo Aquecedor  : B39 (Wei yang) 1 cun lateral para fora da fossa poplítea (B40).
        • Para a Bexiga  : B40 (Wei zhong) no meio da fossa poplítea. É também o ponto Mar dos 5 Shu Antigos da Bexiga, portanto efeito duplo.
        • Para a vesícula biliar: VB34 (Yang ling quan), na depressão sob a cabeça da fíbula. É também o ponto Mar ​​​​5  Shu  antigo do TA, então o efeito é duplo.

        Esses pontos são todos bem conhecidos e, em última análise, não são uma grande surpresa. Em primeiro lugar, podemos ver claramente o poder do Estômago e da Bexiga como grandes distribuidores de energia Yang para quase todos os órgãos, com exceção do VB que administra por conta própria. Então, todos os pontos, exceto o do TA, fazem parte de uma segunda família que também leva a palavra “Mar”, que diz muito sobre seu poder de reabastecer, de nutrir, o meridiano.

        Agora que vemos com mais clareza, poderemos visitar os pontos Fonte de acordo com a tradição, ou seja, incluindo também os pontos Yang. No entanto, quando  procuramos  usar os pontos que realmente rejuvenescem os meridianos Yang, buscamos  lista de pontos do Mar inferior. Aumentando  sua ação para restaurar a energia  em todos os meridianos sem discriminação.

        Localização dos pontos Fonte

        A regra diz que para encontrar os pontos “Fonte”, você deve começar pelas extremidades dos membros (dedos das mãos e pés) sem levar em conta a direção de circulação do Qi do meridiano. A partir daí, o ponto “Fonte” é sempre o 3º ponto subindo um meridiano Yin e o 4º ponto subindo um meridiano Yang. Existe uma exceção (que comprova a regra) para a Vesícula Biliar onde é o 5º ponto . Assim, quando você sabe de cor a localização dos pontos nos meridianos, é fácil encontrá-los contando a partir da extremidade dos membros.

        Mais fácil ainda, quase todos os pontos “Fonte” dos meridianos do braço (Shǒu 手) estão na dobra do pulso, tanto dentro como fora (exceto IG4 e ID4 que estão ligeiramente deslocados). Nos meridianos da perna (Zú 足), estão distribuídos da seguinte forma: dois na parte interna do pé, dois na parte externa e dois novamente na parte superior do pé. Sabendo de tudo isso, tudo o que você precisa fazer é praticar com a lista a seguir.

        Resumo dos Pontos de “Fonte”

        • Pulmão: P9
        • Intestino Grosso: IG4
        • Estômago: E42
        • Baço-Pâncreas: BP3
        • Coração: C7
        • Intestino delgado: ID4
        • Bexiga: B64
        • Rim: R3
        • Pericárdio : PC7
        • Triplo Aquecedor: TA4
        • Vesícula Biliar: VB40
        • Fígado: F3

        P9: Imenso Abismo (Tai yuan)

        Info : O nome deste ponto indica que é profundo. Este é o local onde a artéria radial entra. Seu nome antigo é ainda mais claro: Taiyuan, ou “Fonte Suprema”, que indica que é o local onde o Qi é distribuído. Para localizá-lo, é necessário ir na dobra do pulso, no trajeto do meridiano do Pulmão, em uma cavidade logo ao lado e em direção ao exterior da artéria radial.

        Efeitos : Acalma a tosse e afina as secreções, tonifica o meridiano do Pulmão, fortalece os vasos sanguíneos.

        IG4: Vale do Encontro  (He gu)

        Info : Também conhecido como Hukou “Boca do Tigre” (para indicar sua força, mas também o espaço entre o dedo indicador e o polegar), este ponto tem tanto o significado de “ajustar, harmonizar” quanto “ravina profunda, desfiladeiro” . Lá novamente, a ideia de profundidade nos explica que é um ponto “Fonte”, que buscará a energia necessária para o meridiano nas entranhas. Também faz parte dos pontos das 4 barreiras.

        Efeitos : Promove a comunicação no Luo, desbloqueia os nós (papel das 4 barreiras), elimina a dor, alivia a superfície, elimina o Vento, retifica o Yang na parte superior do corpo, purifica o Calor, desperta o cérebro, aumenta problemas intestinais, abre os orifícios, trata problemas da face e da cavidade oral, elimina o bloqueio do sangue menstrual.

        E42: Pulsação Yang (Chong yang)

        Informação  : Este ponto tem muitos apelidos que são todos muito significativos de sua função: “encontro de primavera, encontro de primavera, encontro de ossos, encontro de vinco (flexão do tornozelo), encontro de energia Yang”, ou simplesmente “peito do pé”. Com todos esses nomes, é fácil localizá-lo. De fato, está no peito do pé, 1,5 polegadas abaixo de E41, e próximo à artéria dorsal do pé, entre os metatarsos do dedão do pé e o segundo dedo do pé.

        Efeitos  : restaura a livre circulação do Yang, fortalece o Baço, elimina a Umidade.

        BP3: Branco Supremo (Tai bai)

        Info  : Obviamente, a tradução deste ponto é uma reminiscência do tubarão branco nadando nas águas frias da África do Sul, mas não tem nada a ver com isso … exceto talvez a dor que inflige quando dá errado. Na realidade, esta é uma má tradução, porque na realidade deve dizer “o grande branco”, que é o apelido atribuído em chinês ao planeta Vênus. Este está ligado ao elemento Metal e este ponto é o dos 5 antigos Shu que corresponde à Terra, portanto, que gera o Metal. Ele também tem a função de ponto Ben, ou Raiz. Fica atrás do 1º metatarso, na borda interna do pé.

        Efeitos  : Tonifica o Baço, trata a diarreia ligada a estados de Vazio (do Baço, do Estômago, dos Rins).

         C7 : Portal do Espírito (Shen Men)

        Info  : O Portal do Espírito (Shen) é um dos pontos mais conhecidos, pois sua eficácia em acalmar a mente é muito poderosa. Mas também é conhecido como Duichong, ou “encruzilhada da troca”, porque está na encruzilhada de muitos aspectos da energia, incluindo Sangue, Qi e Shen. Encontra-se na prega do punho, lado anterior, no meridiano do Coração.

        Efeitos  : Revigora o meridiano do Coração, acalma o Shen, revigora o Sangue que ancora o Shen, dispersa o fogo do Coração, abre os orifícios, promove o sono, trata a epilepsia, interrompe a descarga seminal, alivia a perda de memória, trata as regras perturbadas pelas emoções .

        IG4 : Osso do pulso (Wan gu)

        Info  : localizado na última dobra após a articulação da 5ªmetacarpus, entre a carne vermelha e branca, lado do dedo mínimo. Se não estiver claro para você, talvez você possa dizer a si mesmo que está no final da “linha do coração”, se você gosta de ler as linhas da mão. O significado original deste ponto é bastante curioso. “Hou” representava o personagem que está atrás de um prisioneiro, um prisioneiro cujos membros inferiores estavam amarrados. A priori, é um guarda que acompanha um prisioneiro, permanecendo para trás, e o segura por uma corda. O significado evoluiu para “andar esticando um fio”, e mais recentemente na história da língua chinesa para “para trás, para trás, para trás”. A outra palavra indica uma torrente no fundo de um vale, o que no contexto dos pontos “Fonte” é bastante revelador. Mas quem está atrás, escondido, mas amarrado por um cordão? É o Vaso Governador , do qual o ID3 é o Ponto Chave, o que só reforça o seu papel como ponto “Fonte”.

        Efeitos  : Estimula Taiyang, elimina a energia maligna externa, comunica-se com Du Mai (VG), trata a parte superior das costas (ponto distal), trata a epilepsia.

        B64: Grande Osso (Jing gu)

        Info  : Desta vez, o nome deste ponto esclarece sua localização, isso é chamado de nome “geográfico”. Neste caso, o osso saliente é o da borda lateral do pé (lado externo). O ponto está logo abaixo e na frente (na direção do meridiano) da tuberosidade do osso. Seu outro nome é “Os capitais”, para destacar sua importância. No entanto, é surpreendente que o ponto não seja tão profundo assim. Talvez esta seja a exceção que confirma a regra? Ou então, vamos relembrar a existência dos pontos do “Mar Inferior”, mas isso é outra história…

        Efeitos  : Afasta o Vento, dispersa o calor, melhora a circulação no meridiano.

        R3: Grande Riacho (Tai xi)

        Info : Estamos mais uma vez presos ao termo “supremo”. Quando ele aparecer, lembre-se de que não é usurpado. Este termo enfatiza a importância terapêutica deste ponto. Qualquer um, portanto, o ponto “Fonte” do Rim não está em boa forma, geralmente se lembra dele assim que você o pressiona: é duro como uma pedra. Na verdade, o shiatsu shi parece cascalho sob os dedos, o que pode ser bastante doloroso para o receptor. Este ponto “Fonte” é de grande importância, primeiro porque é o dos Rins, depois porque é o antigo Shu que tem a função Terra neste meridiano. A função Terra está relacionada com o Sangue e a sua função “Fonte” confere-lhe um dinamismo que está ligado ao Fogo dos Rins.

        Efeitos  : Regula o Chong Mai (Vaso Penetrante) e o Ren Mai (Vaso da Concepção), revigora o meridiano do Rim, clarifica sua fonte, controla o Fogo, refresca os Pulmões, interrompe os ruídos da garganta, nutre o Yin, tonifica o  Calor (bom) útil para o corpo e elimina a Umidade.

        PC7: Grande Colina (Da ling)

        Info  : O ponto “Fonte” do Mestre do Coração tem muitas funções. É também um antigo ponto Shu com função de Terra, é o ponto de dispersão (Filho do Fogo) e o 4º dos 13 pontos demoníacos ( ou fantasmas). Localiza-se no meio entre o ponto “Fonte” do Pulmão e o do Coração, na dobra do punho, entre os dois tendões dos flexores do carpo. Este lugar particular confere-lhe um papel particular que se encontra neste outro nome Xinshu (Protetor do Coração). Ele está lá para proteger seu mestre (lembre-se que o Coração é o Imperador) e contemporizar as emoções que vêm do Pulmão.

        TA4: Lago Yang (Yang chi)

        Info  : O ponto “Fonte” do Triplo Aquecedor é um caso especial. De fato, o meridiano do Triplo Aquecedor não está ligado a um órgão físico, mas sua função é distribuir o Qi do Ming Men (“Portão da Vida”) nos Três Largos e, consequentemente, a todos os meridianos. Como resultado, o ponto “Fonte” potencializa o Qi em todos os meridianos e para isso necessita de uma grande reserva de Yang, daí seu outro nome “Reservatório Yang”. Mas não pode ser comparado ao Yang Qi, pois impulsiona o Yuan Qi, razão pela qual também é chamado de “Yang distinto”, para não confundi-lo. Ele está localizado em uma cavidade no lado dorsal do punho, na borda ulnar do tendão do extensor comum dos dedos (lado auricular, portanto).

        Efeitos  : Dispersa o Calor, Fortalece as Articulações, Alivia os Tendões, Trata a Surdez, Nutre os Meridianos Yang

        VB40 : colina Pequena (Qiu xu)

        Info  : Apesar da ausência da palavra “grande” em seu nome, seus dois caracteres o categorizam como tal, pois se lê “montanha, colina, elevação do terreno” e “montanha”. Quando usamos duas palavras para significar a mesma coisa, estamos procurando ênfase. Resumindo, tudo é feito para que anatomicamente você se encontre ali, já que o ponto está localizado logo ao lado de uma área elevada (o maléolo externo do tornozelo), em uma cavidade abaixo e na frente, logo fora do tendão do extensor comum do tornozelo. os dedos dos pés.

        Efeitos  : Purifica o Calor do Fígado e da Vesícula Biliar, fortalece os tendões e as articulações.

        3F: Supremo Impulso (Tai chong)

        Info : Finalizamos a família de pontos “Fonte” com mais um grande clássico dos tratamentos de Shiatsu. Seu nome anterior era “big beat”, mas isso não era suficiente, e de big mudamos para supremo para enfatizar sua força. Dois significados são geralmente mantidos: um para indicar a proximidade da artéria pedal e outro para “grande assalto”, que também corresponde a uma de suas funções que consiste em derrubar o Qi que ataca a parte superior do corpo.Também conhecido por ajudar  os Rins e, por uma boa razão, este ponto é apenas vertical ao R1, que não é um ponto de “Fonte”, mas ainda é chamado de “Fonte de Esguicho”. Encontra-se no dorso do pé, subindo o espaço metatarsal entre os tarsos 1 e 2, até que você não possa ir mais longe (como no IG4) devido à união dos ossos. Observe que também faz parte dos pontos Shu com a função Terra.

        Efeitos  : Circula o Qi e fortalece o meridiano do Fígado, harmoniza o Sangue, elimina as convulsões. Em dispersão, desce o Qi do Fígado que estagna no vértice (e causa dores de cabeça) e acalma o Yang do Fígado.

        Boa prática.


        Autor : Ivan Bel

        Tradutora : Alice Rumi

        A noção de Tempo em Shiatsu

        A noção de Tempo em Shiatsu

        Reading Time: 11 minutes

        Quer estejamos a aprender, a sentir, a estudar ou a praticar Shiatsu, o factor tempo é indispensável e algo que não podemos abreviar ou condensar. Isto é verdade para todos os “Caminhos” (Do), quer sejam terapêuticos, artísticos ou marciais. A filosofia asiática ensina-nos que as técnicas não são meras repetições de gestos, mas um caminho que nos leva de nós ao outro e de volta a nós próprios. É assim que passamos da técnica para a arte e da arte para a espiritualidade. E, para isso, o tempo é muito importante!


        Tempo para aprender

        Os estudantes estão constantemente sedentos de conhecimento e descoberta. Tudo o que é novo é belo, como diz o ditado. Isto também me aconteceu, pode-se facilmente compreender a sensação estimulante de aprender algo novo assim que se encontra um novo professor ou quando se segue um novo curso. Em Shiatsu este sentimento é particularmente forte porque a experiência não é apenas intelectual, no nosso cérebro, mas também física, no nosso corpo. As teorias e a escolha da sua aplicação prática, as pressões manuais e as mobilizações articulares, todas combinadas com o trabalho com outra pessoa, produzem um prazer físico-intelectual que é verdadeiramente gratificante. Podemos cair na armadilha de querer sempre mais, mais frequentemente, mais rapidamente, mas seria um erro seguir os nossos desejos. Precisamos de apreciar, aprender como abrandar, temos de levar o tempo que seja necessário para nós.

        Num curso regular, numa escola, o papel do professor é crucial em termos de gestão do tempo. Ele ou ela tem de ser o garante do ritmo de aprendizagem e, por vezes, abrandar os alunos, ensinando-lhes técnicas de diagnóstico mais profundas, subtis ou finas e exercícios físicos e sensoriais mais complexos. Isto requer tempo, muita escuta e muita repetição. Por que razão é este o caso? Porque na maior parte do tempo em Shiatsu, a lição é dada pelo corpo. Não é dada pela mente. As sensações devem ser repetidas regularmente para se tornarem um hábito. Depois, pouco a pouco vão infundindo os músculos, as células, até que um dia o cérebro possa pôr ordem e palavras no que o corpo experimentou.

        Como principiante, parece que se pode fazer tudo isto muito rapidamente. Que professor não teve um aluno que fosse mais dotado do que os outros, capaz de progredir rapidamente. De facto por vezes recebemos pedidos para ler mais livros, para seguir dois anos num só, em suma, para acelerar o processo. Seria um mau serviço aceitar o pedido, pois iria saturar o cérebro e o corpo com demasiada informação. Mesmo que seja frustrante para algumas pessoas, deve-se seguir passo a passo o Caminho do Shiatsu que trará o que é necessário na altura certa. Se acelerarmos o processo de aprendizagem vamos ter um estudante que pensa saber tudo sobre tudo, sem ter integrado sensações suficientes. Isto irá resultar num praticante com pouca experiência inicial e que irá sentir desânimo ou pânico perante a complexidade dos casos que irão surgir, ou num ego demasiado cheio de certezas.

        Se procurarmos na Internet podem-se encontrar cursos de Shiatsu “completos e profissionais” com a duração de alguns fins-de-semana ou mesmo dois anos. A tendência geral de fornecer cursos durante um período de 3 anos ou +/- 500 horas já é um pouco curta, pelo que menos do que isso parece ser um grande erro. Perguntem a um praticante com 20 anos de experiência se ele sente que compreende ou domina tudo o que faz. Longe disso. Portanto, acreditar que pode acelerar o processo de aprendizagem sem pagar as consequências mais tarde é um erro fundamental.

        Na nossa sociedade de ritmo acelerado, onde se pode simplesmente pagar para que qualquer coisa nos seja entregue e assim obter tudo sem esforço, poderia pensar-se que o mesmo seria verdade para as artes asiáticas. Havia por isso boas razões para que tradicionalmente um aprendiz ficasse com o seu mestre no mínimo dez anos. O tempo necessário para aprofundar a aprendizagem e compreender as subtilezas de uma forma de pensar que não é a nossa, para sentir as flutuações de energia e tecidos corporais, leva anos e anos. A única boa maneira de aprender é sempre escolher o longo caminho, com paciência e humildade. Não é fácil…

        Tempo para a prática

        Depois de estudar chega o momento de praticar. Pelo menos no nosso sistema de estudo ocidental. A Escola Namikoshi Shiatsu em Tóquio, por exemplo, requer ambas ao mesmo tempo, com 2500 horas de aulas e prática. Se compararmos com o país europeu mais avançado em termos de número de horas de estudo, que é a Suíça com 850 horas, há ainda uma diferença de 1650 horas. Compreendemos assim o abismo que nos separa dos estudantes japoneses. Mas hei! Imaginemos que já somos competentes após os nossos estudos e que começamos o Shiatsu como a nossa única actividade profissional. Posso dizer que tudo ainda está por aprender.

        Tudo está ainda por aprender porque cada caso que (vos )chega é um novo desafio. É claro que, após vários anos, serão encontradas perturbações e desequilíbrios recorrentes, mas isto está longe de ser uma regra geral. Não é sem razão que os professores nos repetem que os únicos verdadeiros mestres são os nossos pacientes. Porque cada caso é único e ensina-nos algo, mesmo quando pensamos ter dominado um assunto básico como as dores nas costas. Temos de passar pelo menos 10 anos a repetir gestos, a estabelecer intenções e a trabalhar os nossos pensamentos sobre o diagnóstico e tratamento oriental antes de nos sentirmos mesmo ligeiramente confiantes. A confiança é regularmente posta em causa por novos casos que não compreendemos ou porque descobrimos uma profundidade desconhecida num desequilíbrio. Por exemplo: pode-se ter muita prática no tratamento de dores nas costas, tem-no feito desde que começou a trabalhar, tornou-se uma espécie de rotina… até ao dia em que surge um caso mais complexo com problemas intestinais, stress emocional e um disco vertebral protuberante. A rotina foi quebrada. Tem que se procurar e estudar novamente.

        Os japoneses têm uma expressão para o tempo de prática: tanren, ou a forja. São capazes de trabalhar 6 dias por semana, 8 a 10 horas por dia, 11 meses e meio por ano. O tempo total de descanso neste país é em média de 18 dias. Agora imaginem fazer Shiatsu a este ritmo. Fortalece-nos, força-nos a procurar formas de melhorar, de poupar energia, de encontrar força mental e de fortalecer o corpo para o fazer. Isto é a forja. “Mil vezes mais, voltará a pôr o seu trabalho em prática”, dizem eles. Aqui, estamos muito mais do que mil vezes.

        A propósito, vamos fazer um pequeno cálculo para compreender o que isto representa: 365 dias por ano – 18 feriados – 52 domingos = 295 dias úteis. A uma taxa de 295 x 8 horas por dia = 2360 horas por ano. Mesmo que o praticante não preencha o tempo todo, esta continua a ser uma grande experiência por ano. Quem no Ocidente pode gerir mesmo que sejam só 1000 horas de sessões por ano? Não há muitos ocidentais que possam dizer isso. A experiência pode, portanto, ser calculada e podemos compreender melhor a noção de forjar o corpo, a mente e o saber-fazer.

        Em neurociência, há estudos que referem que alguém se torna um especialista em qualquer coisa quando se ultrapassa 10.000 horas de trabalho sobre um determinado assunto. Se os Beatles eram tão bons, para além do seu génio musical, é porque antes de serem famosos, tinham tocado em Hamburgo (Alemanha) durante muito tempo em bares, todos os dias ou melhor, todas as noites. Tinham acumulado uma quantidade impressionante de experiência, cerca de 10.000 horas. Agora, façam os ( vossos ) seus próprios cálculos para ver se ultrapassaram as 10.000 horas de prática. Dependendo do próprio ritmo, isto representa um mínimo de 10 anos de prática para trabalhadores intensivos e até 15-20 anos para outros. Isto não significa que tenha de se esgotar em Shiatsu, mas tem sim de se ter em conta a realidade do tempo de prática, antes de se poder considerar “bom”.

        Tempo para ensinar

        Por vezes ouvimos falar de estudantes que querem ensinar e embora isto seja muito louvável, é preciso que passem ainda pelo tempo de “forja”, como acabámos de ver, antes de poderem considerar ensinar. Nos círculos de ensino (sistemas educativos nacionais) diz-se frequentemente que um professor deve saber sempre 10 vezes mais do que aquilo que ensina. Isto só é possível para pessoas que estão constantemente a aprender ao longo das suas vidas e acumulam muita experiência na sua prática. Caso contrário, há um grande risco de não saber como responder e de faltar profundidade nas respostas. Em Shiatsu, isto pode ser perceptível no primeiro contacto.No final, as pessoas que ensinam demasiado cedo, prestam um mau serviço a si próprias e aos seus alunos. A estes estudantes falta conhecimento e experiência suficiente de tratamentos de Shiatsu no corpo. Esta é também a pior publicidade que um professor pode fazer de si próprio, porque se uma reputação pode levar anos a construir-se, leva apenas muito pouco tempo a ser demolida.

        O ensino é uma arte em si, que nada tem a ver com o domínio técnico do Shiatsu. Pode-se ser muito bom naquilo que se faz e ser completamente inútil em transmitir conhecimentos. Durante os tempos de escola, todos nós conhecemos este tipo de professor, aquele que nós adorávamos odiar. Assim, também é necessário ter formação em pedagogia, gestão de grupos, falar em público, dinâmica de aulas, o equilíbrio do ritmo de trocas entre teoria e prática, ensino de ética e deontologia, para não mencionar algumas noções úteis de gestão de finanças. Temas que nada tem a ver com o Shiatsu, que será “apenas” o conteúdo do curso. É claro que se pode aprender a ensinar enquanto se dá aulas, mas o que vai acontecer é que nos primeiros anos vamos ter alunos com uma formação deficiente. É uma escolha.

        Mais uma vez, não vale a pena correr, apressar as coisas. É preciso levar o nosso tempo, pensar bem, treinar e estruturar os cursos antes de começar. Já para não falar no muito trabalho que temos que fazer em nós próprios. Esta é a única maneira de ensinar os estudantes que irão formar as futuras gerações de profissionais, que irão por seu lado representar nosso nome, o nome da nossa escola e do Shiatsu perante o público e as autoridades. O problema é que há pouca ou nenhuma formação para os professores de Shiatsu. Temos de demorar o tempo que seja necessário antes de nos declararmos professores.

        Tempo para uma história

        Há vinte e cinco anos, durante uma das minhas viagens à China, fiz amizade com dois bandidos, verdadeiros mafiosos, no sul do país. Ao cair da noite, tomámos algumas bebidas enquanto iam passando pessoas que os cumprimentavam antes de irem trabalhar: carteiristas, prostitutas, vendedores de rua, donos de restaurantes de rua, vigaristas de cartões e mahjong, e assim por diante. Ao falar com eles, descobri que ambos tinham sido praticantes de kung fu durante pelo menos 30 anos. Pedi-lhes que organizassem um combate amigável, quando dei por mim estava num caminho estreito entre dois campos de arroz e à minha frente estava um homem pequeno mas forte. Foram precisos apenas 10 segundos para que ele me atirasse a 4 metros de distância e para eu ficar com o rabo todo molhado dentro de um arrozal. Eu desatei a rir e ninguém ficou zangado, por isso a noite continuou. Depois os meus amigos fizeram-me uma demonstração de alto nível, como aquelas que se podem ver por vezes nos grandes festivais de artes marciais na Europa e eu dei-lhes os parabéns. Perguntei-lhes de seguida se alguma vez tinham pensado em ensinar. De repente, fez-se um silêncio gelado e os meus amigos ficaram lívidos. Um deles respondeu com uma voz trémula: “Mas nós não estamos suficientemente treinados. E se o nosso mestre descobrisse que estávamos a ensinar sem terminar o nosso treino, penso que ele seria capaz de nos matar com as suas próprias mãos”. O medo estava espelhado nos seus rostos.

        Esta história permite-nos compreender a diferença de percepção do tempo e do nível entre um bom praticante no Ocidente e no Oriente. É por isso que as federações de Shiatsu ou de artes marciais argumentam que é necessário pelo menos 10 anos de prática profissional antes de se poder ensinar, porque é realmente um mini-mínimo. Não é possível ser credível a menos que se tenha pelo menos esta experiência. Pela minha parte, gostaria de acrescentar que são necessários pelo menos 8 anos de formação dentro de uma escola para começar a sentir-se legítimo na sua própria prática e encorajo todos os meus alunos a continuarem a sua viagem noutras escolas. Finalmente, em conversas que tive com diferentes personalidades japonesas e ocidentais, para as entrevistas que podem encontrar neste blog, todos eles referiram que são precisos 20 anos de prática para se tornar um especialista e 30 a 40 anos para se tornar um professor respeitável, daqueles que um dia são chamados “mestres”. Isto dá-nos tempo para amadurecer.

        Boa prática no tempo do Shiatsu.


        Autor

        Ivan Bel

        Tradutora

        Susana Martins
        Latest posts by Susana Martins (see all)
          Os Pontos Vento

          Os Pontos Vento

          Reading Time: 23 minutes

          Entre os diferentes factores climáticos que podem atacar o corpo, encontra-se o Vento. Frio ou quente, húmido ou seco, o vento junta-se a outros factores para agredir o corpo. Quem não experimentou um vento frio, desagradável na primavera ou no outono, que imediatamente agride a parte de trás do pescoço? Este é um clássico que temos de aprender a tratar. Felizmente, para nós, há muitos pontos que combatem o vento.


          O vento é a energia climática da primavera, está associado ao Elemento Madeira. Porquê repetir este facto óbvio? Porque significa que os órgãos associados à energia da Madeira são particularmente afetados por este tipo de agressão. Normalmente, o corpo está bem coberto durante esta estação e, portanto, os pontos expostos na cabeça e no pescoço são os que mais sofrerão com o Vento. Na cabeça está o meridiano da Vesícula Biliar. Vamos manter isto presente na nossa mente.

          O Vento cria facilmente tensões no pescoço que afetam tanto os meridianos da Bexiga como os do Vaso Governador. Esta tensão é também a causa das dores de cabeça occipitais. ( na região occipital).Acrescentemos novamente estes dois meridianos à nossa lista.

          Observando a natureza, vemos que o vento agita a superfície da água.  O que podemos dizer sobre o mar que se agita e cresce sob a influência do vento, formando ondas fortes? Vemos que o Vento agita ao mover-se rapidamente. Estes são dois sintomas típicos de um ataque do Vento. Dentro do sistema dos meridianos, as Vias Hídricas, (Triplo Aquecedor) será também um dos meridianos afetados.

          Mais uma vez, temos outro meridiano para incluir na nossa lista.

          Estamos sempre a respirar, pelo que o primeiro órgão afetado pelo Vento é o Pulmão. O Vento começa sempre por atacar o Pulmão e a pele. O Pulmão é associado ao Intestino Grosso, que também pode ser afetado. Portanto, vamos agora incluir estes dois meridianos na nossa lista.

          Finalmente, existem meridianos específicos que são muito sensíveis a todas as alterações climáticas ou perturbações de qualquer tipo, estes são, o Estômago e o Intestino Delgado.  A exposição da região estomacal/abdominal a um vento frio (t-shirt curta, jeans de corte baixo), pode causar rapidamente diarreia, isto porque existe muito pouca proteção entre os nossos intestinos e o mundo exterior, esta é uma das suas particularidades.

          A nossa pequena lista permite-nos compreender quais os meridianos que sofrem com o Vento e, consequentemente, desenvolver estratégias de defesa para esta agressão climática particular. É sobre estes meridianos que encontraremos os pontos mais importantes para combater os efeitos perniciosos do Vento.

          Os efeitos do Vento

          Porque devemos tratar o Vento? Porque é uma condição muito dolorosa de se sentir.  A dor muda muito rapidamente de sítio no corpo. Num momento está no pescoço, algumas horas mais tarde no ombro para finalmente terminar noutro lugar. O vento move-se, causando dores erráticas.

          Outro aspecto doloroso do Vento é que agita o corpo: observamo-lo estremecendo e tremendo ou mãos que já não se conseguem manter paradas. O Vento agita a mente. Em muitos países ou regiões onde o vento sopra durante dias, as pessoas podem ficar muito tensas, nervosas, reactivas e inflexíveis, a taxa de criminalidade tem vindo a aumentar significativamente!

          É preciso ter experimentado os ventos “autan” ou “mistral” em França para compreender este fenómeno.

          O vento agita a água, como temos notado, mas também a seca. Deixe a roupa no estendal num dia de vento e secará rapidamente. Isto também se pode verificar dentro do corpo. O vento agita os Líquidos Orgânicos. Isto não é bom porque a homeostase interna do corpo depende de um ambiente húmido.

          Como é que o Vento ataca os meridianos e os órgãos?

          Atacando repetidamente a pele que está ligada ao Pulmão. É um ataque ao nosso Wei Qi, o Ki defensivo do corpo. Se este não for suficientemente forte, então as portas (os nossos poros) estão abertas a um ataque mais profundo tanto ao corpo energético como ao físico. É assim que mudamos progressivamente de um Vento externo para um Vento interno. O Vento interno escolherá a Vesícula Biliar como um alvo favorito e a partir daí pode acabar no Fígado. Isto pode causar sérios problemas.

          Os sintomas externos e internos distinguem-se da seguinte forma:

          • Tipo externo:  Aversão ao frio ou ao vento, espirros, tosse, nariz a pingar. Febre, rigidez occipital. Irritação da garganta. Presença ou ausência de transpiração. Dores de cabeça com vento. Pulso flutuante na superfície.
          • Tipo interno: Aversão ao frio e/ou ao vento, mas as causas são devidas à agressão do Fígado. Calor extremo que gera Vento. Ascensão do Yang Fígado que se torna Vento Fígado. Esvaziamento do Sangue do Fígado ou do Yin do Fígado que gera o Vento (Vento Vazio). Tiques, tremores nervosos. Sensações de tonturas intensas. Tontura e entorpecimento. Língua com tendência para se mover para o lado quando puxada. Em casos graves: convulsões, inconsciência, hemiplegia, desvio da boca. Isto é mais comum nas pessoas idosas.

          Em conclusão, o Vento cria agitação, perturba a energia, o Sangue, a psique, o Yin. É, portanto, essencial conhecer os pontos que ajudam a expulsá-lo do corpo.

          Resumo dos Pontos

          • Pulmão: P7, P10, P11
          • Intestino Grosso: IG1, IG3, IG4, IG5, IG11, IG15
          • Estômago: E8, E36, E44
          • Coração: C9
          • Intestino Delgado: ID2, ID3, ID5, ID12, ID17
          • Bexiga: B2, B7, B10, B11, B12, B13, B17, B40, B58, B66
          • Pericárdio: PC9
          • Triplo Aquecedor: TA1, TA3, TA5, TA6, TA10, TA17
          • Vesícula Biliar: VB2, VB20, VB30, VB31, VB34, VB39
          • Vaso Governador: VG2, VG3, VG8, VG11, VG12, VG13, VG14, VG15, VG16, VG20, VG22, VG26

          Descrição dos Pontos

          LIEQUE (Sequência Descontinua) P7 (ou brecha divergente)

          Informação: Ponto de Abertura do Vaso da Concepção, Ponto Luo, Ponto de Comando Principal.

          Efeitos: Expulsar o Vento Externo da cabeça, regular Qi do Pulmão, acalmar, tosse e asma

          Combinações clássicas:

          • Calor do Pulmão e Estômago com tosse e dor de cabeça: P7, IG4, E8, E36.
          •  Vento frio no pescoço: P7, IG4, B10, B11.
          •  Invasão pelo vento frio com um fundo de sinusite crónica: P7, IG4, IG20, E2, E3, E40 em dispersão.
          •  Vento frio com descarga nasal: P7, IG4, IG20, B2.
          •  Vento frio com tosse aguda, expectoração branca e predominância de calafrios: P7, IG4, B13, VC22 em dispersão.
          •  Invasão do Vento: P7 para constipações, rinite alérgica, sinusite.
          •  Gripe: P7, IG4, B10, B11, VG16 em dispersão.
          •  Tosse por Vento Frio Externo: P7, IG4, B11, B13 em dispersão.
          •  Tosse seca pelo vento com tosse seca aguda, garganta e nariz secos, não são necessariamente sinais de Calor: B7, IG4 em dispersão, P5, R6 em tonificação.

          YUJI (Fronteira do peixe) P10  (BR: borda de peixe)

          Informação: Ponto Shu antigo, riacho de fogo

          Efeito: Dispersa o ataque externo do Vento Frio, dispersa o Fogo da Garganta e Pulmão

          Combinações clássicas:

          • Vento frio com tosse e dores de garganta relacionadas com o calor pulmonar: P10, B13, IG4
          • Calor do vento e Calor Pulmonar: P10, P11.

          SHAOSHANG (Metal Menor) P11  (BR:  jovem metal)

          Informação: Antigo ponto Shu – Poço de Madeira, Ponto Demoníaco.

          Efeito: Contra Calor do vento e Calor Pulmonar, Ponto de Reanimação

          Combinação clássica:

          • Vento quente como papeira, amigdalite, eczema, insolação: P11, IG4, IG18, E17 em dispersão.

          SHANGYANG (Yang metálico) IG1

          Informação: Ponto Shu antigo, Poço de Metal, Ponto Raiz

          Efeito: Elimina o Calor Vento YangMing

          Combinações clássicas:

          • Em casos de gripe com febre sem transpiração, dor de garganta: IG1, IG4, ID17, VG14 em dispersão.
          • Também persegue o Vento Externo durante a conjuntivite, artrite da mão e ombro: IG1, IG4, B62 em dispersão, B2, VB1 em harmonização.

          SANJIAN (Terceiro espaço) IG3 (BR: terceiro intervalo)

          Informação: Ponto Shu, Ponte corrente, Ponto Madeira.

          Efeito: Elimina o Calor do Vento em casos de inflamação aguda dos olhos.

          Combinação clássica:

          • Doença crónica devido ao Vento Frio: ID3, B62 em Harmonização ou Moxa.

          HEGU (VALE DE UNIÃO) IG4 (BR: vale do encontro)

          Informação: Ponto Fonte, Ponto comando do rosto, Ponto abortivo

          Efeito: Liberta a superfície e expulsa o vento frio externo, remove a dor, abre os orifícios, desperta o cérebro, liberta o calor intestinal.

          Combinações clássicas:

          • Dores de cabeça de vento frio com vertigens: IG4, VG14, VB20, Tai Yang.
          • Elimina vento exterior: IG4, P7 em dispersão ou IG4, R7 para acalmar a transpiração ou IG4, P7, TA5.
          • Para acalmar a hiperactividade do Yang de fígado e do Vento Interno: IG4, F3 em caso de hipertensão com tonturas, dores de cabeça, e condução agressiva. Adicionar VG20, R1 em caso de hipertensão grave e aguda.
          • Vento externo com bronquite aguda: IG4, P7, B13, E36 em dispersão.
          • Vento-calor como rinite alérgica: IG4, IG20.
          • Vento-calor com distúrbios dermatológicos: IG4, IG11, VB20, VB31.
          • Vento frio com rinite aguda, muco límpido, espirros, predominância de arrepios: IG4, IG20, P7, B11, B13 em dispersão, B2 em harmonização.
          • Vento Calor com rinite aguda, dor de garganta e olhos e prurido, sinais de Calor: IG4, IG20, P7, TA5, IG11 em dispersão, B2 em harmonização.

          YANGXI (Corrente do Yang) IG5  (BR: Riacho Yang)

          Informação: Ponto Shu antigo, rio de fogo

          Efeito: Elimina um Calor do Vento, facilita a circulação

          Combinação clássica:

          • Artrite do punho: IG5, P7.

          QUCHI (Curva do lago) IG11 (BR: Lago tortuosa)

          Informação: Antigo Ponto Shu Terra do Mar, Ponto Demoníaco.

          Efeitos: regula o Estômago e o Intestino Grosso, liberta a superfície, faz circular o Sangue, amacia as articulações e expulsa o Vento.

          Combinações clássicas:

          • IG11 e E36 retiram o vento do seu corpo.
          • Adicione VG14 e VB20 contra o bloqueio dos meridianos pelo vento frio com dor.

          JIANYU (Osso do Ombro) IG15

          Informação: ponto de cruzamento com o YangQiaoMai, com o Coração, a Bexiga e o Luo do Intestino Delgado

          Efeito: Afasta o Vento dos 4 membros, trata o Bi (reumatismo) do ombro, melhora a paralisia

          Combinação clássica:

          • Obstrução e dor na zona anterior do membro superior: IG15, IG11, IG4.

          YINGXIANG (Fragrância de boas-vindas) IG20

          Informação: Ponto de encontro do YangMing

          Efeito: A sua principal acção consiste em limpar o nariz. Elimina o Vento e o Calor.

          Combinações clássicas:

          • Em caso de Vento-Calor: IG20, TA5, IG11 em dispersão.
          • Em caso de vento frio: IG20, B10, B13 em dispersão ou Moxa.
          • Vento frio com lábios gretados e dor facial: IG20, IG4, E4, VB20 em dispersão
          • Vento frio com rigidez do pescoço e ombros: IG20, IG4, IG18.

          TOUWEI (Canto da cabeça) E8

          Informação: ponto de cruzamento com o Estômago e o YangWeiMai.

          Efeito: Afasta o Vento e o Frio, trata dores de cabeça, acalma as tonturas, trata a paralisia facial.

          Combinação clássica:

          • Vento quente crescente com enxaqueca ou dor de cabeça: E8, VB20, P7, IG4.
          • Humidade do vento quente com artrite temporomandibular: E8, E6, E7.

          ZUSANLI (Perna Três Milhas) E36 (BR : tres distancias do Pé)

          Informação:  Ponto Shu antigo, Terra do Mar, Ponto de Comando do abdómen, Ponto Abortivo, Ponto do Mar Baixo do Estômago.

          Efeito: Afasta o Vento dos 4 membros e a dor abdominal, harmoniza Sangue e Qi, fortalece o Baço e Estômago, previne a infecção…

          Combinações clássicas:

          • Bloqueio do Qi pelo frio com dor no epigástrio: E36, VC6, VC12.
          • Humidade pelo calor do vento como a artrite do joelho: E36, E35.

          NEITING (Pátio interno) E44 

          Informação: Ponto Shu antigo, riacho de água

          Efeito: Trata Vento Interno com febre e desmaios, arrefece calor/humidade YangMing (E/IG), acalma a dor.

          Combinações clássicas:

          • Elimina o Calor do Vento com dor de garganta, faringite: ID1 e ID17.
          • Calor do Vento com amigdalite, dor de garganta, dor de cabeça, hemorragia nasal, conjuntivite: ID1, B2, B67, TA3, VB1 em harmonização.
          • Vento exterior e Qi Estagnação na dor facial: ID1, ID18.
          • Calor do Vento com artrite temporomandibular: E44, E6, E7, IG4 em dispersão.

          SHAOCHONG (Ímpeto inferior) C9 (BR: Impulsão Shao Yin)

          Informação: Ponto Shu antigo poço de madeira, Ponto de Tonificação.

          Efeitos: Elimina Vento Interno com febre, delírio, convulsões e desmaios, acalma Shen, circula Qi, elimina o calor.

          QIANGU (Vale Frontal) ID2

          Informação: Ponto Shu antigo, riacho de água.

          Efeito: Elimina o Calor do Vento no ID, trata o entorpecimento do dedo mindinho

          Combinações clássicas:

          • Artrite da mão com calor e inchaço: ID2, ID3, ID5 em dispersão, B66, R6 em tonificação.
          • Vento-calor com infecção dos ouvidos: ID2, ID19.
          • Calor do vento com dor de cabeça e rigidez do pescoço: ID2, B66.

          HOUXI (Corrente posterior) ID3 (BR: Riacho)

          Informação: Ponto de abertura do vaso do governador, ponto Shu antigo, rio da madeira, ponto de Tonificação.

          Efeito: Trata Vento, Vento-Frio ou Vento-Calor, estimula o TaiYang (IG/B), elimina o Xie (perverso) para o exterior, trata a parte superior das costas, trata a epilepsia, emparelha com o B62.

          Combinações clássicas:

          • Invasão do Vento Frio com rigidez do pescoço, ombros e costas: ID3, ID12, B10, B62. Adicionar B2, B10 se dor de cabeça frontal.
          • Contra a febre, frio, gripe: ID3, VG14.
          • Vento Calor com conjuntivite, febre, artrite da mão, braço, hemorragia nasal: ID3, ID17, VG14 em dispersão, R6 em tonificação.

          YANGGU (Vale do Yang) ID5

          Informação:  Ponto Shu antigo, Rio de Fogo, Ponto Raiz

          Efeitos: dispersa o calor, suprime o vento, promove a circulação

          Combinação clássica:

          • Em caso de Vento-Calor como a papeira: ID5, ID17.

          BINGFENG (Agarrar o vento) ID12

          Informação: Trata problemas de parestesia do ombro, braço, pescoço

          Efeitos: Acalma a dor, facilita a circulação no meridiano

          Combinações clássicas:

          • Parestesia do ombro: IG7, ID11, ID12
          • Parestesia do braço: IG12, ID8, ID12, B41
          • Parestesia do pescoço: ID12

          TIANRONG (Aparência Celestial) ID17

          Informação: Janela do Céu, ponto de cruzamento com a Vesícula Biliar.

          Efeitos: Elimina o Calor do Vento, remove o Tan, trata o zumbido do ouvido.

          Combinações clássicas:

          • Calor do Vento como uma dor de garganta ou rouquidão aguda com frio ou gripe, sinais de Calor: ID2, ID17, IG4 em dispersão.
          • Vento-Calor com dor de garganta e amigdalite aguda: ID17, ID1.

          ZANZHU (Bambu de reunião) B2

          Efeitos: trata problemas oculares, purifica o calor, limpa o nariz, alivia as dores de cabeça

          Combinações clássicas:

          • Em caso de Vento Frio como congestão nasal: B2, B10, B12.
          • Durante um Vento de Calor e Fogo do Fígado, como a conjuntivite: B2, B18.
          • Em caso de Vento Frio ou Vento Quente como a rinite alérgica: B2, B67.
          • Em Vento Frio e Vento Vazio do Qi do Rim, como conjuntivite: B2, B10, B67.
          • Em Vento Calor com conjuntivite: B2, VB1 em Harmonização, VB43, TA3 em dispersão.

          TONGTIAN (Ligação celestial) B7

          Efeitos: Elimina as energias perversas da superfície, trata a obstrução nasal, expulsa o frio dos 4 membros, melhora a paralisia.

          Combinações clássicas:

          • Perda da função de disfunção do pulmão com obstrução nasal: B7, VG23, VB20, IG4.
          • Lacrimejamento excessivo, rinite, dor de cabeça, paralisia facial, hemorragia nasal, sinusite: B2 para harmonizar, B7, B67, ID3 em dispersão.

          TIANZHU (Pilar Celestial) B10

          Informação: Janela de Ponto do Céu.

          Efeitos: Dispensa o Vento Frio, alivia o pescoço, trata a perda de uso das mãos, elimina as dores de cabeça occipitais.

          Combinações clássicas:

          • Em caso de Vento Frio com dores no pescoço e na cabeça, congestão nasal e perda de olfacto, tosse, asma, dor de garganta e inchaço: B10, B2, ID12
          • Vento frio como dores e dores no pescoço e nas costas: B10, B60.
          • Invasão do vento exterior com espirros, tosse, asma, dores de garganta, dores nos ombros, pescoço e costas, frio: B2 em tonificação, B10 em dispersão ou Moxa, VG23, P7, IG4, IG20 em dispersão.

          DAZHU (Grande Vértebra) B11

          Informação: Ponto de encontro ósseo, ponto de cruzamento com o Intestino Delgado, Ponto de Mar dos 12 meridianos

          Efeitos: Liberta a superfície, fortalece os Ossos, e expulsa Vento.

          Combinações clássicas:

          • Ataque de vento frio com ascensão do Qi rebelde, dor de cabeça e vertigens: B11, B10, B60, ID3.
          • Em caso de vento frio como uma gripe com dores e dores: B11, B12, B13.
          • Em caso de Vento-Calor e calor do Pulmão como uma pneumonia: B11, B13.
          • Quando Vento Frio e Pulmão Vazio e Qi do Rim, como um frio recorrente e uma cura lenta: B10, B11, B13, B23.

          FENGMEN (Portão do Vento) B12

          Informação: Ponto de passagem, ponto de cruzamento com o Vaso Governador.

          Efeito: Elimina a invasão do Vento Externo por problemas de nariz e garganta, limpa a superfície

          FEISHU (Transportador pulmonar) B13 (BR: Ponto Shu do Pulmão)

          Informação: Ponto Shu da parte de trás do pulmão

          Efeitos: Persegue o Vento, trata o vazio ou a plenitude do Pulmão, reduz a tosse e a asma.

          Combinações clássicas:

          • Tosse fria relacionada com o vento: B13, P7, IG4.
          • Espirros, irritação da garganta, dores na parte superior das costas: B12, B13, em dispersão ou Moxa, P7, IG14, VC22 em dispersão.
          • Em caso de vento quente durante uma constipação ou gripe com dor de garganta e tosse seca: B13, P10, IG4, ID17, em dispersão.
          • Durante um Vento seco com tosse seca, nariz seco, garganta e boca: B13, P7, IG14 em dispersão, P5, P9, R6 em tonificação

          GESHU (Transportador de Diafragma) B17

          Informação: Ponto de encontro do sangue.

          Efeitos: Em caso de Calor do Vento e Calor do Sangue, abre o peito, regula o Sangue e o Qi

          Combinação clássica:

          Urticária e prurido generalizado: B17, B40, B67.

          WEIZHONG (Meio Do Gancho) B40

          Informação: Ponto Shu antigo, Terra do Mar, Ponto de Comando das Costas, Ponto do Mar Inferior da Bexiga

          Efeitos: Trata o Vento da lombar e da coxa, promove a circulação da estase sanguínea, alivia os tendões, dispersa o calor, acalma o vómito e a diarreia.

          Combinação clássica:

          • Bloqueio dos meridianos e dor na região lombar, nádegas e coxa: B40, B54, B57, VB34.

          FEIYANG (Zona de Elevação) B58

          Informação: Ponto de comunicação da bexiga.

          Efeitos: Combate a invasão do Vento Externo, acalma as dores, facilita a circulação

          Combinação clássica:

          • Vento externo com obstrução nasal, dor de cabeça, artrite das pernas: B58, B2, B10, B12, B62, IG3, IG20 em dispersão.

          TONGGU (Vale de ligação ao Pé) B66

          Informação: Ponto Shu antigo, riacho de água.

          Efeito: Dispersa o Vento e Dispersa o Calor (Externo e Interno) com a Febre do Pescoço Rígido

          Combinação clássica:

          • Dor de cabeça, tonturas, hemorragia nasal: B66, IG4, VG14, VG16 em dispersão.

          ZHONGCHONG (Ímpeto Médio) PC9

          Informação: Ponto Shu antigo, poço de Madeira, Ponto de Tonificação.

          Efeitos: Elimina o Vento, dispersa o calor do Coração, faz o Sangue circular, abre os orifícios, faz com que se recupere a consciência.

          GUANCHONG (Passagem Impetuosa) TA1

          Informação: Ponto Shu antigo, poço metal.

          Efeito: afasta o Vento Interno em casos de febre, insolação ou mesmo perda de consciência, dispersa o calor, desperta o Shen.

          Combinações clássicas:

          • Para eliminar o Calor do Vento: de TA1 a TA10.
          • Calor do Vento com lábios secos e dolorosos, boca e garganta: TA1, TA4, R6, BP6, E36 em alinhamento.
          • Calor do Vento com artrite dos dedos e da mão: TA1, TA2, TA3, TA4, VB43 em dispersão, R6 em tonificação.
          • Calor do vento, Fígado em fogo com conjuntivite: TA1, VB44.
          • Vento-calor com urticária: TA10, VB31.
          • Vento – Calor com problemas de olhos e ouvidos: TA1, TA3.
          • Vento-Calor com problemas de garganta: TA1, TA10.

          ZHONGZHU (Ilhéu Central) TA3

          Informação: Ponto Shu antigo, rio da madeira, ponto de tonificação

          Efeitos: Dispersa calor, abre orifícios, alivia tendões e fortalece as articulações.

          Combinações clássicas:

          • Vento-Calor com distúrbios oculares e dores de cabeça: TA3, TA23.
          • Calor de Vento com dor de garganta ou rouquidão aguda com frio ou gripe, sinais de Calor: TA3, TA5, P7, IG4 em dispersão.

          WAIGUAN (passagem exterior) TA5

          Informação: Ponto de Abertura V ligação de Yang , Ponto de Comunicação Luo.

          Efeitos: elimina o calor e acalma o Vento.

          Combinações clássicas:

          • Dispersa o calor do vento como na gripe com febre e dor de cabeça: TA5, IG4 ou VB20, VG14.
          • TA5 e VB41 em associação eliminam o Calor do Vento e o calor do Fígado e da VB e tratam: náuseas, soluços, vómitos, dores de cabeça, eritema ocular, obstrução nasal, zumbido, odontologia, obstrução da garganta.
          • Contra o Vento Calor como a gripe com febre e dor de cabeça: TA5, IG4, VB20, VG14. Em caso de Vento Frio ou invasão de vento agudo.
          • Doença crónica devido ao Vento Quente: TA5, VB39 em dispersão.

          ZHIGOU (Vala de Ramificação) TA6

          Informação: Ponto Shu antigo Rio de Fogo, Ponto Raiz

          Efeitos: Dispersa o calor do Aquecedor Triplo, abre os orifícios e expulsa o frio quente.

          Combinação clássica: Vento-Calor com urticária: TA6, TA10.

          TIANJING (Poço Celestial) TA10

          Informação: Ponto Terra do Mar. Ponto de Dispersão de Fogo

          Efeitos: Purifica o calor, transforma a coloração da pele

          Combinação clássica: Vento-Calor com urticária: TA10, VB31.

          YIFENG (Guarda Vento) TA17

          Informação: Ponto de cruzamento com o Shao Yang do pé, Ponto da Janela do Céu

          Efeitos: Dispersa a estagnação do Qi e do Sangue, expulsa o Vento perverso, purifica o calor

          Combinações clássicas:

          • Vento-Calor com problemas de ouvido: TA17, TA1.
          • Vento-Calor com dor de garganta e conjuntivite: TA17, TA2, TA23.

          TINGHUI (Encontro da Audição) VB2

          Efeitos: Trata problemas de ouvido devido a Vento Frio ou Vento Quente, abre os orifícios

          Combinações clássicas:

          • Vento frio com dores de ouvido: VB2, VB20 em harmonização, TA5, IG4 em dispersão.
          • Vento Calor com inflamação do ouvido e dor de garganta: VB2, ID17 em harmonização, TA5, ID2 em dispersão.

          FENGCHI (Lagoa do Vento) VB20

          Informação: Janela de Ponto do Céu.

          Efeito: Contra vento externo, limpa a superfície, clarifica a cabeça e os olhos, fortalece o cérebro, acalma o Shen.

          Combinações clássicas:

          • Ataque do vento externo com dor de cabeça e vertigens: VB20, VG1, lG4.
          • Dispersa Vento Frio ou Vento de Calor.
          • Vento-Calor com eczema alérgico: VB20, VB31, VB44.
          • Vento hepático com raiva reprimida, tremores, espasmos e dores musculares: VB20, VB21, VB34, F3 em dispersão.
          • Vento hepático com espasmos musculares, tremores, vertigens, convulsões, confusão mental, epilepsia, hemiplegia: VB20, VG20, F3, R1, E40, PC5 em dispersão, BP6, R3, em Tonificação, Moxa.

          HUANTIAO (Círculo de Salto) VB30

          Informação: ponto de cruzamento com a Bexiga

          Efeito: Elimina o Vento Frio e a Humidade, fortalece tendões e articulações.

          Combinação clássica:

          • Bloqueio dos meridianos com dor na região lombar, no joelho e no lado exterior da perna: VB30, VB34, VB39.

          FENGSHI (Mercado do Vento) VB31

          Efeito: Trata o Vento da lombar e da coxa, dispersa a humidade, revigora o Luo.

          Combinação clássica:

          Bloqueio dos meridianos e dor na região lombar, nádega e coxa. Vento quente com urticária: VB31, TA10.

          YANGLINGQUAN (Nascente do monte do Yang) VB34

          Informação: Ponto Shu antigo, Terra do Mar, Ponto de encontro dos Tendões.

          Efeito: Afasta o Vento dos 4 membros e relaxa os tendões, elimina a estase e circula o Qi.

          Combinações clássicas:

          • Dor da face externa do membro inferior com dificuldade em andar: VB24, VB30, VB39. Acalma o Vento do Fígado.

          XUANZHONG (Ajuda de Yang) VB39

          Informação: Ponto de encontro das Medulas.

          Efeitos: purifica o calor do Fígado e do VB, fortalece o Yang, energiza a medula, revigora o Luo

          Combinação clássica:

          • Acalma o Vento Interno: VB39, F3.

          YAOSHU (Shu Lombar) VG2

          Informação: Ponto de acordo

          Efeitos: afasta Vento (interno e externo) e Humidade, purifica o calor, fortalece a região lombar e os joelhos

          YAO YANGGUAN (Portão de Yang Lombar) VG3

          Efeitos: afasta o Frio e a Humidade, tonifica o Rim, fortalece a região lombar e os joelhos

          Combinação clássica:

          • Rigidez e dor da região sacro-lombar após uma humidade do vento frio: VG3, VG4, B23, B25, B60 em Harmonização ou Moxa.

          JINSUO (Contração dos Tendões) VG8

          Efeitos: Trata Jing Feng (Vento com convulsões) do Fígado, dor nas costas e região lombar

          Combinação clássica:

          • Regula o Vento Interno do Fígado: VG8, VG9, VG17, F3, B18, B20, B23, R6

          SHENDAO (Caminho do Espírito) VG11

          Efeitos: Trata o Shen, purifica o calor, alivia a dor nas costas e cura a tosse

          Combinação clássica:

          • Tonturas, dores de cabeça, dores no peito, irritabilidade, agitação, palpitações. Em associação: VG11, VG20, F3, VB34, R3.

          SHENZHU (Pilar do Corpo) VG12

          Efeitos: Trata convulsões epiléticas em crianças (uma das formas de Vento), suporta Zhen Qi.

          Combinação clássica:

          • Vento frio externo com dor de cabeça e pescoço rígido: B12, VG16, ID3, B60.

          TAODAO (Caminho da Felicidade) VG13

          Efeitos: acalma o Espírito, liberta a superfície, purifica o calor e dispersa o Vento, suporta o Zhen Qi e expulsa o perverso (Xie), regula o Yang. Para ser utilizado em caso de febre, arrepios.

          Combinações clássicas:

          • Em caso de invasão de Vento Externo com espirros, corrimento nasal, dores generalizadas e dores no pescoço e occipital , medo de frio: VG13, VG14, B10, B11, IG4, E36 em dispersão ou Moxa.
          • Em caso de invasão do Vento-Calor com dor de garganta, febre, tosse, urticária ou eczema: VG14, P7, IG4, B40 em dispersão.

          DAZHUI (Grande Vértebra) VG14

          Efeitos: alivia a superfície, acalma a asma, elimina o calor, trata os ataques de Feng Shi Bing (vento/frio/humidade)

          Combinações clássicas:

          • Controla a subida do vento a seguir a uma febre: VG14, VG16.
          • Elimina a invasão do Vento Externo: VG14, VG15, VG16 ou VG14, VG16, IG4, IG20, P7 em dispersão em caso de constipação com rinite e dores no pescoço.
          • Trata um Vento Interno: VG14, VG20.
          • Vento Calor com febre, sede, vermelho, dores de garganta e garganta inflamada, muco nasal amarelo: VG14, TA5, IG11 em dispersão.
          • Vento Calor como frio com tosse aguda, dor de garganta e predominância de febre: VG14, VC22, P7, IG4, TA5 em dispersão.
          • Contra uma invasão do Vento Frio de Tai Yang:  Moxa no VG 14

          YAMEN (Porta da Mudez) VG15

          Informação: Ponto de cruzamento com o Yang Wei Mai, Ponto de mar de Qi

          Efeitos: Dispersa o Vento Interno, os distúrbios da mente. Contra a invasão do Vento Externo e purifica o calor. Para ser utilizado em caso de dores de cabeça e sensações de tonturas, apoplexia ou epilepsia, efeitos secundários de hemiplegia ou perturbações da fala.

          Combinações clássicas:

          • Vento frio com dores de cabeça occipitais agudas, dores musculares no pescoço e ombros, frio ou gripe: VG15, VG14, P7, IG4, B10, B11 em dispersão.
          • Contra uma invasão do Vento Frio de TaiYang: Moxa no VG15.

          FENGFU (Palácio do Vento) VG16

          Informação: Ponto Demoníaco, Ponto Mar de Medula, Ponto janela do céu, ponto de cruzamento com os YangQiaoMai e YangWeiMai.

          Efeitos: trata doenças do Vento, purifica o calor, limpa o cérebro

          Combinações clássicas:

          • Vento frio exterior com dor de cabeça e pescoço rígido: VG16, B12, ID3, B60. Acalma o Shen.
          • Sensações vertiginosas, dores de pescoço, dores de cabeça, confusão mental e falta de clareza de espírito: VG16, VG20, F3, VB20, B34 em dispersão e F3 em tonificação.
          • Contra uma invasão do vento frio do TaiYang:  Moxa no VG16.

          BAIHUI (Cem Encontros) VG20

          Efeitos: Trata a apoplexia, dispersa o Vento, limpa as tonturas

          Combinações clássicas:

          • Ressuscitação: VG20, VG26, R1, PC8.
          • Contra Vento Interno e hiperatividade do Yang do Fígado com hipertensão, dores de cabeça, tonturas, tinido, derrame e os seus efeitos secundários: VG20, VG1, F3, IG4 em dispersão.

          XINHUI (Encontro das Fontanelas) VG22

          Efeitos: alivia as tonturas, persegue o Vento, acalma convulsões infantis

          Combinação clássica:

          • Acalmar o vento. VG22, C5, TA5, F3, VB20, IG11.

          RENZHONG (Meio da Pessoa) VG26

          Informação: Ponto Demoníaco, ponto de cruzamento com o YangMing, área de cruzamento do ChongMai e RenMai.

          Efeitos: Ponto de reanimação, elimina a obstrução, reaviva o cérebro, acalma Shen, purifica o calor, trata a apoplexia.

          Combinações clássicas:

          • Ressuscitação: VG26, VG20, R1, PC8.
          • Vento frio com paralisia facial: VG26, VC23, E4, E36, IG4, IG20, pontos locais. 

          Bónus:

          GV + vaso Yang Talon.

          Persegue o Vento Externo.

          Navio Yang Link.

          Contra o Vento-Calor.


          Fontes :

          • Ryoho Shiatsu 4º ano de curso. Ivan Bel.
          • “Vade-mecum de Shiatsu thérapeutique” Bernard Bouheret. Edições Quintessence 1990.
          • “l’Esprit des points ” Philippe Laurent, Editions YouFeng 2010
          • www.lartetlavoie.fr ” Classification fonctionnelle des points d’acupuncture ” Doutor Marc Barrault. DIU acu-obst. Lille, França.
          • www.institut-yin-yang.com Instituto Yin-yang. Trabalho de Zhang Di Fen do Hospital de Medicina Chinesa “Hu Guo Shi” em Bei Jing. Trabalho do Professor Wei Feng Po na utilização dos quatro “Pontos de Vento”.
          • www.acupression.fr, Anne Cossé
          • A Revista Francesa de Medicina Tradicional Chinesa. Tran Viet Dzung. 1985 / 108, 28-29.
          • “Art et pratique de l’acupuncture et de la moxubustion” Volume 1. p 61 Nguyen Van Nghi, Tran Viet Dzung e Recours Nguyen. Edições NVN.
          • www.bazante-shiatsu.fr/medecine-chinoise/traitement-des-douleurs
          • “Shiatsu for Dummies”. p 243 Synthia Andrews, Bobbi Dempsey e Michel Odoul. PRIMEIRAS Edições 2009.
          • “Les tremblements”. Doutor Jean Yves Henry.
          • “Dictionnaire de médecine énergétique chinoise de A à Z”. Anne Ducasse. P 323, 324, 325.
          • “Associations de points: la clé du succès en acupuncture”. Jeremy Ross Editions Satas.
          • “Le diagnostic en Médecine Chinoise” p 943 à 946. Giovanni Maciocia, Editions Satas 2006.
          • www.fac.zhongyi.net/ Doutor Genming Huang
          • “Abrégé d’acupuncture”. AGMAR. Colecção Fondation Lebherz.

          Autores: Nathalie VOLTERS & Ivan BEL

          Tradução: Fernanda Sousa Tavares

          Os pontos “Porta” no Shiatsu

          Os pontos “Porta” no Shiatsu

          Reading Time: 19 minutes

          Os pontos  “Porta” são geralmente conhecidos pelos praticantes de Shiatsu, mas não são vistos como formando uma família terapêutica por si só. Isso é uma omissão, pois esses pontos podem ser de grande interesse para todos os praticantes. Vamos redescobrir esse emocionante grupo de pontos!


          Diz-se que os pontos  “Porta” são a abertura ou a fechadura  do fluxo de energia entre as camadas internas e externas do corpo. Em termos chineses, isto é conhecido como a gestão dos fluxos de entrada e saída de energia. É demasiado precipitado pensar que o fluxo de energia segue apenas o padrão longitudinal dos meridianos, uma vez que estes seguem efetivamente 8 vias: para cima e para baixo, direita e esquerda, frente e para trás, para dentro e para fora. Mas será que o Qi pára na camada de pele? Não, longe disso.

          Torii, porta simbólica através da qual se pode ver a Terra e o Céu.

          A energia interior está ligada à natureza e, por conseguinte, continua naturalmente o seu caminho para tudo o que a rodeia. Em troca, a energia do nosso ambiente impregna o corpo. Pense nos efeitos dos banhos de sol ou de um passeio na floresta e compreenderá facilmente que a natureza tem uma influência constante no nosso corpo. O papel dos pontos de passagem é permitir esta interligação entre o interior e o exterior, ligando assim o indivíduo ao mundo.

          Como funciona um ponto de porta

          O objetivo de uma porta é abrir e fechar no momento certo . Por outras palavras, deve permitir abri-la quando se quer ir para casa e fechá-la quando se sai. O mesmo se aplica ao corpo energético. Quando a energia à sua volta é agradável e ressoa positivamente com a sua, os pontos  “Porta”devem ser abertos para deixar esta energia fluir para dentro. Quando a envolvente é desagradável , ou mesmo prejudicial, é melhor que os pontos  “Porta” sejam fechados, para evitar efeitos perniciosos. Basta levar dois minutos para imaginar qual é a energia que se aproxima de uma lixeira aberta, de uma fábrica química, de uma zona de guerra, ou mesmo de uma atmosfera familiar pouco saudável…. compreenderá como esta energia pode ser nociva para o seu corpo e para a sua psique.

          Além disso, quando este tipo de energia entra no corpo, notamos frequentemente arrepios, um corpo que se fecha (braços cruzados) e a pessoa diz que não se sente bem, o que demonstra que somos inteiramente sensíveis às influências energéticas que nos são prejudiciais.

          Por outro lado, se a porta permanece fechada quando se quer voltar para casa, e se recusa a abrir quando se quer sair, isto é definitivamente no mínimo irritante. E se a porta continuar aberta quando já tiver regressado a casa, é também uma preocupação, pois todos poderão entrar na sua residência.

          Em suma, em todos os casos em que a porta não cumpre o seu objectivo, deverá chamar um serralheiro. Para o corpo energético, se os pontos da porta se recusarem a abrir quando poderia estar a receber vibrações positivas e nutritivas, está a perder uma oportunidade de fazer o bem a si próprio. O contrário também ocorre quando se permite que uma energia negativa esteja presente quando não se está num bom espaço; isto pode levar a todo o tipo de perturbações. O serralheiro é então chamado “Shiatsu-shi” ou “acupunturista”, e em ambos os casos o seu trabalho será restaurar a  abertura/fechamento funcional preciso destes pontos.

          Uso de pontos de porta

          Uma vez que estão a interagir com o exterior graças às suas capacidades de abertura/fecho, os pontos “Porta” são também muito sensíveis ao stress climático, especialmente em caso de disfunção. Os chineses reforçam-no para evitar a agressão da chuva, frio, calor, mas especialmente contra o Vento Patogênico, cujos efeitos temem sempre. Assim, consegue-se um benefício imediato ao estimular os pontos  “Porta” especialmente durante as inter estações do ano. Os pontos “Porta” não são apenas os santuários onde a energia dos meridianos interiores encontrará a energia exterior que nos engloba, eles também nos apelam sobre as relações e a comunicação.

          Isto é particularmente relevante quando a “Porta do Coração/Espírito” aponta, o famoso Shenmen (ou Shinmon em japonês) está obstruído. A energia estagnada neste ponto já não permite à mente apreender corretamente (ou seja, pensar claramente) o seu ambiente e assim interagir com ele em conformidade (ou seja, no seu tempo certo e correto). A interconexão (de uma forma comum) permite que um estado “na relação” reciprocamente, o que inclui noções como observar, manter a distância adequada, interpretar adequadamente e muitos outros princípios da nossa psicologia. Para compreender isto, precisamos de saber que os pontos Homens (em chinês) ou Mon (em japonês) estão escritos 門. Este personagem representa uma porta, uma passagem, com duas portas lado a lado, semelhante à porta basculante utilizada nos bons velhos filmes ocidentais. Este carácter é utilizado como chave central para formar muitas palavras muito significativas, tais como 閃 (shǎn, homem que brevemente cola a cabeça à porta para olhar; espião) ou 間 ( jiān, sol a espreitar através da porta; interstício; espaço). Esta é exatamente a sensação que encontramos quando trabalhamos nesta família de pontos: permitimos um espaço para que o ser humano possa observar e trocar, mesmo que brevemente, com o seu ambiente, ou permitir-lhe dar um passo atrás em relação aos seus problemas.

          Permitir que um indivíduo se reconecte com o seu ambiente é muito útil quando o indivíduo se desligou do mundo ou dos seus laços familiares. Há muitas razões para isto: depressão, drogas, crise adolescente não ouvida e não falada, traumas familiares e/ou pessoais, trabalho esmagador na vida, fadiga e tensão emocional, trabalho sob constante stress num ambiente difícil, etc. A partir da experiência clínica, estes pontos devem ser utilizados para libertar um indivíduo de uma situação em que ele ou ela está preso, o que, a propósito, poderia levar a possíveis surtos emocionais de despedimentos nas costas. É por isso que é melhor lidar com os pontos “Portão” relacionados com os meridianos que são afetados. O tratamento de todos os 22 pontos de ‘Portão abre o caminho”; numa sessão é como dar um pontapé de saída. Pela minha experiência, os efeitos secundários para tal cura sempre foram duros para o receptor, mas provaram ser salva-vidas. Não só é necessário ter uma boa razão para os utilizar a todos ao mesmo tempo e para avisar os doentes sobre possíveis efeitos Menken (retrocesso do tratamento), mas também obter o seu consentimento total antes de seguir este caminho. É por isso que é mais apropriado utilizar parcialmente estes pontos.

          Distribuição dos pontos “Porta”

          Com exceção de dois deles – o Intestino Grosso e o Intestino Delgado -, todos os meridianos têm pontos “ Porta”. Uma vez que estes dois órgãos são considerados como as portas de entrada que se abrem para o exterior (através do ânus), não necessitam, portanto, de mais aberturas, mesmo energéticas. Isto também implica que ambos os intestinos são diretamente sensíveis ao que está a acontecer no exterior.

          Este é tipicamente o caso quando experimentamos “sensação intuitiva” ou quando apanhamos uma forte sensação de frio no nosso estômago. Em ambos os casos, o sintoma aparece imediatamente, sem passar por fases diferentes como é normalmente o caso [i].

          Deve também chamar-se a nossa atenção para o fato de alguns meridianos terem muitos pontos  “Porta” enquanto outros têm apenas um. Por exemplo, três estão localizados no meridiano do Estômago (o que o torna por isso altamente sensível ao seu ambiente) e até cinco no Bexiga, este grande meridiano que comunica muito eficazmente com os órgãos do corpo (através dos pontos Shu transportado no dorso), o corpo superior e inferior, o lado fisiológico e a psique (através das suas duas vias separadas no dorso). O meridiano da Bexiga é sobretudo um meridiano transmissor, uma vez que também sente o seu redor.

          Precisamos também de realçar o papel dos pontos “Porta” no ciclo energético dos 12 meridianos, uma vez que Pulmão 2 (Portal das Nuvens) marca (perto de um ponto) o início da grande distribuição do Qi um ciclo de 24 horas, que terminará em Fígado 13 (Portal Brilhante ) e Fígado 14 (Portal da Esperança  ou Portal Cíclica), os dois últimos pontos do ciclo. Caso contrário, podemos considerar que o início e o fim o fluxo Qi dos 12 meridianos são feitos como resultado de trocas entre o Qi interno e o Qi externo ligando assim o ser humano a um espaço mais amplo que vai acima e para além do seu próprio corpo.

          Resumo dos pontos “Porta”

          • Pulmão: P2
          • Estômago: E21, E22, E24
          • Baço – Pâncreas: BP11,BP12
          • Coração: C7
          • Bexiga : B12, B37, B47, B51, B63
          • Rim: R21
          • Pericárdio: PC4
          • Triplo Aquecedor: TA2, TA21
          • Vesícula Biliar: VB25
          • Fígado: F13, F 14
          • Vaso de Concepção: VC5
          • Vaso Governador : VG4 e VG15

          P2: Portal das Nuvens (Yunmen)

          Informação: Ponto no ápice do pulmão, onde Kong Qi (Qi do ar) se mistura com Gu Qi (Qi do alimento).

          Função: regula o Qi pulmonar, dissipa a tristeza, alivia a circulação de energia no meridiano, e trata o entorpecimento no braço.

          E21 :  Porta de Feixe (Liangmen)

          Informação: Esta é a barreira do estômago, portanto uma obstrução devida à comida (a palavra Liang vem de Liangshi que significa comida) que fecha o trânsito. Dissolve a estagnação de cereais, plantas leguminosas e frutos.

          Função: regula a energia do Estômago, liberta a plenitude, elimina o calor, trata os espasmos do piloro, alivia a descida dos alimentos, Qi, Umidade e muco.

          E22 : Porta de Passagem (Guanmen)

          Informação: Guan representa uma barra de madeira que fecha uma porta, por isso é a sensação de obstrução que predomina aqui, enquanto que a porta deve permitir o livre acesso.

          Função: trata o vazio do Estômago e do Baço, harmoniza o Yangming (E-IG), trata o edema porque”os Rins são a porta para o Estômago”

          E 24: Porta da Carne Escorregadia (Huaroumen)

          Informação: também tem o nome de Huayoumen, ou Porta do piloro liso. Este ponto refere-se ao intestino delgado  que é flácido em consistência e de aspecto liso ou escorregadio. Este ponto é a passagem entre o Estômago e o Intestino Delgado . É 2 cun em frente a Shuifen cujo papel é a separação entre o puro e o impuro. Devido à sua função, à sua relação com a digestão e a carne, é considerado como a porta de entrada para o elemento Terra. Dispersa a estagnação da carne e da gordura.

          Função: Abre o piloro, regula o estômago, purga o intestino grosso e trata a loucura

          BP 11: Porta da Cesta  (Jimen)

          Informação: Na perna, cada articulação é potencialmente uma barreira, uma área que serve para bloquear a progressão de uma doença (ver a teoria do fluxo dos 5 antigos pontos Shu). Este ponto é, portanto, a última posição perante a anca e o acesso aos órgãos. Por conseguinte, serve como um filtro.

          Função: reforça o Baço, elimina a umidade, trata o gânglio da virilha

          BP12 : Portal da Pulsação (Chongmen)

          Informação: O seu nome provém das batidas distintas da artéria femoral. O seu nome Portal da Pulsação indica que abre a passagem de Qi para a parte superior do corpo. Outro nome é “Porta  do cruzamento ”  Ainda outro nome é “Portal para a Encruzilhada” porque pertence tanto a Yin Wei Mai (Veículo de Ligação Yin) quanto a Jue Yin (Mestre Coração-Fígado).

          Função: Regula e fortalece o Qi do Aquecedor Médio, Melhora a Circulação do Corpo Superior e Inferior, Esfria o Calor/Umidade, Regula as Funções do Qi, Trata  Shan

          C7: Porta do Espírito ou do Coração (Shenmen)

          Informações: Ponto Shu-rio do Coração, Ponto Fonte do Coração, Ponto Terra dos 5 antigos Shu do Coração, Ponto Filho (Terra) do Coração (Fogo)

          Em Suwen também é chamado de “palácio de esplendor luminoso”. Shen pode ter dois significados: espírito relacionado ao pensamento ou vitalidade relacionada ao Yang. Ótimo ponto de tratamento da cabeça quando está muito cheia de pensamentos e em todos os distúrbios psicoemocionais em geral.

          Função: Tonifica o Qi do Coração, Acalma a Mente, Tonifica o Sangue Acalma Shen, Dispersa o Fogo do Coração, Abre Orifícios, Promove o Sono, Trata a Epilepsia, Interrompe a Perda Seminal, Alivia a Perda de Memória, Processa as regras perturbadas pelas emoções.

          B12: Portal dos Ventos  (Fengmen)

          Informação: também ponto de passagem com o Vaso Governador. Também leva o nome de “Palácio do Calor” por sua ação contra o Calor. Sua localização geográfica o torna sensível ao Vento, que afeta particularmente os Pulmões (está logo acima de V13, o ponto Shu da parte posterior do Pulmão) e enfraquece o Taiyang (Bexiga-IG).

          Função: libera a superfície, expulsa o Vento, Frio, Umidade e Calor, elimina a invasão do Vento Externo para problemas de nariz e garganta.

          B37: Porta da Abundância  (Yinmen)

          Informação: Também conhecido como “Portão Roxo” e “Portão da Abundância”, este ponto fortalece o poder das costas. Mobiliza todo o corpo em todas as direções, como um dançarino. Seu caráter  Yin significa “dançarina que balança as armas em uma dança ritual”, daí sua ação na mobilidade.

          Função: fortalece as costas (músculos e tendões).

          B47: Porta do Huno ou Porta da Alma Etérea (Hunmen)

          Informação: O Huno está ligado ao Yang original. Ele permite que o Shen do homem ressoe com o Shen do Universo. Este ponto é, portanto, um grande ponto de comunicação entre o Universo e o Homem.

          Função: regula o Fígado, trata o peito e os lados, ativa a imaginação, a criação, a comunicação, permite a abertura  para o mundo e troca do  seu dinamismo vital,  entusiasmo e sentimentos com os outros, reativa os impulsos da vida.

          B51: Porta das membranas ou gordura do Coração (Huangmen)

          Informações: este ponto afeta o diafragma, as membranas, mais particularmente as membranas gordurosas do abdome, as fáscias… Esses tecidos estão ligados energeticamente ao Triplo Aquecedor. Diz-se dele no  Nei Jing  que “no interior do corpo [o TR] inclui todas as vísceras; é a “grande entranha” da cavidade toraco-abdominal”.

          Função: Regula o Estômago e o Intestino Grosso, reduz e dissolve o acúmulo de alimentos, dissolve grumos, trata a sensação de “enjoo”.

          B63: Portão de Ouro  ou Portão Dourado (Jinmen)

          Informação: Ponto da fenda  ou ponto de empilhamento (Xi). Ponto de partida do Yang Wei Mai. Este ponto também tem outros nomes como” Ponte do Desfiladeiro” e “Passagem da Ponte”, ambos indicam que este ponto permite a passagem de um e de outro acesso direto a outro banco. Se é “precioso” ou “ouro”, é porque é o ponto de partida do Yang Wei Mai (Vaso de ligação do Yang) e trata a epilepsia. É, portanto, uma porta preciosa que dá acesso à mente.

          Função: dispersa o calor, abre orifícios, acalma o Shen, trata a epilepsia e convulsões, cistite e dores abdominais.

          R21: Portão Pilórico ou Porta Obscura  (Youmen)

          Informação: Ponto de cruzamento com o Vaso Penetrante (Chong Mai). Este ponto tem uma longa lista de apelidos como “porta silenciosa, escura, estreita, tênue, solitária, profunda, sutil”… Esses nomes evocam a ideia de uma passagem difícil onde “é preciso morrer para o  eu menor para renascer o eu maior (Bernard Bouheret). O indivíduo deve passar por uma etapa em sua jornada pessoal. Seu antigo nome é “Portão Superior” (shangmen).

          Função: regula o Estômago, faz descer o  Qi e refluxo contra a corrente o (Qi rebelde), acalma a dor, trata os seios, interrompe as náuseas e vômitos durante a gravidez (mas não só), permite que o Qi circule livremente no Peito

          PC 4: Porta  da fenda  Xi (Ximen)

          Informação: Ponto de Fenda (Xi) do meridiano do  Coração, Meridiano do Pericárdio Outro nome: porta dividida. Em outras palavras, é uma porta de acesso a problemas na fase aguda ou em caso de sangramento (como todos os pontos Xi do tipo Yin).

          Função: Acalma o Coração e Shen, regula o Sangue e o Qi, limpa a estase, pára o sangramento, levanta  obstruções nos meridianos e acalma a dor.

          TA2: Portal do Fluído (Iêmen)

          Informação: Também conhecido como “Portão da axila” ou  “Portão Lateral”. O personagem Ye é o de Jinye (Líquidos Orgânicos). É também o ponto  Yin-Gush  do Triplo Aquecedor e o ponto de Água do meridiano.

          Função: dispersa o Calor do Triplo Aquecedor, desperta o Shen, tonifica os tendões, elimina dores de cabeça, atua no problemas de ouvido, dispersa o calor da cabeça, levanta as obstruções do meridiano (dor do braço, vermelhidão e inchaço do dorso da mão, contratura dos dedos, dor no punho). Ao transfixar a acupuntura  para TA3, ajuda a eliminar a dor no ombro quando outros métodos falharam.

          TA21: Portão da orelha (Ermen)

          Informação: Outros nomes: “audição fraca, na frente da orelha, cavidade óssea do olho, cavidade óssea do arco zigomático”. Devido à sua localização geográfica, influencia a audição em geral, da mesma forma que TA17, VB2 e IG19. Mas na sua função de ponto “PORTA”, cuida das entradas/saídas ao nível do ouvido, portanto da vibração energética do que é dito e do que ouve.

          Função: abre os orifícios, acalma a odontalgia, trata a secreção purulenta do ouvido, zumbido, surdez com dores de cabeça, surdez, acalma vermelhidão e inchaço do ouvido, útil na rigidez do pescoço,  lábios e gengivas

          VB25: Portão da Capital (Jingmen)

          Informação: Outros nomes: “ponto de Qi, ponto de residência de Qi, porta do tórax”. Também ponto  Mu (Bo) do Rim , ponto de partida do Dai Mai (Vaso da Cintura). Antigamente, Jing era associado ao personagem Gao que significa “pavilhão elevado” para indicar que é a parte superior do corpo, portanto o tórax. Note-se que no chinês  Jing  no primeiro tom é homófono de Jing (quintessência armazenada pelos Rins) e Jing (medo, sentimento ligado aos Rins).

          Função: aquece e tonifica o Yang do Rim, alivia a dor nos lados  e na região lombar, , trata problemas de pedra nos rins, regula a via da água  no Aquecedor Inferior (problemas urinários), regula o Baço e os intestinos (roncos, diarréia).

          F13: Portal Brilhante  (Zhangmen)

          Informação: Outros nomes: ponto de cotovelo, apaziguamento duradouro, cavidade óssea do flanco, costelas flutuantes, porta traseira da fortaleza, porta de manifestações. Outras funções: Ponto Mu (Bo) do Baço, ponto Hui-Reunião dos órgãos (Zang), ponto de intersecção do Fígado e da Vesícula Biliar. A palavra  Zhang   tem os significados de “completo, ordem, arranjo, regra, lei, modelo, exemplo, distinção…”, o que esclarece seus efeitos. Ou seja: F13 é sempre dispersado, nunca tonificado.

          Função: Regula e fortalece o Qi do Fígado e do Baço, dispersa a estagnação do Fígado, revigora  o Sangue, transforma  e  purifica o Calor, dispersa a Umidade, dissipa acumulações e endurecimentos.

          F14: Terminal ou portão de período (Qimen)

          Informação: Também conhecido como “Portal Cíclico”, simboliza o fim de um ciclo de 24 horas, ou o fluxo de Qi através dos 12 meridianos. Outras funções: Ponto Mu (Bo) do Fígado, ponto de cruzamento com o Tai Yin (Baço-Pulmão) e o Yin Wei Mai (vaso Yin da conexão), ponto Chu (saída do meridiano).

          Função: fortalece o Baço, harmoniza o Estômago, elimina a estagnação do Qi do Fígado, regula a energia, revigora  o Sangue, dissolve o Tan.

          VC5: Portão de Pedra (Shimen)

          Informação: Ponto Mu (Bo) do Triplo Aquecedor. O nome “Portão de Pedra” vem do fato de que quando o ventre de uma mulher não dá vida, é considerado pelos chineses como feito de pedra porque “em pedra nada cresce”. Isto indica a relação do ponto com problemas de fertilidade. Outros nomes: “Portão da Vitalidade, Portal dos Pontos, Campo de Cinábrio, revelou Jing, Força Auspiciosa”.

          Função: regula a menstruação, interrompe a leucorréia (descarga não sanguínea do trato genital feminino) e amenorréia, aquece os Rins, fortalece o Yang, elimina a umidade, trata a disúria e a retenção urinária, promove a abertura da Via aquática (TA), trata o edema do abdômen , distúrbios de fertilidade, melhora o apetite, alivia a diarréia devido a alimentos não digeridos

          VG4: Portão da Vida ou Destino (Mingmen)

          Informação: Outro nome: Portão do Mandato Celestial. O significado do personagem Ming é “ordenar, comandar, decretar do céu, destino, fortuna, lote atribuído, destino, vida”… Trata-se portanto, a atribuição  de vida atribuída a cada um, que nos informa da importância do ponto que toca a energia original (Yuan Qi), a força vital. No  Nan Jing ( clássico das dificuldades )  encontramos  “Ming Men, é onde reside o Jing/Shen, onde se prende a energia primordial  ”.Cuidado: devido à sua própria natureza Yang, não aqueça se houver um vazio de Yin ou Sangue.

          Função: fortalece o Yang dos Rins (bom para a exaustão e falta de ambição), consolida o Jing, interrompe  a leucorréia, fortalece a região lombar  e joelhos, torna a menstruação harmoniosa, trata a coluna vertebral, fortalece a libido, trata a enurese e a diarreia matinal

          VG15: Portal da Mudez  ou Porta Silenciosa (Yamen)

          Informação: Ponto de cruzamento com o Yang Wei Mai (Vaso Yang da Conexão), ponto do Mar do Qi em relação ao Danzhong (VC17, meio do peito). Seu nome lança luz sobre seu papel predominante no tratamento de distúrbios da fala. Outros nomes: “meio do pescoço, inchaço da língua, fadiga lingual, raiz da língua, língua de fora”. VG15 e VG16 são muito próximos e funcionam praticamente como uma entidade única. Formam  um portão regulador entre o pescoço e a cabeça (cérebro).

          Função: refresca ou estimula o Qi,faz com que os orifícios comuniquem. ajuda a restaurar a fala, purifica o calor, dispersa o vento, transforma o Tan, alivia a rigidez da cabeça, trata a falta de clareza intelectual.


          Autor: Ivan Bel

          Tradutora: Alice Rumi


          Notas:

          [i] A este respeito, ver as diferentes camadas energéticas e fisiológicas e a forma como a doença entra no corpo.


          Fontes:

          • L’esprit des points : 2010, Philippe Laurent (Ed. You Feng)
          • Associations des points : de Jeremy Ross (Ed. Satas)
          • Les 60 points essentiels : de Philippe Sionneau (Guy Trédaniel Editeur)
          • Les principes fondamentaux de la médecine, de Giovanni Maciocia (Ed. Elsevier)
          • Cours de Ryoho Shiatsu, 2ème année, Ivan BEL
          • Site web Yinyanghouse.com
          • Site web : acuponcturesite.wordpress.com