10 erros dos iniciantes de Shiatsu

10 erros dos iniciantes de Shiatsu

Uma vez que você tem o seu diploma de Shiatsu, você está todo animado. E vamos à aventura! Queremos dar o maior número possível de tratamentos e ser bem sucedidos. No entanto, se você não quiser quebrar a “cara” no início de sua atividade, é melhor pensar um pouco e evitar as armadilhas mais comuns. Aqui está uma pequena lista que é sempre bom saber. Este artigo é dedicado aos praticantes que estão começando profissionalmente.


1. Não fazer seguro de responsabilidade civil profissional

Quando trabalha como praticante de Shiatsu, goste ou não, é responsável pelo que acontece durante a prática. Da porta de entrada ao tatami, tudo o que eventualmente possa acontecer ao seu cliente é da sua responsabilidade. O mesmo vale para os efeitos colaterais pós-tratamento. Lembre-se que embora o Shiatsu seja geralmente uma técnica sem riscos, qualquer dor ou desconforto que ocorra após uma sessão será de sua responsabilidade. Um erro técnico durante o tratamento também pode custar muito, mas também simplesmente um acidente, como escorregar na escada. Por isso, é imprescindível a contratação de um seguro de responsabilidade civil profissional, se possível semelhante ao do setor paramédico. Existem muitas seguradoras que oferecem este serviço, então não há necessidade de anunciar aqui. Mas não deixe de conferir o local de jurisdição e principalmente as coberturas oferecidas pela seguradora.

Trabalhar sem seguro de responsabilidade profissional ou estatuto legal é como tirar uma soneca numa máquina de lavar roupa.
É por sua conta e risco.

2. Não ser habilitado

Enquanto for um estudante, pode oferecer Shiatsu a todos, geralmente para o deleite de amigos e familiares. Mas quando se torna um profissional, tudo muda. Envolve dinheiro para tratamento significa que cria-se uma estrutura que contempla um status legal. Fazer as coisas com pressa certamente não é uma boa ideia. Em vez disso, é necessário comparar as diferentes possibilidades: sociedade, associação, autônomo, muitas soluções são possíveis. Para escolher, é necessário se fazer algumas perguntas fundamentais:

Na maioria das vezes, é útil começar “pequeno”, então antes de criar sua própria instalação de Shiatsu, existem algumas etapas a serem seguidas e perguntas a serem feitas:

  • Vou praticar além da minha atividade principal?
  • Em caso afirmativo, posso ter uma atividade independente independente? (Isso é autorizado pelo meu empregador? = verifique seu contrato de trabalho).
  • Terei investimentos? (sim = estatuto independente, mesmo através de uma associação, não ou pouco = trabalhador independente para a França).
  • Devo fazer uma previsão? = sim , mesmo que você não tome emprestado, se você não criar uma empresa é sempre aconselhável fazer uma previsão de despesas/receitas para ver para onde você está indo, se você precisa de um pequeno financiamento ou para mergulhar em suas reservas.
  • Devo contratar um contador? Sim, mesmo apenas um compromisso para ajudá-lo a “enquadrar” sua atividade.

3. Não investir em seu local de trabalho

O seu local de trabalho é um reflexo da sua personalidade, mas também da qualidade que oferece aos seus pacientes. Se você praticar em uma cama num canto da cozinha, com um cachorro correndo, não vai funcionar. A atmosfera do local, a decoração sóbria mas de bom gosto, o lado “casulo”, tudo isso vai ajudar a fazer com que os seus pacientes queiram voltar. Você também deve ter uma porta próxima que dê acesso a um banheiro com pia, ou melhor, um banheiro. A higiene é importante, a do lugar como a das suas mãos. Não economize na arrumação. Nos consultórios mais profissionais, há também uma sala de espera onde a pessoa pode deixar seus pertences ou ler enquanto espera que você termine sua consulta anterior. Tudo isso representa um investimento inicial.

O seu local de trabalho é um reflexo da sua personalidade e da sua paixão pelo Shiatsu.

4. Não exibir preços

Em seu site, por telefone, por e-mail ou em sua sala de espera, você deve sempre comunicar claramente o preço . Não exibi-los pode, em alguns casos, até representar um crime punível por lei. Se você usa redes sociais ou um site, isso também pode ser um lugar para exibi-los. Lembre-se que o Shiatsu é um serviço pessoal, uma operação comercial, bem como um tratamento e prática manual. Assim como um lojista ou um médico, não há espaço para interpretação sobre o assunto.

5. Não testar diferentes superfícies de trabalho (futon, tatame, mesa)

Na escola aprendemos Shiatsu geralmente no chão ou sobre uma maca . Mas isso não significa que é o melhor ajuste para você. Existem muitos modelos de maca. Pense Shiatsu! Você precisará encontrar uma resistente e com boa largura, pois pode ser necessário ficar de pé com o paciente para realizar certas técnicas. No chão você pode escolher entre um futon de algodão, um tatame de palha dobrável ou um colchão de poliéster dobrável também. Para o futon ou colchão, considere cobrir o chão com outra camada. Os tatames de palha fixos que formam uma camada no chão são feitos na França e não são muito caros. Um investimento nesses tatames lhe dará uma aparência bonita e durará anos.

Trabalhando num futon, tatami ou mesa… o importante é o seu conforto de trabalho.

6. Não criar uma lista de profissionais da área de saúde

Ninguém é o “sabe-tudo” ou tem respostas para tudo por isso é sempre bom ter o apoio de outros profissionais de saúde. Recomenda-se, portanto, criar uma pequena coluna sobre necessidades terapêuticas que não sejam diretamente abordadas com o Shiatsu, ou obter ajuda de um fisioterapeuta, um osteopata ou um psicólogo. Isso não significa abandonar o destinatário, mas muitas vezes sugerir que ele obtenha ajuda de outra pessoa temporariamente por um período e depois continue mais tarde. Por exemplo, no caso de um problema lombar, uma ou duas sessões com um osteopata ou quiroprático podem ser úteis para desbloquear as vértebras. Feito isso, volta-se para o Shiatsu. Também é uma boa ideia ter um médico de referência. Com um psicólogo, trabalhar a psique ao mesmo tempo que trabalha o corpo pode contribuir para o caminho do tratamento. Portanto, é altamente recomendável estabelecer contatos com toda uma gama de profissionais de saúde multidisciplinar. Resultando numa imagem profissional que trabalha com seriedade e responsabilidade.

7. Sobrecarga de trabalho quando tem demanda

Quando bem-sucedido, você tenta pegar todos que vêm ao estúdio. Mas cuidado com o excesso de trabalho. Como todo ser humano, o praticante de Shiatsu tem suas limitações. Devemos, portanto, saber não levar demasiadas pessoas todos os dias, não sobrecarregar as horas de trabalho à noite e reservar tempo para si, para as suas atividades de lazer, para a sua família e amigos. Mas acima de tudo, é preciso tirar um tempo para descansar para se regenerar, aproveitar suas férias e fins de semana. Caso contrário, você corre o risco de cair de exaustão e ser forçado a parar de praticar sua paixão, o que não seria bom para você e seus clientes.

8. Não trabalhar seu corpo e mente

Uma vez fora da escola, você tende a descuidar de manter o corpo em boa forma . Há uma boa razão para os professores gastarem tempo em cada aula aquecendo, alongando, fortalecendo e trabalhando seu corpo. Todo o corpo do praticante é sua ferramenta de trabalho. Deve, portanto, ser constantemente mantido, cuidado, trabalhado para mantê-lo em boa forma e resistir durante as grandes semanas de trabalho. O corpo basicamente precisa de três tipos de exercício: fortalecimento, relaxamento/amolecimento e esforço físico que faz você suar e eliminar toxinas. Nesta mistura de exercícios, recomenda-se trabalhar a mente para permanecer calma, bem fundamentada, emocionalmente equilibrada.

O excesso de trabalho leva ao stress, o stress leva à fadiga, a fadiga leva à exaustão.

9. Para de comunicar com colegas e professores

Deixamos nossa escola, nosso professor e nossos amigos de classe e nos encontramos sozinhos com os pacientes. O trabalho do shiatsu shi pode rapidamente se tornar um trabalho solitário. A longo prazo, não é bom para o espírito. Somos, principalmente, animais sociais. Mesmo que você receba muitos pacientes todos os dias, não é o mesmo que manter uma conexão com a comunidade Shiatsu. Para isso existe um grande número de grupos nas redes sociais, mas o melhor ainda é manter vínculos com pessoas que estudaram ao mesmo tempo que você. E o vínculo com o professor é um pequeno tesouro para guardar, para tirar dúvidas. Porque se a escola te faz subir o primeiro degrau do caminho do Shiatsu, ainda há todos os outros degraus a subir e são muitos.

Continuar a treinar para enriquecer as suas mãos é a chave do sucesso.

10. Para de treinar

Este é sem dúvida o pior erro a cometer. Quando você trilha por um caminho, o estudo nunca para. Você pode ler muitos livros, mas nada pode substituir o contato, a descoberta ou comparação que um curso ou seminário lhe oferece. Pelo menos duas vezes por ano é preciso voltar ao estado de estudante que nada sabe e redescobrir a alegria de ser guiado. O treinamento contínuo também é uma obrigação na maioria das organizações de Shiatsu. Os professores mais avançados não hesitam em ir ver os colegas para aprender coisas novas ou outra forma de abordar um assunto conhecido. Sempre há algo a aprender. Além disso, a educação continuada permite sair de caminhos conhecidos para enfrentar outras formas de fazer as coisas. O Shiatsu é rico em uma infinidade de estilos, todos com algo interessante para ensinar. Isso permite que você saia da sua zona de conforto e evite acreditar que sabe tudo e acabe criticando os outros. Ao contrário, a formação permanente enriquece e tornamos humilde ao mesmo tempo. Ninguém sabe toda a verdade e o Shiatsu continua sendo um universo imenso cheio de possibilidades.

Bom começo no treino!


Autores : Ivan Bel & Stéphane Bourguignon

Tradutora : Alice Rumi

Harada Shinsei (1939-2006): fundador do Jigen Ryū Shiatsu

Harada Shinsei (1939-2006): fundador do Jigen Ryū Shiatsu

Entre os grandes mestres japoneses que difundiram o Shiatsu, há aqueles que são menos conhecidos dos praticantes, pois ele era acima de tudo um mestre das artes marciais. Estudando muitos estilos de luta, ele se tornou aluno de Okuyama Ryuho sensei (fundador do Koho Shiatsu). Ele é Harada Shinsei, fundador tanto da escola marcial quanto do Shiatsu Jigen Ryū.


HARADA Shinsei Sensei nasceu em 28 de dezembro de 1939 na provincia de Nagano  (長野市),  na ilha de Honshū. Aos oito anos, a família mudou-se para Osaka;  aos 11 foi aceito na escola de Shi Tennō-ji (四天王寺), o templo budista mais antigo do Japão [1]. Mais tarde, ele adotou o nome de seu monge, “Kojun”.

De 1954 a 1961,  ele praticou Judô Kodokan no ginásio de Uenomiya sob a direção de WATANABE sensei, depois Daïto Ryū Aikijujutsu e Takuma Ryū sob a direção de TAKASHIRO sensei. De 1963 até o início dos anos 1970, ele estudou Hakko Ryū Jujutsu e Koho Igaku Shiatsu, primeiro com GOTO shihan, depois diretamente com o fundador OKUYAMA Ryuho, e recebeu a mais alta licença desta escola. Além de suas atividades relacionadas a sistemas de combate corpo a corpo, HARADA Sensei também praticou Muso Jikiden Eishin Ryu Iaijutsu (espada) e mais tarde Heki Ryu Kyudo (arco) sob a orientação de ENDO shihan.

Harada Shinsei, demonstração de Kyudo durante o “Nihon no Matsuri”, Festival Japonês de Ghent. (c) Marianne Andries

Ele então fundou e ensinou Jigen Ryū, um sistema baseado em todas essas experiências, que foi chamado pela primeira vez de “Daiwa Ryū” (大和流) na Europa, mas  também, no ano de 1991 foi renomeado oficialmente de “Jigen Ryū” (慈眼流, lit.: Escola de Visão da Compaixão). Apenas atenção, não se engane aos que conhece as escolas japonesas. A palavra Jigen Ryū é o homônimo da antiga e venerável escola Jigen Ryū,  cujos caracteres são escritos 示現流 (literalmente Escola da Realidade Revelada) e  foi fundada por Tōgō Chūi no final do século XVI.

Harada Kojun durante uma aula de Shodo -caligrafia japonesa- no escritório da Frans Copers em Ghent – ​​Bélgica. (c) Marianne Andries

De 1981 a 1984, por ordem do Shitennoji, Harada Sensei  viveu e ensinou na Áustria, depois alternou entre Bélgica, Inglaterra, Japão e Áustria, antes de retornar ao Japão em 1991. Criou um dojo tradicional de Kyudo  perto de Suffolk na Inglaterra. Ele ensinava em uma mistura de japonês, inglês e alemão, mas a maior parte de seu ensino era através do corpo. Ele frequentemente retornava à Áustria para ensinar seus alunos, e outras vezes os alunos iam  ao Japão para continuar o aprenzado. Entre eles, Frans Copers, fundador da Federação Belga de Shiatsu e ex-presidente da Federação Europeia de Shiatsu, ele é o herdeiro da escola Jigen-ryū  na Bélgica. Aqui está o seu testemunho sobre HARADA sensei.

“Conheci o HARADA Kojun shinsei (= reverendo) no final dos anos 80, poucos anos depois da minha primeira viagem ao Japão, onde fiquei 8 meses para estudar Shiatsu (Iokai Center); treinando  Aikido e aprendendo  mais sobre Macrobiótica (Sei Shoku) e medicina e costumes japoneses.

De fato, um dia, enquanto caminhava pela cidade, vi um japonês totalmente vestido com roupas tradicionais, hakama, haori, tabi, tatami zori…. e não pude deixar de me dirigir a ele no meu pobre japonês. 

Felizmente, ele também falava alemão e um pouco de inglês. Harada Shinsei acabou por ser um sacerdote budista do Templo Budista Shitenno-ji. Também era especialista em artes marciais (Jiu Jitsu, Iai Jitsu, Tameshi giri e Kyudo), medicina japonesa (Shiatsu, Acupuntura, moxa), Shodo (caligrafia) e Chado (cerimônia do chá). Além disso, ele também era um ótimo cozinheiro!“

Chado – cerimônia do chá – em Londres com Harada sensei e Sep Overlaet, mestre de Kyudo (tiro com arco) no templo Shitennoji. (c) Marianne Andries

Ele era o principal mestre do ramo europeu do templo que, além da prática espiritual e da meditação, também dirigia um hospital e uma escola, semelhante aos mosterios católicos da Idade Média. O templo tinha uma grande propriedade na Inglaterra, perto de Londres (Suffolk), onde havia salas de aula, dormitórios, um templo budista para adoração e um dojo Kyudo (arco com arco).

Eles também tinham uma casa grande, ou melhor, um pequeno castelo, perto de Viena (Áustria) e outra perto de Ghent (Bélgica), a cidade onde morei  e ainda moro,  levando  seus alunos do ensino médio para se comunicar  e estudar a cultura ocidental  e o modo de vida.

Harada sensei à esquerda, Nakayama san ao centro e Frans Copers à direita durante a preparação de uma refeição japonesa na cozinha Shitenoji em Ghent – ​​Bélgica. (c) Marianne Andries

Durante três anos, estudei intensamente com ele, meditamos juntos, praticamos artes marciais e , claro,  estudamos shiatsu e medicina oriental. Ajudei-o  em seus workshops e organizando alguns eventos japoneses com a equipe de Shitenno-ji, como Deguchi Shinsei, o presidente da filial européia. Esses eventos foi sucesso grandioso  na época. (Nihon no Yube ou despertar japonês e Nihon no Matsuri ou festival japonês).

Antes de retornar ao Japão, ele me nomeou professor na escola Jigen Ryu Kappo Shiatsu.

Após seu retorno ao  Japão, não tive mais notícias dele, mas ele ainda faz parte de mim e da minha vida e sempre viverá no meu coração!

Manipulação  na coluna lombar por Harada sensei. (c) Marianne Andries

A essência do Método Jigen Ryu Shiatsu em poucos pontos.

  • Tratamos os meridianos, não os pontos.
  • Diagnóstico de pulso e detecção do meridiano mais Kyo.
  • Tratamento dos meridianos de “equilíbrio” Fígado, Vesícula Biliar, Triplo Aquecedor e Mestre do coração/Pericárdio.A técnica  chamo de kanguro : todo o meridiano é tratado ritmicamente com um intervalo de alguns cuns entre cada pressão.
  • Tratamento do meridiano Kyo com a técnica de punção . Tocamos o ponto suavemente, pressionamos até o limite da tensão/dor, esperamos um momento e damos uma pressão repentina e forte com uma liberação repentina.
  • A técnica Kanguro é considerada mais leve que a técnica Punção
Demonstração de Shiatsu sentado por Harada sensei. (c) Marianne Andries

Nota-se que os meridianos também têm outra qualidade, por exemplo, o tratamento do meridiano da  Bexiga serve para tonificar todo o corpo e o tratamento do meridiano do Estômago é considerado como  um efeito relaxante.

Existem outras técnicas para tratar problemas locais, com  moxa, acupuntura e  as Zonas de Hirata. Essas zonas  podem ser comparadas aos dermátomos da medicina ocidental. »

Demonstração de Iaido por Harada Shinsei. (c) Marianne Andries

Em 2003, ele foi diagnosticado com câncer, que foi bem tratado. Em outubro/novembro de 2005  Harada Sensei realizou seu último seminário de Jigen Ryū Jujutsu em Viena, e comemorou “100 anos de Jiu Jitsu na Áustria”. Voltando  ao Japão, após uma grave doença, Harada Sensei terminou sua existência terrena como dizem na tradição budista, em 9 de outubro de 2006. Ele deixa um legado que seus alunos e assistentes continuam.

Auteur : Ivan BEL

Tradutora : Alice Rumi


Nota :

[*] Imagem da capa: “Demonstração de Shiatsu no” ‘Nihon no Matsuri’, Festival Japonês em Ghent “

[1] O Templo Shi Tennō-ji foi construído em 593 pelo Príncipe Shōtoku. Ele o dedicou às quatro divindades guardiãs dos horizontes, os shitennō.

Os pontos Yuan ou “Fonte”

Os pontos Yuan ou “Fonte”


Os pontos “fonte” geralmente representam a primeira família de pontos que os alunos memorizam. Fáceis de detectar, esses pontos são um clássico nos tratamentos básicos de Shiatsu. Mas a medida que os estudamos, revela uma profundidade absolutamente fascinante que nos leva muito além  do que se poderia pensar à primeira vista. Redescubra os pontos Fonte e como eles funcionam.


Qualquer aluno que comece a aprender os meridianos aprende o ponto inicial, o ponto final e, no meio, o ponto Fonte. Por quê essa família de pontos surge tão rapidamente no estudo? Primeiro porque cada meridiano tem um, sem exceção à regra, o que é muito prático, ou seja, 12 meridianos = 12 pontos Fonte. Então, os pontos Fonte permitem recarregar um meridiano, reenergizá-lo assim como o órgão associado quando ele estiver plano, principalmente no que diz respeito aos localizados nos meridianos Yin (veja abaixo: Uso dos pontos Fonte). Como uma fonte que se desbloqueia, deixa o Ki subir à superfície e depois fluir para o meridiano. Além disso, para designar a palavra fonte em chinês, existem dois caracteres diferentes.

  • O primeiro 泉 (quán) indica uma cavidade de onde emerge a água.
  • O segundo caractere 源 (yuán) pega o primeiro caractere e adiciona uma chave à esquerda que enfatiza a ideia de água fluindo da fonte. Entendemos melhor que no caso de um Vazio, este ponto rapidamente se torna um reflexo do tratamento.

Dito isto, nem sempre é fácil desbloquear esta fonte. O ponto Fonte também pode ficar “seco” e sem energia. Deve, portanto, ser estimulado, revigorado, para que possa desempenhar seu papel, que nem sempre é indolor. Quem já experimentou um vácuo de energia significativo lembra o estado em que se encontra o R3, por exemplo. Torna-se duro e doloroso sob pressão. É por isso que os pontos Fonte voltam com muita frequência nos tratamentos e no equilíbrio dos meridianos entre o casal Yin/Yang com a ajuda do ponto Luo do meridiano de polaridade oposta (princípio do hospedeiro e do hóspede). Os profissionais devem tocá-los diariamente para verificar sua condição, o que torna o auto diagnóstico relativamente fácil.

Como funcionam os pontos fonte:

A coisa mais importante a saber no uso dos pontos Fonte é saber a diferença entre os pontos dos meridianos Yang e os dos meridianos Yin, porque seus efeitos não são os mesmos.

  • Para os meridianos Yin, os pontos Fonte são usados ​​para tonificar os órgãos, para revitalizá-los.
  • Nos meridianos Yang, os pontos Fonte servem acima de tudo para expulsar os fatores patogênicos.

De acordo com o Eixo Espiritual, os pontos Fonte devem ser escolhidos para tratar patologias dos órgãos Yin. E por uma boa razão, eles estão relacionados ao Ki original (Yuan Qi). Este está contido nos Rins, armazenados em particular em Qihai (Ch.)/Kikai (Jap.), o famoso VC6, “Mar de energia”.

De acordo com o Clássico das dificuldades, podemos ver no capítulo 2 que há um pouco de informação adicional. Os pontos MC7 e C7 são ambos os pontos “Fonte do Coração”. Mas fato se deve ao desconhecimento desses dois órgãos (coração e pericárdio) que eram apenas um no momento da redação deste clássico da medicina chinesa. Diz-se especialmente que o Qi original, localizado entre os dois rins, no ponto Ming Men (chin.) / Meimon (jap.) aliás VG4, o “Portão da Vida” é a raiz dos 12 meridianos. O Triplo Aquecedor permite que o Qi original circule nas três casas, se diferencie, depois vá para os diferentes órgãos e finalmente para seus respectivos meridianos. O Qi então reaparece nos pontos Fonte. Em outras palavras, a energia que vem recarregar um meridiano através de seu ponto Fonte não vem do nada.

A saber  : o ponto Fonte do Triplo Aquecedor serve como um acelerador para a distribuição de energia por todo o sistema de meridianos.

Tenha cuidado, no entanto, para não usá-los todos ao mesmo tempo em uma pessoa em estado de fraqueza generalizada( esgotamento/ Síndrome de Burnout, por exemplo), pois o efeito será oposto ao desejado. Basicamente, se não houver Qi suficiente no corpo, especialmente nos Rins, chamar mais Qi para um ponto irá “queimar” esse ponto, pedindo-lhe para agir enquanto não tiver recursos suficientes para isso. É como operar uma máquina sem óleo. Muito rapidamente a máquina vai esquentar e acabar queimando. Isso é válido para todos os pontos do corpo assim que estiver profundamente enfraquecido. Para aumentar corretamente a energia de uma pessoa neste caso, é necessário consultar a teoria das 6 camadas.

Como referido anteriormente, os pontos Fonte dos meridianos Yang são usados ​​para expulsar elementos patogênicos, portanto, não são os pontos que reabastecem esses meridianos. Mas então, quem faz o “trabalho”? Este é o papel da família dos 6 pontos Mar inferiores, cujo nome Mar deve nos dar uma dica. Quando vemos a palavra “Mar” em um atlas de acupuntura, significa que é um ponto profundo como o Mar, com efeitos profundos, que contém muita energia. O nome “Mar Inferior” também indica que o ponto está na parte inferior do corpo, pois “inferior” foi traduzido para o masculino e não para o feminino, o que implicaria que é “menor”. Não é o caso, muito pelo contrário. Esses pontos são muito poderosos.

Esses pontos são:

  • Para o Estômago : E36 (Zu san li) a 3 cun (uma mão) de E35 que está no ângulo externo e inferior da patela, ou então a 1 cun ext. sob a tuberosidade da tíbia. É também o ponto Mar dos 5 Shu do Estômago Antigo, portanto efeito duplo.
  • Para o Intestino Grosso  : E37 (Shang Ju xu) a 3 cun (uma mão) sob E36. É também um ponto da chamada família 4 Mares. Então efeito duplo.
  • Para o Intestino Delgado  : E39 (Xia ju xu) a 3 cun (uma mão) sob E37. É também um ponto da chamada família 4 Mares. Então efeito duplo.
  • Para o Triplo Aquecedor  : B39 (Wei yang) 1 cun lateral para fora da fossa poplítea (B40).
  • Para a Bexiga  : B40 (Wei zhong) no meio da fossa poplítea. É também o ponto Mar dos 5 Shu Antigos da Bexiga, portanto efeito duplo.
  • Para a vesícula biliar: VB34 (Yang ling quan), na depressão sob a cabeça da fíbula. É também o ponto Mar ​​​​5  Shu  antigo do TA, então o efeito é duplo.

Esses pontos são todos bem conhecidos e, em última análise, não são uma grande surpresa. Em primeiro lugar, podemos ver claramente o poder do Estômago e da Bexiga como grandes distribuidores de energia Yang para quase todos os órgãos, com exceção do VB que administra por conta própria. Então, todos os pontos, exceto o do TA, fazem parte de uma segunda família que também leva a palavra “Mar”, que diz muito sobre seu poder de reabastecer, de nutrir, o meridiano.

Agora que vemos com mais clareza, poderemos visitar os pontos Fonte de acordo com a tradição, ou seja, incluindo também os pontos Yang. No entanto, quando  procuramos  usar os pontos que realmente rejuvenescem os meridianos Yang, buscamos  lista de pontos do Mar inferior. Aumentando  sua ação para restaurar a energia  em todos os meridianos sem discriminação.

Localização dos pontos Fonte

A regra diz que para encontrar os pontos “Fonte”, você deve começar pelas extremidades dos membros (dedos das mãos e pés) sem levar em conta a direção de circulação do Qi do meridiano. A partir daí, o ponto “Fonte” é sempre o 3º ponto subindo um meridiano Yin e o 4º ponto subindo um meridiano Yang. Existe uma exceção (que comprova a regra) para a Vesícula Biliar onde é o 5º ponto . Assim, quando você sabe de cor a localização dos pontos nos meridianos, é fácil encontrá-los contando a partir da extremidade dos membros.

Mais fácil ainda, quase todos os pontos “Fonte” dos meridianos do braço (Shǒu 手) estão na dobra do pulso, tanto dentro como fora (exceto IG4 e ID4 que estão ligeiramente deslocados). Nos meridianos da perna (Zú 足), estão distribuídos da seguinte forma: dois na parte interna do pé, dois na parte externa e dois novamente na parte superior do pé. Sabendo de tudo isso, tudo o que você precisa fazer é praticar com a lista a seguir.

Resumo dos Pontos de “Fonte”

  • Pulmão: P9
  • Intestino Grosso: IG4
  • Estômago: E42
  • Baço-Pâncreas: BP3
  • Coração: C7
  • Intestino delgado: ID4
  • Bexiga: B64
  • Rim: R3
  • Pericárdio : PC7
  • Triplo Aquecedor: TA4
  • Vesícula Biliar: VB40
  • Fígado: F3

P9: Imenso Abismo (Tai yuan)

Info : O nome deste ponto indica que é profundo. Este é o local onde a artéria radial entra. Seu nome antigo é ainda mais claro: Taiyuan, ou “Fonte Suprema”, que indica que é o local onde o Qi é distribuído. Para localizá-lo, é necessário ir na dobra do pulso, no trajeto do meridiano do Pulmão, em uma cavidade logo ao lado e em direção ao exterior da artéria radial.

Efeitos : Acalma a tosse e afina as secreções, tonifica o meridiano do Pulmão, fortalece os vasos sanguíneos.

IG4: Vale do Encontro  (He gu)

Info : Também conhecido como Hukou “Boca do Tigre” (para indicar sua força, mas também o espaço entre o dedo indicador e o polegar), este ponto tem tanto o significado de “ajustar, harmonizar” quanto “ravina profunda, desfiladeiro” . Lá novamente, a ideia de profundidade nos explica que é um ponto “Fonte”, que buscará a energia necessária para o meridiano nas entranhas. Também faz parte dos pontos das 4 barreiras.

Efeitos : Promove a comunicação no Luo, desbloqueia os nós (papel das 4 barreiras), elimina a dor, alivia a superfície, elimina o Vento, retifica o Yang na parte superior do corpo, purifica o Calor, desperta o cérebro, aumenta problemas intestinais, abre os orifícios, trata problemas da face e da cavidade oral, elimina o bloqueio do sangue menstrual.

E42: Pulsação Yang (Chong yang)

Informação  : Este ponto tem muitos apelidos que são todos muito significativos de sua função: “encontro de primavera, encontro de primavera, encontro de ossos, encontro de vinco (flexão do tornozelo), encontro de energia Yang”, ou simplesmente “peito do pé”. Com todos esses nomes, é fácil localizá-lo. De fato, está no peito do pé, 1,5 polegadas abaixo de E41, e próximo à artéria dorsal do pé, entre os metatarsos do dedão do pé e o segundo dedo do pé.

Efeitos  : restaura a livre circulação do Yang, fortalece o Baço, elimina a Umidade.

BP3: Branco Supremo (Tai bai)

Info  : Obviamente, a tradução deste ponto é uma reminiscência do tubarão branco nadando nas águas frias da África do Sul, mas não tem nada a ver com isso … exceto talvez a dor que inflige quando dá errado. Na realidade, esta é uma má tradução, porque na realidade deve dizer “o grande branco”, que é o apelido atribuído em chinês ao planeta Vênus. Este está ligado ao elemento Metal e este ponto é o dos 5 antigos Shu que corresponde à Terra, portanto, que gera o Metal. Ele também tem a função de ponto Ben, ou Raiz. Fica atrás do 1º metatarso, na borda interna do pé.

Efeitos  : Tonifica o Baço, trata a diarreia ligada a estados de Vazio (do Baço, do Estômago, dos Rins).

 C7 : Portal do Espírito (Shen Men)

Info  : O Portal do Espírito (Shen) é um dos pontos mais conhecidos, pois sua eficácia em acalmar a mente é muito poderosa. Mas também é conhecido como Duichong, ou “encruzilhada da troca”, porque está na encruzilhada de muitos aspectos da energia, incluindo Sangue, Qi e Shen. Encontra-se na prega do punho, lado anterior, no meridiano do Coração.

Efeitos  : Revigora o meridiano do Coração, acalma o Shen, revigora o Sangue que ancora o Shen, dispersa o fogo do Coração, abre os orifícios, promove o sono, trata a epilepsia, interrompe a descarga seminal, alivia a perda de memória, trata as regras perturbadas pelas emoções .

IG4 : Osso do pulso (Wan gu)

Info  : localizado na última dobra após a articulação da 5ªmetacarpus, entre a carne vermelha e branca, lado do dedo mínimo. Se não estiver claro para você, talvez você possa dizer a si mesmo que está no final da “linha do coração”, se você gosta de ler as linhas da mão. O significado original deste ponto é bastante curioso. “Hou” representava o personagem que está atrás de um prisioneiro, um prisioneiro cujos membros inferiores estavam amarrados. A priori, é um guarda que acompanha um prisioneiro, permanecendo para trás, e o segura por uma corda. O significado evoluiu para “andar esticando um fio”, e mais recentemente na história da língua chinesa para “para trás, para trás, para trás”. A outra palavra indica uma torrente no fundo de um vale, o que no contexto dos pontos “Fonte” é bastante revelador. Mas quem está atrás, escondido, mas amarrado por um cordão? É o Vaso Governador , do qual o ID3 é o Ponto Chave, o que só reforça o seu papel como ponto “Fonte”.

Efeitos  : Estimula Taiyang, elimina a energia maligna externa, comunica-se com Du Mai (VG), trata a parte superior das costas (ponto distal), trata a epilepsia.

B64: Grande Osso (Jing gu)

Info  : Desta vez, o nome deste ponto esclarece sua localização, isso é chamado de nome “geográfico”. Neste caso, o osso saliente é o da borda lateral do pé (lado externo). O ponto está logo abaixo e na frente (na direção do meridiano) da tuberosidade do osso. Seu outro nome é “Os capitais”, para destacar sua importância. No entanto, é surpreendente que o ponto não seja tão profundo assim. Talvez esta seja a exceção que confirma a regra? Ou então, vamos relembrar a existência dos pontos do “Mar Inferior”, mas isso é outra história…

Efeitos  : Afasta o Vento, dispersa o calor, melhora a circulação no meridiano.

R3: Grande Riacho (Tai xi)

Info : Estamos mais uma vez presos ao termo “supremo”. Quando ele aparecer, lembre-se de que não é usurpado. Este termo enfatiza a importância terapêutica deste ponto. Qualquer um, portanto, o ponto “Fonte” do Rim não está em boa forma, geralmente se lembra dele assim que você o pressiona: é duro como uma pedra. Na verdade, o shiatsu shi parece cascalho sob os dedos, o que pode ser bastante doloroso para o receptor. Este ponto “Fonte” é de grande importância, primeiro porque é o dos Rins, depois porque é o antigo Shu que tem a função Terra neste meridiano. A função Terra está relacionada com o Sangue e a sua função “Fonte” confere-lhe um dinamismo que está ligado ao Fogo dos Rins.

Efeitos  : Regula o Chong Mai (Vaso Penetrante) e o Ren Mai (Vaso da Concepção), revigora o meridiano do Rim, clarifica sua fonte, controla o Fogo, refresca os Pulmões, interrompe os ruídos da garganta, nutre o Yin, tonifica o  Calor (bom) útil para o corpo e elimina a Umidade.

PC7: Grande Colina (Da ling)

Info  : O ponto “Fonte” do Mestre do Coração tem muitas funções. É também um antigo ponto Shu com função de Terra, é o ponto de dispersão (Filho do Fogo) e o 4º dos 13 pontos demoníacos ( ou fantasmas). Localiza-se no meio entre o ponto “Fonte” do Pulmão e o do Coração, na dobra do punho, entre os dois tendões dos flexores do carpo. Este lugar particular confere-lhe um papel particular que se encontra neste outro nome Xinshu (Protetor do Coração). Ele está lá para proteger seu mestre (lembre-se que o Coração é o Imperador) e contemporizar as emoções que vêm do Pulmão.

TA4: Lago Yang (Yang chi)

Info  : O ponto “Fonte” do Triplo Aquecedor é um caso especial. De fato, o meridiano do Triplo Aquecedor não está ligado a um órgão físico, mas sua função é distribuir o Qi do Ming Men (“Portão da Vida”) nos Três Largos e, consequentemente, a todos os meridianos. Como resultado, o ponto “Fonte” potencializa o Qi em todos os meridianos e para isso necessita de uma grande reserva de Yang, daí seu outro nome “Reservatório Yang”. Mas não pode ser comparado ao Yang Qi, pois impulsiona o Yuan Qi, razão pela qual também é chamado de “Yang distinto”, para não confundi-lo. Ele está localizado em uma cavidade no lado dorsal do punho, na borda ulnar do tendão do extensor comum dos dedos (lado auricular, portanto).

Efeitos  : Dispersa o Calor, Fortalece as Articulações, Alivia os Tendões, Trata a Surdez, Nutre os Meridianos Yang

VB40 : colina Pequena (Qiu xu)

Info  : Apesar da ausência da palavra “grande” em seu nome, seus dois caracteres o categorizam como tal, pois se lê “montanha, colina, elevação do terreno” e “montanha”. Quando usamos duas palavras para significar a mesma coisa, estamos procurando ênfase. Resumindo, tudo é feito para que anatomicamente você se encontre ali, já que o ponto está localizado logo ao lado de uma área elevada (o maléolo externo do tornozelo), em uma cavidade abaixo e na frente, logo fora do tendão do extensor comum do tornozelo. os dedos dos pés.

Efeitos  : Purifica o Calor do Fígado e da Vesícula Biliar, fortalece os tendões e as articulações.

3F: Supremo Impulso (Tai chong)

Info : Finalizamos a família de pontos “Fonte” com mais um grande clássico dos tratamentos de Shiatsu. Seu nome anterior era “big beat”, mas isso não era suficiente, e de big mudamos para supremo para enfatizar sua força. Dois significados são geralmente mantidos: um para indicar a proximidade da artéria pedal e outro para “grande assalto”, que também corresponde a uma de suas funções que consiste em derrubar o Qi que ataca a parte superior do corpo.Também conhecido por ajudar  os Rins e, por uma boa razão, este ponto é apenas vertical ao R1, que não é um ponto de “Fonte”, mas ainda é chamado de “Fonte de Esguicho”. Encontra-se no dorso do pé, subindo o espaço metatarsal entre os tarsos 1 e 2, até que você não possa ir mais longe (como no IG4) devido à união dos ossos. Observe que também faz parte dos pontos Shu com a função Terra.

Efeitos  : Circula o Qi e fortalece o meridiano do Fígado, harmoniza o Sangue, elimina as convulsões. Em dispersão, desce o Qi do Fígado que estagna no vértice (e causa dores de cabeça) e acalma o Yang do Fígado.

Boa prática.


Autor : Ivan Bel

Tradutora : Alice Rumi

Os pontos “Porta” no Shiatsu

Os pontos “Porta” no Shiatsu

Os pontos  “Porta” são geralmente conhecidos pelos praticantes de Shiatsu, mas não são vistos como formando uma família terapêutica por si só. Isso é uma omissão, pois esses pontos podem ser de grande interesse para todos os praticantes. Vamos redescobrir esse emocionante grupo de pontos!


Diz-se que os pontos  “Porta” são a abertura ou a fechadura  do fluxo de energia entre as camadas internas e externas do corpo. Em termos chineses, isto é conhecido como a gestão dos fluxos de entrada e saída de energia. É demasiado precipitado pensar que o fluxo de energia segue apenas o padrão longitudinal dos meridianos, uma vez que estes seguem efetivamente 8 vias: para cima e para baixo, direita e esquerda, frente e para trás, para dentro e para fora. Mas será que o Qi pára na camada de pele? Não, longe disso.

Torii, porta simbólica através da qual se pode ver a Terra e o Céu.

A energia interior está ligada à natureza e, por conseguinte, continua naturalmente o seu caminho para tudo o que a rodeia. Em troca, a energia do nosso ambiente impregna o corpo. Pense nos efeitos dos banhos de sol ou de um passeio na floresta e compreenderá facilmente que a natureza tem uma influência constante no nosso corpo. O papel dos pontos de passagem é permitir esta interligação entre o interior e o exterior, ligando assim o indivíduo ao mundo.

Como funciona um ponto de porta

O objetivo de uma porta é abrir e fechar no momento certo . Por outras palavras, deve permitir abri-la quando se quer ir para casa e fechá-la quando se sai. O mesmo se aplica ao corpo energético. Quando a energia à sua volta é agradável e ressoa positivamente com a sua, os pontos  “Porta”devem ser abertos para deixar esta energia fluir para dentro. Quando a envolvente é desagradável , ou mesmo prejudicial, é melhor que os pontos  “Porta” sejam fechados, para evitar efeitos perniciosos. Basta levar dois minutos para imaginar qual é a energia que se aproxima de uma lixeira aberta, de uma fábrica química, de uma zona de guerra, ou mesmo de uma atmosfera familiar pouco saudável…. compreenderá como esta energia pode ser nociva para o seu corpo e para a sua psique.

Além disso, quando este tipo de energia entra no corpo, notamos frequentemente arrepios, um corpo que se fecha (braços cruzados) e a pessoa diz que não se sente bem, o que demonstra que somos inteiramente sensíveis às influências energéticas que nos são prejudiciais.

Por outro lado, se a porta permanece fechada quando se quer voltar para casa, e se recusa a abrir quando se quer sair, isto é definitivamente no mínimo irritante. E se a porta continuar aberta quando já tiver regressado a casa, é também uma preocupação, pois todos poderão entrar na sua residência.

Em suma, em todos os casos em que a porta não cumpre o seu objectivo, deverá chamar um serralheiro. Para o corpo energético, se os pontos da porta se recusarem a abrir quando poderia estar a receber vibrações positivas e nutritivas, está a perder uma oportunidade de fazer o bem a si próprio. O contrário também ocorre quando se permite que uma energia negativa esteja presente quando não se está num bom espaço; isto pode levar a todo o tipo de perturbações. O serralheiro é então chamado “Shiatsu-shi” ou “acupunturista”, e em ambos os casos o seu trabalho será restaurar a  abertura/fechamento funcional preciso destes pontos.

Uso de pontos de porta

Uma vez que estão a interagir com o exterior graças às suas capacidades de abertura/fecho, os pontos “Porta” são também muito sensíveis ao stress climático, especialmente em caso de disfunção. Os chineses reforçam-no para evitar a agressão da chuva, frio, calor, mas especialmente contra o Vento Patogênico, cujos efeitos temem sempre. Assim, consegue-se um benefício imediato ao estimular os pontos  “Porta” especialmente durante as inter estações do ano. Os pontos “Porta” não são apenas os santuários onde a energia dos meridianos interiores encontrará a energia exterior que nos engloba, eles também nos apelam sobre as relações e a comunicação.

Isto é particularmente relevante quando a “Porta do Coração/Espírito” aponta, o famoso Shenmen (ou Shinmon em japonês) está obstruído. A energia estagnada neste ponto já não permite à mente apreender corretamente (ou seja, pensar claramente) o seu ambiente e assim interagir com ele em conformidade (ou seja, no seu tempo certo e correto). A interconexão (de uma forma comum) permite que um estado “na relação” reciprocamente, o que inclui noções como observar, manter a distância adequada, interpretar adequadamente e muitos outros princípios da nossa psicologia. Para compreender isto, precisamos de saber que os pontos Homens (em chinês) ou Mon (em japonês) estão escritos 門. Este personagem representa uma porta, uma passagem, com duas portas lado a lado, semelhante à porta basculante utilizada nos bons velhos filmes ocidentais. Este carácter é utilizado como chave central para formar muitas palavras muito significativas, tais como 閃 (shǎn, homem que brevemente cola a cabeça à porta para olhar; espião) ou 間 ( jiān, sol a espreitar através da porta; interstício; espaço). Esta é exatamente a sensação que encontramos quando trabalhamos nesta família de pontos: permitimos um espaço para que o ser humano possa observar e trocar, mesmo que brevemente, com o seu ambiente, ou permitir-lhe dar um passo atrás em relação aos seus problemas.

Permitir que um indivíduo se reconecte com o seu ambiente é muito útil quando o indivíduo se desligou do mundo ou dos seus laços familiares. Há muitas razões para isto: depressão, drogas, crise adolescente não ouvida e não falada, traumas familiares e/ou pessoais, trabalho esmagador na vida, fadiga e tensão emocional, trabalho sob constante stress num ambiente difícil, etc. A partir da experiência clínica, estes pontos devem ser utilizados para libertar um indivíduo de uma situação em que ele ou ela está preso, o que, a propósito, poderia levar a possíveis surtos emocionais de despedimentos nas costas. É por isso que é melhor lidar com os pontos “Portão” relacionados com os meridianos que são afetados. O tratamento de todos os 22 pontos de ‘Portão abre o caminho”; numa sessão é como dar um pontapé de saída. Pela minha experiência, os efeitos secundários para tal cura sempre foram duros para o receptor, mas provaram ser salva-vidas. Não só é necessário ter uma boa razão para os utilizar a todos ao mesmo tempo e para avisar os doentes sobre possíveis efeitos Menken (retrocesso do tratamento), mas também obter o seu consentimento total antes de seguir este caminho. É por isso que é mais apropriado utilizar parcialmente estes pontos.

Distribuição dos pontos “Porta”

Com exceção de dois deles – o Intestino Grosso e o Intestino Delgado -, todos os meridianos têm pontos “ Porta”. Uma vez que estes dois órgãos são considerados como as portas de entrada que se abrem para o exterior (através do ânus), não necessitam, portanto, de mais aberturas, mesmo energéticas. Isto também implica que ambos os intestinos são diretamente sensíveis ao que está a acontecer no exterior.

Este é tipicamente o caso quando experimentamos “sensação intuitiva” ou quando apanhamos uma forte sensação de frio no nosso estômago. Em ambos os casos, o sintoma aparece imediatamente, sem passar por fases diferentes como é normalmente o caso [i].

Deve também chamar-se a nossa atenção para o fato de alguns meridianos terem muitos pontos  “Porta” enquanto outros têm apenas um. Por exemplo, três estão localizados no meridiano do Estômago (o que o torna por isso altamente sensível ao seu ambiente) e até cinco no Bexiga, este grande meridiano que comunica muito eficazmente com os órgãos do corpo (através dos pontos Shu transportado no dorso), o corpo superior e inferior, o lado fisiológico e a psique (através das suas duas vias separadas no dorso). O meridiano da Bexiga é sobretudo um meridiano transmissor, uma vez que também sente o seu redor.

Precisamos também de realçar o papel dos pontos “Porta” no ciclo energético dos 12 meridianos, uma vez que Pulmão 2 (Portal das Nuvens) marca (perto de um ponto) o início da grande distribuição do Qi um ciclo de 24 horas, que terminará em Fígado 13 (Portal Brilhante ) e Fígado 14 (Portal da Esperança  ou Portal Cíclica), os dois últimos pontos do ciclo. Caso contrário, podemos considerar que o início e o fim o fluxo Qi dos 12 meridianos são feitos como resultado de trocas entre o Qi interno e o Qi externo ligando assim o ser humano a um espaço mais amplo que vai acima e para além do seu próprio corpo.

Resumo dos pontos “Porta”

  • Pulmão: P2
  • Estômago: E21, E22, E24
  • Baço – Pâncreas: BP11,BP12
  • Coração: C7
  • Bexiga : B12, B37, B47, B51, B63
  • Rim: R21
  • Pericárdio: PC4
  • Triplo Aquecedor: TA2, TA21
  • Vesícula Biliar: VB25
  • Fígado: F13, F 14
  • Vaso de Concepção: VC5
  • Vaso Governador : VG4 e VG15

P2: Portal das Nuvens (Yunmen)

Informação: Ponto no ápice do pulmão, onde Kong Qi (Qi do ar) se mistura com Gu Qi (Qi do alimento).

Função: regula o Qi pulmonar, dissipa a tristeza, alivia a circulação de energia no meridiano, e trata o entorpecimento no braço.

E21 :  Porta de Feixe (Liangmen)

Informação: Esta é a barreira do estômago, portanto uma obstrução devida à comida (a palavra Liang vem de Liangshi que significa comida) que fecha o trânsito. Dissolve a estagnação de cereais, plantas leguminosas e frutos.

Função: regula a energia do Estômago, liberta a plenitude, elimina o calor, trata os espasmos do piloro, alivia a descida dos alimentos, Qi, Umidade e muco.

E22 : Porta de Passagem (Guanmen)

Informação: Guan representa uma barra de madeira que fecha uma porta, por isso é a sensação de obstrução que predomina aqui, enquanto que a porta deve permitir o livre acesso.

Função: trata o vazio do Estômago e do Baço, harmoniza o Yangming (E-IG), trata o edema porque”os Rins são a porta para o Estômago”

E 24: Porta da Carne Escorregadia (Huaroumen)

Informação: também tem o nome de Huayoumen, ou Porta do piloro liso. Este ponto refere-se ao intestino delgado  que é flácido em consistência e de aspecto liso ou escorregadio. Este ponto é a passagem entre o Estômago e o Intestino Delgado . É 2 cun em frente a Shuifen cujo papel é a separação entre o puro e o impuro. Devido à sua função, à sua relação com a digestão e a carne, é considerado como a porta de entrada para o elemento Terra. Dispersa a estagnação da carne e da gordura.

Função: Abre o piloro, regula o estômago, purga o intestino grosso e trata a loucura

BP 11: Porta da Cesta  (Jimen)

Informação: Na perna, cada articulação é potencialmente uma barreira, uma área que serve para bloquear a progressão de uma doença (ver a teoria do fluxo dos 5 antigos pontos Shu). Este ponto é, portanto, a última posição perante a anca e o acesso aos órgãos. Por conseguinte, serve como um filtro.

Função: reforça o Baço, elimina a umidade, trata o gânglio da virilha

BP12 : Portal da Pulsação (Chongmen)

Informação: O seu nome provém das batidas distintas da artéria femoral. O seu nome Portal da Pulsação indica que abre a passagem de Qi para a parte superior do corpo. Outro nome é “Porta  do cruzamento ”  Ainda outro nome é “Portal para a Encruzilhada” porque pertence tanto a Yin Wei Mai (Veículo de Ligação Yin) quanto a Jue Yin (Mestre Coração-Fígado).

Função: Regula e fortalece o Qi do Aquecedor Médio, Melhora a Circulação do Corpo Superior e Inferior, Esfria o Calor/Umidade, Regula as Funções do Qi, Trata  Shan

C7: Porta do Espírito ou do Coração (Shenmen)

Informações: Ponto Shu-rio do Coração, Ponto Fonte do Coração, Ponto Terra dos 5 antigos Shu do Coração, Ponto Filho (Terra) do Coração (Fogo)

Em Suwen também é chamado de “palácio de esplendor luminoso”. Shen pode ter dois significados: espírito relacionado ao pensamento ou vitalidade relacionada ao Yang. Ótimo ponto de tratamento da cabeça quando está muito cheia de pensamentos e em todos os distúrbios psicoemocionais em geral.

Função: Tonifica o Qi do Coração, Acalma a Mente, Tonifica o Sangue Acalma Shen, Dispersa o Fogo do Coração, Abre Orifícios, Promove o Sono, Trata a Epilepsia, Interrompe a Perda Seminal, Alivia a Perda de Memória, Processa as regras perturbadas pelas emoções.

B12: Portal dos Ventos  (Fengmen)

Informação: também ponto de passagem com o Vaso Governador. Também leva o nome de “Palácio do Calor” por sua ação contra o Calor. Sua localização geográfica o torna sensível ao Vento, que afeta particularmente os Pulmões (está logo acima de V13, o ponto Shu da parte posterior do Pulmão) e enfraquece o Taiyang (Bexiga-IG).

Função: libera a superfície, expulsa o Vento, Frio, Umidade e Calor, elimina a invasão do Vento Externo para problemas de nariz e garganta.

B37: Porta da Abundância  (Yinmen)

Informação: Também conhecido como “Portão Roxo” e “Portão da Abundância”, este ponto fortalece o poder das costas. Mobiliza todo o corpo em todas as direções, como um dançarino. Seu caráter  Yin significa “dançarina que balança as armas em uma dança ritual”, daí sua ação na mobilidade.

Função: fortalece as costas (músculos e tendões).

B47: Porta do Huno ou Porta da Alma Etérea (Hunmen)

Informação: O Huno está ligado ao Yang original. Ele permite que o Shen do homem ressoe com o Shen do Universo. Este ponto é, portanto, um grande ponto de comunicação entre o Universo e o Homem.

Função: regula o Fígado, trata o peito e os lados, ativa a imaginação, a criação, a comunicação, permite a abertura  para o mundo e troca do  seu dinamismo vital,  entusiasmo e sentimentos com os outros, reativa os impulsos da vida.

B51: Porta das membranas ou gordura do Coração (Huangmen)

Informações: este ponto afeta o diafragma, as membranas, mais particularmente as membranas gordurosas do abdome, as fáscias… Esses tecidos estão ligados energeticamente ao Triplo Aquecedor. Diz-se dele no  Nei Jing  que “no interior do corpo [o TR] inclui todas as vísceras; é a “grande entranha” da cavidade toraco-abdominal”.

Função: Regula o Estômago e o Intestino Grosso, reduz e dissolve o acúmulo de alimentos, dissolve grumos, trata a sensação de “enjoo”.

B63: Portão de Ouro  ou Portão Dourado (Jinmen)

Informação: Ponto da fenda  ou ponto de empilhamento (Xi). Ponto de partida do Yang Wei Mai. Este ponto também tem outros nomes como” Ponte do Desfiladeiro” e “Passagem da Ponte”, ambos indicam que este ponto permite a passagem de um e de outro acesso direto a outro banco. Se é “precioso” ou “ouro”, é porque é o ponto de partida do Yang Wei Mai (Vaso de ligação do Yang) e trata a epilepsia. É, portanto, uma porta preciosa que dá acesso à mente.

Função: dispersa o calor, abre orifícios, acalma o Shen, trata a epilepsia e convulsões, cistite e dores abdominais.

R21: Portão Pilórico ou Porta Obscura  (Youmen)

Informação: Ponto de cruzamento com o Vaso Penetrante (Chong Mai). Este ponto tem uma longa lista de apelidos como “porta silenciosa, escura, estreita, tênue, solitária, profunda, sutil”… Esses nomes evocam a ideia de uma passagem difícil onde “é preciso morrer para o  eu menor para renascer o eu maior (Bernard Bouheret). O indivíduo deve passar por uma etapa em sua jornada pessoal. Seu antigo nome é “Portão Superior” (shangmen).

Função: regula o Estômago, faz descer o  Qi e refluxo contra a corrente o (Qi rebelde), acalma a dor, trata os seios, interrompe as náuseas e vômitos durante a gravidez (mas não só), permite que o Qi circule livremente no Peito

PC 4: Porta  da fenda  Xi (Ximen)

Informação: Ponto de Fenda (Xi) do meridiano do  Coração, Meridiano do Pericárdio Outro nome: porta dividida. Em outras palavras, é uma porta de acesso a problemas na fase aguda ou em caso de sangramento (como todos os pontos Xi do tipo Yin).

Função: Acalma o Coração e Shen, regula o Sangue e o Qi, limpa a estase, pára o sangramento, levanta  obstruções nos meridianos e acalma a dor.

TA2: Portal do Fluído (Iêmen)

Informação: Também conhecido como “Portão da axila” ou  “Portão Lateral”. O personagem Ye é o de Jinye (Líquidos Orgânicos). É também o ponto  Yin-Gush  do Triplo Aquecedor e o ponto de Água do meridiano.

Função: dispersa o Calor do Triplo Aquecedor, desperta o Shen, tonifica os tendões, elimina dores de cabeça, atua no problemas de ouvido, dispersa o calor da cabeça, levanta as obstruções do meridiano (dor do braço, vermelhidão e inchaço do dorso da mão, contratura dos dedos, dor no punho). Ao transfixar a acupuntura  para TA3, ajuda a eliminar a dor no ombro quando outros métodos falharam.

TA21: Portão da orelha (Ermen)

Informação: Outros nomes: “audição fraca, na frente da orelha, cavidade óssea do olho, cavidade óssea do arco zigomático”. Devido à sua localização geográfica, influencia a audição em geral, da mesma forma que TA17, VB2 e IG19. Mas na sua função de ponto “PORTA”, cuida das entradas/saídas ao nível do ouvido, portanto da vibração energética do que é dito e do que ouve.

Função: abre os orifícios, acalma a odontalgia, trata a secreção purulenta do ouvido, zumbido, surdez com dores de cabeça, surdez, acalma vermelhidão e inchaço do ouvido, útil na rigidez do pescoço,  lábios e gengivas

VB25: Portão da Capital (Jingmen)

Informação: Outros nomes: “ponto de Qi, ponto de residência de Qi, porta do tórax”. Também ponto  Mu (Bo) do Rim , ponto de partida do Dai Mai (Vaso da Cintura). Antigamente, Jing era associado ao personagem Gao que significa “pavilhão elevado” para indicar que é a parte superior do corpo, portanto o tórax. Note-se que no chinês  Jing  no primeiro tom é homófono de Jing (quintessência armazenada pelos Rins) e Jing (medo, sentimento ligado aos Rins).

Função: aquece e tonifica o Yang do Rim, alivia a dor nos lados  e na região lombar, , trata problemas de pedra nos rins, regula a via da água  no Aquecedor Inferior (problemas urinários), regula o Baço e os intestinos (roncos, diarréia).

F13: Portal Brilhante  (Zhangmen)

Informação: Outros nomes: ponto de cotovelo, apaziguamento duradouro, cavidade óssea do flanco, costelas flutuantes, porta traseira da fortaleza, porta de manifestações. Outras funções: Ponto Mu (Bo) do Baço, ponto Hui-Reunião dos órgãos (Zang), ponto de intersecção do Fígado e da Vesícula Biliar. A palavra  Zhang   tem os significados de “completo, ordem, arranjo, regra, lei, modelo, exemplo, distinção…”, o que esclarece seus efeitos. Ou seja: F13 é sempre dispersado, nunca tonificado.

Função: Regula e fortalece o Qi do Fígado e do Baço, dispersa a estagnação do Fígado, revigora  o Sangue, transforma  e  purifica o Calor, dispersa a Umidade, dissipa acumulações e endurecimentos.

F14: Terminal ou portão de período (Qimen)

Informação: Também conhecido como “Portal Cíclico”, simboliza o fim de um ciclo de 24 horas, ou o fluxo de Qi através dos 12 meridianos. Outras funções: Ponto Mu (Bo) do Fígado, ponto de cruzamento com o Tai Yin (Baço-Pulmão) e o Yin Wei Mai (vaso Yin da conexão), ponto Chu (saída do meridiano).

Função: fortalece o Baço, harmoniza o Estômago, elimina a estagnação do Qi do Fígado, regula a energia, revigora  o Sangue, dissolve o Tan.

VC5: Portão de Pedra (Shimen)

Informação: Ponto Mu (Bo) do Triplo Aquecedor. O nome “Portão de Pedra” vem do fato de que quando o ventre de uma mulher não dá vida, é considerado pelos chineses como feito de pedra porque “em pedra nada cresce”. Isto indica a relação do ponto com problemas de fertilidade. Outros nomes: “Portão da Vitalidade, Portal dos Pontos, Campo de Cinábrio, revelou Jing, Força Auspiciosa”.

Função: regula a menstruação, interrompe a leucorréia (descarga não sanguínea do trato genital feminino) e amenorréia, aquece os Rins, fortalece o Yang, elimina a umidade, trata a disúria e a retenção urinária, promove a abertura da Via aquática (TA), trata o edema do abdômen , distúrbios de fertilidade, melhora o apetite, alivia a diarréia devido a alimentos não digeridos

VG4: Portão da Vida ou Destino (Mingmen)

Informação: Outro nome: Portão do Mandato Celestial. O significado do personagem Ming é “ordenar, comandar, decretar do céu, destino, fortuna, lote atribuído, destino, vida”… Trata-se portanto, a atribuição  de vida atribuída a cada um, que nos informa da importância do ponto que toca a energia original (Yuan Qi), a força vital. No  Nan Jing ( clássico das dificuldades )  encontramos  “Ming Men, é onde reside o Jing/Shen, onde se prende a energia primordial  ”.Cuidado: devido à sua própria natureza Yang, não aqueça se houver um vazio de Yin ou Sangue.

Função: fortalece o Yang dos Rins (bom para a exaustão e falta de ambição), consolida o Jing, interrompe  a leucorréia, fortalece a região lombar  e joelhos, torna a menstruação harmoniosa, trata a coluna vertebral, fortalece a libido, trata a enurese e a diarreia matinal

VG15: Portal da Mudez  ou Porta Silenciosa (Yamen)

Informação: Ponto de cruzamento com o Yang Wei Mai (Vaso Yang da Conexão), ponto do Mar do Qi em relação ao Danzhong (VC17, meio do peito). Seu nome lança luz sobre seu papel predominante no tratamento de distúrbios da fala. Outros nomes: “meio do pescoço, inchaço da língua, fadiga lingual, raiz da língua, língua de fora”. VG15 e VG16 são muito próximos e funcionam praticamente como uma entidade única. Formam  um portão regulador entre o pescoço e a cabeça (cérebro).

Função: refresca ou estimula o Qi,faz com que os orifícios comuniquem. ajuda a restaurar a fala, purifica o calor, dispersa o vento, transforma o Tan, alivia a rigidez da cabeça, trata a falta de clareza intelectual.


Autor: Ivan Bel

Tradutora: Alice Rumi


Notas:

[i] A este respeito, ver as diferentes camadas energéticas e fisiológicas e a forma como a doença entra no corpo.


Fontes:

  • L’esprit des points : 2010, Philippe Laurent (Ed. You Feng)
  • Associations des points : de Jeremy Ross (Ed. Satas)
  • Les 60 points essentiels : de Philippe Sionneau (Guy Trédaniel Editeur)
  • Les principes fondamentaux de la médecine, de Giovanni Maciocia (Ed. Elsevier)
  • Cours de Ryoho Shiatsu, 2ème année, Ivan BEL
  • Site web Yinyanghouse.com
  • Site web : acuponcturesite.wordpress.com