Reading Time: 9 minutes

Uma vez que você tem o seu diploma de Shiatsu, você está todo animado. E vamos à aventura! Queremos dar o maior número possível de tratamentos e ser bem sucedidos. No entanto, se você não quiser quebrar a “cara” no início de sua atividade, é melhor pensar um pouco e evitar as armadilhas mais comuns. Aqui está uma pequena lista que é sempre bom saber. Este artigo é dedicado aos praticantes que estão começando profissionalmente.


1. Não fazer seguro de responsabilidade civil profissional

Quando trabalha como praticante de Shiatsu, goste ou não, é responsável pelo que acontece durante a prática. Da porta de entrada ao tatami, tudo o que eventualmente possa acontecer ao seu cliente é da sua responsabilidade. O mesmo vale para os efeitos colaterais pós-tratamento. Lembre-se que embora o Shiatsu seja geralmente uma técnica sem riscos, qualquer dor ou desconforto que ocorra após uma sessão será de sua responsabilidade. Um erro técnico durante o tratamento também pode custar muito, mas também simplesmente um acidente, como escorregar na escada. Por isso, é imprescindível a contratação de um seguro de responsabilidade civil profissional, se possível semelhante ao do setor paramédico. Existem muitas seguradoras que oferecem este serviço, então não há necessidade de anunciar aqui. Mas não deixe de conferir o local de jurisdição e principalmente as coberturas oferecidas pela seguradora.

Trabalhar sem seguro de responsabilidade profissional ou estatuto legal é como tirar uma soneca numa máquina de lavar roupa.
É por sua conta e risco.

2. Não ser habilitado

Enquanto for um estudante, pode oferecer Shiatsu a todos, geralmente para o deleite de amigos e familiares. Mas quando se torna um profissional, tudo muda. Envolve dinheiro para tratamento significa que cria-se uma estrutura que contempla um status legal. Fazer as coisas com pressa certamente não é uma boa ideia. Em vez disso, é necessário comparar as diferentes possibilidades: sociedade, associação, autônomo, muitas soluções são possíveis. Para escolher, é necessário se fazer algumas perguntas fundamentais:

Na maioria das vezes, é útil começar “pequeno”, então antes de criar sua própria instalação de Shiatsu, existem algumas etapas a serem seguidas e perguntas a serem feitas:

  • Vou praticar além da minha atividade principal?
  • Em caso afirmativo, posso ter uma atividade independente independente? (Isso é autorizado pelo meu empregador? = verifique seu contrato de trabalho).
  • Terei investimentos? (sim = estatuto independente, mesmo através de uma associação, não ou pouco = trabalhador independente para a França).
  • Devo fazer uma previsão? = sim , mesmo que você não tome emprestado, se você não criar uma empresa é sempre aconselhável fazer uma previsão de despesas/receitas para ver para onde você está indo, se você precisa de um pequeno financiamento ou para mergulhar em suas reservas.
  • Devo contratar um contador? Sim, mesmo apenas um compromisso para ajudá-lo a “enquadrar” sua atividade.

3. Não investir em seu local de trabalho

O seu local de trabalho é um reflexo da sua personalidade, mas também da qualidade que oferece aos seus pacientes. Se você praticar em uma cama num canto da cozinha, com um cachorro correndo, não vai funcionar. A atmosfera do local, a decoração sóbria mas de bom gosto, o lado “casulo”, tudo isso vai ajudar a fazer com que os seus pacientes queiram voltar. Você também deve ter uma porta próxima que dê acesso a um banheiro com pia, ou melhor, um banheiro. A higiene é importante, a do lugar como a das suas mãos. Não economize na arrumação. Nos consultórios mais profissionais, há também uma sala de espera onde a pessoa pode deixar seus pertences ou ler enquanto espera que você termine sua consulta anterior. Tudo isso representa um investimento inicial.

O seu local de trabalho é um reflexo da sua personalidade e da sua paixão pelo Shiatsu.

4. Não exibir preços

Em seu site, por telefone, por e-mail ou em sua sala de espera, você deve sempre comunicar claramente o preço . Não exibi-los pode, em alguns casos, até representar um crime punível por lei. Se você usa redes sociais ou um site, isso também pode ser um lugar para exibi-los. Lembre-se que o Shiatsu é um serviço pessoal, uma operação comercial, bem como um tratamento e prática manual. Assim como um lojista ou um médico, não há espaço para interpretação sobre o assunto.

5. Não testar diferentes superfícies de trabalho (futon, tatame, mesa)

Na escola aprendemos Shiatsu geralmente no chão ou sobre uma maca . Mas isso não significa que é o melhor ajuste para você. Existem muitos modelos de maca. Pense Shiatsu! Você precisará encontrar uma resistente e com boa largura, pois pode ser necessário ficar de pé com o paciente para realizar certas técnicas. No chão você pode escolher entre um futon de algodão, um tatame de palha dobrável ou um colchão de poliéster dobrável também. Para o futon ou colchão, considere cobrir o chão com outra camada. Os tatames de palha fixos que formam uma camada no chão são feitos na França e não são muito caros. Um investimento nesses tatames lhe dará uma aparência bonita e durará anos.

Trabalhando num futon, tatami ou mesa… o importante é o seu conforto de trabalho.

6. Não criar uma lista de profissionais da área de saúde

Ninguém é o “sabe-tudo” ou tem respostas para tudo por isso é sempre bom ter o apoio de outros profissionais de saúde. Recomenda-se, portanto, criar uma pequena coluna sobre necessidades terapêuticas que não sejam diretamente abordadas com o Shiatsu, ou obter ajuda de um fisioterapeuta, um osteopata ou um psicólogo. Isso não significa abandonar o destinatário, mas muitas vezes sugerir que ele obtenha ajuda de outra pessoa temporariamente por um período e depois continue mais tarde. Por exemplo, no caso de um problema lombar, uma ou duas sessões com um osteopata ou quiroprático podem ser úteis para desbloquear as vértebras. Feito isso, volta-se para o Shiatsu. Também é uma boa ideia ter um médico de referência. Com um psicólogo, trabalhar a psique ao mesmo tempo que trabalha o corpo pode contribuir para o caminho do tratamento. Portanto, é altamente recomendável estabelecer contatos com toda uma gama de profissionais de saúde multidisciplinar. Resultando numa imagem profissional que trabalha com seriedade e responsabilidade.

7. Sobrecarga de trabalho quando tem demanda

Quando bem-sucedido, você tenta pegar todos que vêm ao estúdio. Mas cuidado com o excesso de trabalho. Como todo ser humano, o praticante de Shiatsu tem suas limitações. Devemos, portanto, saber não levar demasiadas pessoas todos os dias, não sobrecarregar as horas de trabalho à noite e reservar tempo para si, para as suas atividades de lazer, para a sua família e amigos. Mas acima de tudo, é preciso tirar um tempo para descansar para se regenerar, aproveitar suas férias e fins de semana. Caso contrário, você corre o risco de cair de exaustão e ser forçado a parar de praticar sua paixão, o que não seria bom para você e seus clientes.

8. Não trabalhar seu corpo e mente

Uma vez fora da escola, você tende a descuidar de manter o corpo em boa forma . Há uma boa razão para os professores gastarem tempo em cada aula aquecendo, alongando, fortalecendo e trabalhando seu corpo. Todo o corpo do praticante é sua ferramenta de trabalho. Deve, portanto, ser constantemente mantido, cuidado, trabalhado para mantê-lo em boa forma e resistir durante as grandes semanas de trabalho. O corpo basicamente precisa de três tipos de exercício: fortalecimento, relaxamento/amolecimento e esforço físico que faz você suar e eliminar toxinas. Nesta mistura de exercícios, recomenda-se trabalhar a mente para permanecer calma, bem fundamentada, emocionalmente equilibrada.

O excesso de trabalho leva ao stress, o stress leva à fadiga, a fadiga leva à exaustão.

9. Para de comunicar com colegas e professores

Deixamos nossa escola, nosso professor e nossos amigos de classe e nos encontramos sozinhos com os pacientes. O trabalho do shiatsu shi pode rapidamente se tornar um trabalho solitário. A longo prazo, não é bom para o espírito. Somos, principalmente, animais sociais. Mesmo que você receba muitos pacientes todos os dias, não é o mesmo que manter uma conexão com a comunidade Shiatsu. Para isso existe um grande número de grupos nas redes sociais, mas o melhor ainda é manter vínculos com pessoas que estudaram ao mesmo tempo que você. E o vínculo com o professor é um pequeno tesouro para guardar, para tirar dúvidas. Porque se a escola te faz subir o primeiro degrau do caminho do Shiatsu, ainda há todos os outros degraus a subir e são muitos.

Continuar a treinar para enriquecer as suas mãos é a chave do sucesso.

10. Para de treinar

Este é sem dúvida o pior erro a cometer. Quando você trilha por um caminho, o estudo nunca para. Você pode ler muitos livros, mas nada pode substituir o contato, a descoberta ou comparação que um curso ou seminário lhe oferece. Pelo menos duas vezes por ano é preciso voltar ao estado de estudante que nada sabe e redescobrir a alegria de ser guiado. O treinamento contínuo também é uma obrigação na maioria das organizações de Shiatsu. Os professores mais avançados não hesitam em ir ver os colegas para aprender coisas novas ou outra forma de abordar um assunto conhecido. Sempre há algo a aprender. Além disso, a educação continuada permite sair de caminhos conhecidos para enfrentar outras formas de fazer as coisas. O Shiatsu é rico em uma infinidade de estilos, todos com algo interessante para ensinar. Isso permite que você saia da sua zona de conforto e evite acreditar que sabe tudo e acabe criticando os outros. Ao contrário, a formação permanente enriquece e tornamos humilde ao mesmo tempo. Ninguém sabe toda a verdade e o Shiatsu continua sendo um universo imenso cheio de possibilidades.

Bom começo no treino!


Os autores

Ivan Bel
Stéphane Bourguignon
Latest posts by Stéphane Bourguignon (see all)

    Tradutora

    Alice Rumi
    Latest posts by Alice Rumi (see all)